Boston Terrier
rin0428Pixabay
Boston Terrier

Como o nome já deixa evidente, o Boston Terrier teve a sua origem na cidade de Boston, a capital do estado de Massachusetts, nos Estados Unidos, em meados do ano de 1870. Porém, esse nem sempre foi o nome da raça, no começo o cãozinho era chamado de Round Head (Cabeça Redonda), Bullet Head e até mesmo Bull Terrier de Boston, recebendo o nome definitivo somente em 1889.

A raça é muito confundida com o  Buldogue Francês, e não é à toa, já que se trata de um descendente direto do cãozinho francês em cruzamento com o  Bull Terrier, embora algumas teorias apontem também outras raças, como os  Buldogue Inglês,  Boxer,  Pitbulls, e o English White Terrier – sendo essa última já completamente extinta.

Apesar do porte pequeno- cerca de 30 cm – o Boston Terrier já foi usado para atividades pouco gloriosas como brigas de cães em competições nos EUA, caça de ratos e até tortura de touros. Com o passar dos anos, o cachorro foi conquistando seus criadores até se tornar um cão de companhia, como conhecemos hoje, sendo muito bom em diversas atividades caninas.

O primeiro clube dedicado ao Boston Terrier foi nomeado como American Bull Terrier Club, algo que desagradou criadores de raças como o Bull Terrier e o próprio Buldogue Francês, que tinha grande popularidade e influência na época, o que fez com que o então recém-criado clube passasse a se chamar Boston Terrier, em homenagem à cidade natal, e levando a própria a raça a receber o mesmo nome.

Somente em 1893 o Boston Terrier recebeu o reconhecimento oficial pelo  American Kennel Club. A popularidade da raça só cresceu com o passar dos anos, recebendo o apelido de “American Gentleman” (Cavalheiro Americano) por suas cores que lembram um smoking. Por alguns anos a raça esteve no top 10 das raças mais populares do país – popularidade que diminuiu muito no início do século 21.

O valor do cãozinho, porém, nunca diminuiu em seu estado de origem, sendo reconhecido como bicentenário dos Estados Unidos em 1976 e, apenas três anos depois, se tornou o cão oficial do estado de Massachusetts.

Cães da raça também são mascotes da Universidade de Boston, e também de instituições de fora do estado, como o Wofford College, na Carolina do Sul, e Redlands High School, na Califórnia.

A personalidade do Boston Terrier

Os Boston Terrier são cães enérgicos e adoram atividades com os tutores
Oskar Kadaksoo/Unsplash
Os Boston Terrier são cães enérgicos e adoram atividades com os tutores

Apesar do passado de cão de briga, o Boston Terrier é um animal dócil e brincalhão. Por ser muito inteligente ele é facilmente adestrado e adora aprender novos truques. Mas é preciso ser sempre paciente e recompensador, respeitando os limites do pet, pois esse cão é bastante sensível a broncas.

O Boston Terrier é um animal resistente e pode ser uma boa companhia para atividades ao ar livre, até mesmo para a prática de agility, assim como também será uma boa companhia para uma tarde no sofá assistindo televisão.

Por ser cheia de energia, a raça se dá muito bem com crianças e pode se dar bem até mesmo com pessoas estranhas. Também é bastante sociável com outros animais de estimação e dificilmente apresenta problemas de comportamento nesse sentido. O maior cuidado que o tutor deverá ter é com o entusiasmo do cãozinho durante passeios no parque, pois ele pode querer ir correndo brincar com outros cães maiores, mesmo desconhecidos, o que pode acabar em problema.

Leia Também

Leia Também

Cuidados com a higiene

O Boston Terrier é um símbolo para o estado de Massachusetts
Gabriella Clare Marino/Unsplash
O Boston Terrier é um símbolo para o estado de Massachusetts

A raça tem pelagem fina e curta e não costuma perder muito pelo, por isso não exige cuidados maiores, apenas uma escovação semanal para eliminar os pelos mortos já será o bastante para manter esse pet com a pele saudável e brilhante.

Apesar de o mais comum ser o preto e branco, também é possível encontrar cães da raça em variadas cores em tons escuros.

O Boston Terrier não precisa de banhos tão frequentes, já que não costuma apresentar o odor característico de cachorros. Porém, os cuidados devem ser um pouco mais meticulosos, especialmente na região das orelhas, e devem ser higienizadas com certa frequência. Por ter orelhas eretas, a raça sofre maior risco de problemas, como otite.

As rugas no focinho também precisam estar sempre bem sequinhas para evitar problemas com fungos e bactérias. É importante que o tutor esteja sempre atento a esses detalhes.

Cuidados com a saúde

Mesmo que esse cão também se adapte muito bem à rotina de sofá e televisão, é importante que ele seja estimulado a praticar atividades físicas, já que tem grande tendência a sofrer com sobrepeso.

Outro  cuidado que se deve ter é referente ao seu focinho curto, ou braquicefalia,  evitando atividades ao ar livre em dias de muito sol e calor, pois eles não conseguem regular a temperatura corporal. Eles também podem sofrer com problemas cardíacos.  

Assim  como acontece com o Pug, e outros cães braquicefálicos, os olhos do Boston Terrier podem saltar para fora caso sejam puxados com muita força, é importante ter cuidado e correr para o veterinário com urgência, caso aconteça. Úlcera de córnea e catarata também são frequentes.

Uma alimentação saudável  e visitas regulares ao médico veterinário são fundamentais para manter a saúde dos animais de estimação em dia.

Para garantir que os pets tenham sempre ajuda quando necessário, o iG Pet Saúde oferece aos tutores consultas emergência e até opção de transporte ao veterinário. Confira  essas e outras vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para cães e gatos, com 50% de desconto nos três primeiros meses. Acompanhe o  Canal do Pet também no Telegram!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários