Para muitos o ano só começa de verdade depois do carnaval, sendo assim, já está na hora de colocar em prática promessas de ano novo. Uma das mais populares é ter uma vida mais saudável, mas a falta de companhia acaba desanimando a prática de exercícios. Para que isso não aconteça, uma ótima ideia é incluir o animal de estimação na rotina saudável e a corrida é uma ótima opção. 

animal e dono correndo arrow-options
Reprodução Pinterest
Correr com o pet pode ser uma ótima forma de praticar exercícios

Leia também: Conheça as raças de cães mais indicadas para a prática do canicross 

Além da corrida trazer muitos benefícios para a saúde das pessoas e dos animais, é uma atividade que se torna cada vez mais popular e pode unir mais ainda pet e dono. Mas, antes de qualquer coisa é preciso tomar cuidado com alguns detalhes. Priscila Rizelo, veterinária e Coordenadora de Comunicação Científica da ROYAL CANIN® Brasil, lista 6 dicas para que a atividade seja segura. 

  1. Check-up em dia: antes de começar qualquer atividade física é preciso ter certeza de que o cachorro está saudável. Uma consulta com o veterinário é o primeiro passo para se jogar na rotina de exercícios. 
  2. De olho na balança: se o cão estiver acima do peso é importante ter moderação. O mais recomendado é iniciar as primeiras semanas com caminhadas para que ele se acostume. A prática de exercícios será ótima para a saúde dele, já que a  obesidade costuma ser responsável por várias doenças. 
  3. Adaptação: o momento com o cachorro deve ser de diversão, então, observar se a atividade está sendo prazerosa para o pet e observar o limite dele é importante. Muitos cães não gostam de correr, além disso, os braquicefálicos (com o focinho achatado) têm mais dificuldade de respirar e trocar calor por meio da respiração. Se esse é o caso do seu pet, considere fazer outro tipo de atividade com ele.  
  4. Alimentação adequada: o dono precisa conversar com o veterinário de confiança para que ele recomende a nutrição mais adequada para o gasto energético do cão. O profissional precisa saber quantas vezes na semana o cão irá correr, por quanto tempo e em qual intensidade para adequar a rotina de alimentação às necessidades físicas dele.
  5. Local e horário: escolher locais e horários seguros para o animal também deve ser uma preocupação. Parques no início da manhã ou final da tarde, quando o sol não está mais tão quente, são os mais indicados. 
  6. Hidratação: não importa a temperatura do dia, o cão precisa beber água durante o trajeto. Faça pequenas paradas para hidratação e inclua alimentos úmidos na rotina de alimentação do pet. 

    Veja Também

      Mostrar mais