O sopro no coração é identificado por alteração na auscultação cardíaca
reprodução shutterstock
O sopro no coração é identificado por alteração na auscultação cardíaca

Os animais de estimação, assim como os seres humanos, também podem sofrer com problemas cadíacos.  Entre eles, há sopro no coração, uma enfermidade muito mais comum do que imaginamos. Se não diagnosticada corretamente, a doença pode acarretar em problemas mais graves para a saúde do cão.

O que é o sopro no coração?

A medica veterinária Fernanda Ambrosino explica que o sopro no coração é um termo utilizado quando se identifica alguma alteração na auscultação cardíaca, que é quando se avalia a passagem de sangue pelas estruturas do coração, indicando que o cachorro pode sofrer com alguma cardiopatia. Ao ser identificado o problema, é necessário realizar exames complementares para avaliar o estado de saúde geral do animal.

Como é identificado o problema

O sopro no coração em cães costuma ser notado em consultas regulares ao veterinário. Na maioria dos casos quando o cachorro está sendo auscultado pelo médico veterinário que identifica um ruído que não deveria estar presente. “Além disso, o animal pode apresentar sintomas que levem a suspeita do quadro, como fadiga excessiva, ficar ofegante mesmo em repouso, tosse, dificuldade respiratória, desmaios, entre outros”, diz a veterinária.

Por isso, é fundamental que o tutor leve o cachorro ou o gato, para consultas periódicas ou, caso note alguma mudança no comportamento do pet, busque ajuda profissional o mais rápido possível.

Fernanda explica que o sopro no coração costuma estar relacionado às doenças cardíacas que têm duas origens:

  • Congênita – quando o animal nasce com determinada patologia.
  • Adquirida – quando o animal desenvolve a doença ao longo dos anos.

Sopro no coração em cães adultos

Os animais adultos costumam ser os mais afetados pelas patologias cardíacas. O sopro no coração nestes casos costuma ser um primeiro sintoma. “Por essa razão, o diagnóstico precoce é fundamental para que o animal receba o tratamento adequado e para que seja possível evitar que o quadro evolua para algo mais grave e irreversível”, alerta a veterinária.

Sopro no coração em cães filhotes

Você viu?

No caso dos filhotes também é preciso investigar as causas, pois alguns animais apresentam patologias congênitas ao nascer e podem precisar de cirurgia para corrigir o problema, outros podem ser tratados pelo uso de medicamentos. “Além disso, no caso dos jovens animais algumas patologias, como a anemia, podem gerar alteração na auscultação cardíaca”, diz.

Sinais que o tutor possa identificar

O sopro no coração é identificado na maior parte dos casos quando o cão está sendo auscultado pelo médico-veterinário
Shuttersock
O sopro no coração é identificado na maior parte dos casos quando o cão está sendo auscultado pelo médico-veterinário

A veterinária conta que os sintomas podem variar de acordo com o quadro do animal, sendo comum que o cão apresente sinais como tosse seca e persistente que surge “sem motivo”, dificuldade respiratória, diminuição no nível de atividade – evitando brincar, caminhar ou realizar atividades que exijam esforço -, cansaço frequente, entre outros. “Dessa forma, ao apresentar qualquer alteração comportamental é indispensável que o animal seja avaliado por um profissional”, afirma.

Os riscos que o sopro no coração representa

Estudos indicam que um em cada 10 cães irá desenvolver alguma doença ao longo da vida. “No caso do sopro no coração é preciso investigar as causas do problema, que pode ser consequência da degeneração das válvulas cardíacas, conhecida como endocardiose valvar, ou até mesmo estar relacionado a insuficiência cardíaca congestiva”, conta.

Qualquer alteração cardíaca oferece riscos para a saúde dos cachorros, a gravidade do quadro dependerá de fatores, como idade, evolução do animal, outras comorbidades presentes,  entre outros. “Por isso, o diagnóstico precoce e o tratamento adequado são indispensáveis para assegurar o bem-estar do cão e para proporcionar mais qualidade de vida para o pet”.

Tratamentos e prevenções

Em casos mais sérios, o animal pode precisar passar por procedimentos cirúrgicos
reprodução shutterstock
Em casos mais sérios, o animal pode precisar passar por procedimentos cirúrgicos

Existe tratamento para o problema, pode ser indicada a realização de algum procedimento cirúrgico, a utilização de medicações de uso continuo e até a adoção de mudanças no estilo de vida do animal. “O tratamento adequado irá depender do diagnóstico do pet”, diz.

“É importante ressaltar que quando falamos em saúde animal, a prevenção é sempre a melhor estratégia. No caso das patologias cardíacas, como em outras doenças é preciso investir na manutenção da saúde geral do pet para evitar o surgimento de enfermidades”, alerta a especialista.

A manutenção da saúde dos animais de estimação engloba  uma alimentação balanceada, a realização de atividades físicas , vacinaçãocontrole contra ação de ectoparasitas, e visitas frequentes ao médico-veterinário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários