Os gatos que vivem nas ruas e passam por dificuldades, como maus-tratos, se tornam naturalmente mais desconfiados
Steve Harvey/Unsplash
Os gatos que vivem nas ruas e passam por dificuldades, como maus-tratos, se tornam naturalmente mais desconfiados

Os gatos são animais muito carinhosos e amam receber afagos, lembrando que a personalidade de um gato também depende muito da raça e de cada indivíduo por si só. O comportamento desses felinos condiz muito com os instintos da espécie e, muitas vezes, recebem a fama de serem animais traiçoeiros e reclusos, mas tudo depende do que o gato passou pela vida.

São muitas as causas que podem levar um gato a se tornar um animal arisco, como traumas por terem sido vítima de maus-tratos, já terem apanhado de outros animais (cães ou até outros gatos) o que os leva ao medo e, lembrando que muitos gatos adotados em abrigos foram retirados das ruas e nunca tiveram nenhum tipo de relação “pet e tutor”.

Para amansar um gato arisco ou desconfiado, o primeiro passo é ter paciência e tentar entender o animal. No caso de um filhote é muito mais fácil, e até o simples fato de oferecer um alimento já pode ir conquistando a confiança do bichinho. Com um gato já adulto é um pouco mais complicado, mas longe de ser impossível.

O comportamento de um gato

respeite o tempo do animal e deixe que ele se aproxima conforme vai se sentindo mais confiante
Shuttersock
respeite o tempo do animal e deixe que ele se aproxima conforme vai se sentindo mais confiante

Os gatos são predadores silenciosos, solitários e bastante territorialistas. Eles podem se dar muito bem com a presença de outros gatos e animais, embora possa haver tensões hierárquicas – quem é o líder da casa, por exemplo. Por isso é sempre recomendado que cada gato tenha sua própria caixa de areia e, se necessário, tenham a refeição em locais ou horários diferentes.

Alguns gatos podem ser mais dominantes em um ambiente da casa, ou pelo acesso à comida, ou ao tutor. Isso de define de maneiras mais ou menos agressivas, desde olhares a disputas físicas – um gato mais dominante  pode agredir outro mais manso sem nenhum motivo aparente.  Quando um dos dois é adotado depois, ele pode tomar dominância do ambiente para si, dependendo da personalidade dele.

Os felinos passam a maior parte do dia em repouso, tendo períodos mais curtos para outras atividades, incluindo brincadeiras. Os gatos com idades mais avançadas tendem a brincar menos, mas também precisam de atividades com o tutor. A questão é que um gato não fará nada que ele não esteja a fim de fazer e não adianta insistir.

Existem gatos com os mais variados temperamentos, muitos convivem com outros animais e aceitam a presença de um novo pet sem grandes problemas, outros precisarão de algum tempo para se adaptar. Gatos que vezes vão querer estar junto ao tutor e em outras vão buscar um local para ficarem sozinhos em outros. É o comportamento padrão de um gato doméstico.

O que leva um gato a se tornar arisco

Gastos que já sofreram maus tratos ou foram retirados das ruas podem temer o contato com seres humanos
shutterstock
Gastos que já sofreram maus tratos ou foram retirados das ruas podem temer o contato com seres humanos

Como dito anteriormente, são muitos os fatores que podem levar um gato a ficar arisco ou agressivo, entre eles estão diversos problemas de saúde que não serão percebidos a olho nu. Caso o comportamento agressivo tenha surgido repentinamente, é recomendado que o tutor leve o animal a um médico veterinário para que o profissional possa identificar a causa do problema.

Os gatos não costumam demonstrar quando estão doentes ou sentindo dores, os tutores sempre devem estar atentos para as sutis mudanças de comportamento.  

Gatos adotados já adultos geralmente foram resgatados das ruas ou de lares abusivos, onde sofreram maus-tratos que levaram a traumas. Muitos nunca receberam carinho, não conhecendo esse contato, ou mesmo têm medo dele por questões anteriores. É preciso ter paciência e entender o tempo do animal.

A simples chegada de um novo animal de estimação na casa (que o gato entende como o território dele) pode gerar ansiedade e insegurança, o que leva a comportamentos mais agressivos ou fazer com que o animal busque locais para se esconder, o problema com a chegada de um novo pet pode começar a ser resolvida previamente.

Para o gato que está chegando ao novo ambiente, o adotante pode oferecer estímulos para que o animal vá ganhando confiança aos poucos, com interações graduais e atividades pela casa, como esconder petiscos ou ração para que ele vá encontrando ao explorar o local.

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também

Amansando um gato arisco

Leia Também

Para amansar um gato com comportamento arisco é preciso, antes de tudo, buscar entender o comportamento do animal. Se foi recém adotado e precisa ganhar confiança, ou se houve a mudança de comportamento e qual é a possível causa.

O tutor deve entender também é que o gato é territorialista e irá defender esse local. É comum que o tutor que mora em casa que pode ser acessada por outro gato externo note que  o pet começou a fazer xixi fora da caixa de areia (neste caso, a urina sai como uma espécie de spray). Esse comportamento não se trata de rebeldia felina, o gato está apenas dizendo que aquele território já tem dono ou até demonstrando forte estresse.

Apesar de gatos e cães serem essencialmente diferentes,  o método de reforço positivo pode ser aplicado de forma bem semelhante para os felinos. Recompensando o gato sempre que exercer um comportamento positivo, assim reforçando este comportamento. Em caso de comportamentos considerados inadequados, o tutor deve apenas ter paciência e começar de novo, jamais deve castigar o animal.

Como acalmar um gato arisco

A forma de agir dos tutores interfere diretamente no comportamento dos animais de estimação.
Unsplash/Alex Nicolopoulos
A forma de agir dos tutores interfere diretamente no comportamento dos animais de estimação.

Um gato arisco é, essencialmente, um indivíduo que está com medo portanto é sempre importante ressaltar que o tempo do animal deve ser respeitado e jamais forçar uma aproximação, isso pode apenas assustá-lo mais. Respeitar o tempo do gato é sempre primordial.

A linguagem corporal do felino é uma boa forma para identificar como ele está se sentindo, orelhas encolhidas para trás, pelos arrepiados, cauda agitada em círculos são indícios de que ele se sente ameaçado e pode atacar caso alguém tente pegá-lo.

Para ganhar a confiança de um gato que está na rua, ou foi recém adotado, o ideal é que se deixe o animal acostumar com a presença humana, se aproximando aos poucos – não se deve sentir vergonha de conversar com o bichinho – e, de preferência, ofereça algum alimento para ele. Pode ser ração, petisco ou até carne, algo que sirva para atrair o gato.

Nesse processo o ideal é deixar que o gato se aproxime, tudo sendo feito unicamente no tempo do felino. Ele pode continuar apreensivo e tentar tocá-lo enquanto come pode assustá-lo, fazendo com que fuja. Depois de alimentado, continue oferecendo comida e a tendência é que o gato ganhe cada vez mais confiança.

O enriquecimento ambiental é muito indicado para dar confiança ao pet, com comida, brinquedos , arranhadores e até caixa de papelão
shutterstock
O enriquecimento ambiental é muito indicado para dar confiança ao pet, com comida, brinquedos , arranhadores e até caixa de papelão

Com a aproximação, o tutor pode tentar fazer carinho no animal, sempre com muito cuidado, caso o pet recue ou corra, nunca tentar ir atrás. Ao oferecer comida ou brinquedos, também jamais fazer movimentos bruscos, como jogar na direção do animal.

O enriquecimento ambiental também é uma das maiores recomendações de especialistas. Deixar brinquedos, arranhadores e petiscos espalhados para que o animal sinta interesse em explorar o ambiente,  para que perceba que pode se sentir seguro, além de exercitar os instintos de caça, dando maior bem-estar ao pet.

Sprays de feromônios ou o uso de florais também podem ajudar com que o pet se sinta mais confortável pela casa.  É importante pedir a orientação de um médico veterinário para se certificar de que é o mais recomendado para o animal específico. Em casos de sprays, é indicado que nunca se use perto do gato, o barulho pode assustá-lo.

Ao perceber que o gato está mais confiante, o tutor pode tentar segurá-lo no colo – algo necessário caso precise levar o animal ao veterinário. Para isso o indicado é que se use uma toalha para envolve-lo, por precaução. Com muito cuidado para não assustar o pet, nem todos os gatos, mesmos os mais mansos, gostam de ser segurados no colo por muito tempo.

Caso o animal já comece uma aproximação natural, como se esfregar nas pernas ou mesmo subir no colo, fazer carinhos por alguns minutos pode ajudar muito.

Vale ressaltar que para ganhar a confiança de um animal arisco é preciso dar tempo a ele e ter paciência. Os gatos, geralmente, levam um pouco mais de tempo que um cão levaria, mas nada que afeto, paciência e cuidados não resolvam. Lembrando que o animal pode estar arisco devido a algum trauma, em casos mais extremos, vale a pena pedir a ajuda do médico veterinário ou de um especialista em comportamento animal.

** Formado em jornalismo pela Universidade Nove de Julho, Renan Tafarel é apaixonado por pets e cultura pop. Escolheu o jornalismo por enxergar na profissão uma oportunidade abrangente de conhecer novas pessoas, culturas e histórias diversas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários