Os Pugs são cães muito companheiros
Stefan Glazer/Pixabay
Os Pugs são cães muito companheiros

Uma das raças de cachorro mais antigas do mundo, com registros que datam de aproximadamente 700 a.C. Efígies de porcelana retratam a importante presença de cães da raça na época.

Não se sabe com certeza sobre a origem da raça, mas acredita-se que cachorros Pequinês de pelo curto, Buldogues pequenos e Mastifes franceses sejam os prováveis ancestrais do Pug. A única certeza, porém, é que a raça surgiu na China, onde era muito valorizada e, com exceção de monges tibetanos, somente membros da família imperial eram autorizados a ter Pugs como animais de companhia.

Os Pugs costumavam ficar sempre ao lado de seus mestres, mesmo em cerimônias reais, quando visitantes estrangeiros eram recebidos. A raça era tão estimada que as fêmeas recebiam valor equivalente ao das esposas do imperador.

Cães da raça migraram para a Europa ao final do século 16, levados por comerciantes até os Países Baixos, onde os Pugs, ou Mopshond, como são chamados por lá, ganharam enorme popularidade entre a alta classe holandesa.

Não demorou muito para que a raça conquistasse a admiração da aristocracia europeia e se tornasse inspiração para artistas que retratavam os pequenos cachorros em pinturas e cartões postais.

Outro fator que contribuiu para a grande popularidade dos Pugs em todo o Reino Unido foi o grande carinho que a Rainha Victoria tinha pela raça. A rainha tinha vários Pugs de estimação. Nos Estados Unidos a raça desembarcou após o fim da Guerra Civil, e o reconhecimento oficial veio em 1885, pelo American Kennel Club.

Curiosidades sobre os Pugs

Os olhos do Pug podem saltar para fora das órbitas caso façam muita pressão ou puxem a guia com muita força
Daniel Sandoval/Unsplash
Os olhos do Pug podem saltar para fora das órbitas caso façam muita pressão ou puxem a guia com muita força

Astro do cinema: popularidade da raça já não era mais a mesma com o passar dos anos, até que um cão da raça participou dos filmes “Men In Black”, com Will Smith. O personagem Frank era um alienígena disfarçado de Pug, tendo sua participação ampliada no segundo filme da franquia. O cãozinho que deu vida a Frank se chamava Mushu.

O ronco dos Pugs: o som que esses cães fazem ao respirar são bem característicos, principalmente enquanto estão dormindo. Muitos tutores afirmam que o som é relaxante, como o ronronar de um gato. Esse som, porém, se deve ao nariz achatado e ocasiona a maior parte dos problemas de saúde dos Pugs.

Diferentes nomes: Além de Pug, a raça é conhecida como Mopshond, na Holanda; Carlin, na França; Doguillo, na Espanha; Mops, na Alemanha; e Cagalino, na Itália.

A Fortuna de Napoleão: Josephine, a esposa de Napoleão Bonaparte era apaixonada pelo cãozinho de estimação chamado Fortune. Após o casamento, Josephine só aceitou se deitar com o marido quando Napoleão autorizou que Fortune pudesse dormir com o casal na mesma cama. A cachorrinha ainda serviu como mensageiro, quando sua tutora foi para a prisão, Josephine colocava mensagens secretas na coleira do cachorro, para que fossem vistas pelo imperador francês.

Uma plástica no focinho: as rugas na testa dos Pugs são “fabricadas” na China. Os criadores de Pug moldaram a raça para que as rugas ficassem semelhantes ao caractere chinês que forma a palavra “príncipe”. O focinho muito achatado também foi moldado ao gosto de seus criadores, o grande problema é que a questão estética foi posta à frente da saúde e do bem-estar do animal.

Cara de macaco: o nome Pug foi inspirado em um macaco do Marmoset, chamado Pug.

A personalidade do Pug

Os Pugs são muito sociáveis e raramente apresentam problemas de sociabilização
Sneaky Elbow/Unsplash
Os Pugs são muito sociáveis e raramente apresentam problemas de sociabilização

Um cão de temperamento calmo e muito amigável, eles tendem a ser muito apegados aos tutores, a quem vão seguir por todos os cantos da casa. Os Pugs são muito dóceis e se dão bem com pessoas de todas as idades, além de outros animais de estimação, sejam eles cães ou mesmo gatos.

Leia Também

Leia Também

A fama de ser um cachorro preguiçoso e avesso aos exercícios físicos se deve muito ao focinho achatado da raça, que dificulta muito a respiração e impossibilita o controle de temperatura corporal do animal. Ainda assim, os Pugs amam brincar e precisam de brinquedos disponíveis para que possam se distrair nos momentos em que estiverem sozinhos. Por serem muito apegados, podem desenvolver ansiedade de separação e até depressão, caso passem muito tempo sozinhos.

Os Pugs não costumam apresentar problemas de comportamento e dificilmente alguém verá algum sinal de agressividade em um cão da raça. Contudo, a socialização é importante para a convivência com animais e pessoas estranhas ao seu dia a dia.

Os Pugs são excelentes companheiros para quem deseja um cãozinho, mas que não dispõem de muito tempo parta atividades ao ar livre. Eles se adaptam bem a ambientes menores, como apartamentos,  mas não significa que não se deva fazer caminhadas e reservar um tempo do dia para brincar com o pet. Os Pugs têm tendência à obesidade  e não devem ficar sempre parados. O ideal é passear enquanto o dia ainda está fresco e nunca sob o sol quente.

Cuidados com a higiene

Os Pugs são muito apegados e brincalhões, não devem ser deixados sozinhos por muito tempo
Jc Gellidon/Unsplash
Os Pugs são muito apegados e brincalhões, não devem ser deixados sozinhos por muito tempo

Os pelos dos Pugs são curtos, mas costumam soltar bastante, por isso é essencial que os tutores escovem os pelos do cãozinho com certa frequência para a remoção dos pelos mortos, o que ajuda no bem-estar do animal.

Por ser um cão cheio de dobrinhas pelo corpo, é recomendado que se use escovas com cerdas que não machuquem e específicas para cães de pelos curtos e finos.

As dobrinhas do cão também exigem cuidados redobrados, para que não se acumule sujeira ou umidade. O tutor deve passar lenços de limpeza especialmente desenvolvidos para animais de estimação.

Os banhos não devem ser tão frequentes e, sendo feita a manutenção adequada do pet, um ou dois banhos ao mês devem ser suficientes. O recomendável é que o tutor leve o animal a um pet shop de confiança para que o banho seja dado da melhor forma, assim como a secagem do pet.

Cuidados com a saúde

Os problemas respiratórios causados pela braquicefalia já são conhecidos, deixando cães de focinho curto menos tolerantes ao calor – os cães regulam a temperatura do corpo pela respiração, cães com focinhos achatados têm maior dificuldade.

Essa dificuldade na respiração também impossibilita atividades físicas mais exigentes, que podem levar o animal à morte. O ideal é que esses cães estejam sempre em ambientes controlados e nunca saiam na rua nos períodos mais quentes do dia.

Os olhos desses cães também são prejudicados pelo focinho achatado, que deixam os olhos mais saltados do que o normal. Os olhos do Pugs precisam ser bem limpos para que se evite úlceras de córnea e é necessário ter cuidado ao uso de coleiras. Ao puxar a guia com mais força, os olhos do Pug podem saltar, isso ocorre devido às órbitas rasas e é uma condição conhecida como exoftalmia. Caso aconteça, o tutor deve levar o animal ao veterinário imediatamente.

Cuidados com a alimentação também são essenciais, pois os Pugs podem ser bem gulosos e tendem a engordar com facilidade. Os Pugs necessitam de acompanhamento veterinário com uma frequência ainda maior do que outras raças, devido às condições especiais.

Para garantir que os pets tenham sempre ajuda quando necessário, o iG Pet Saúde oferece aos tutores consultas emergência e até opção de transporte ao veterinário. Confira essas e outras  vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para cães e gatos. Acompanhe o  Canal do Pet também no Telegram!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários