Tamanho do texto

Falta de ar, cansaço, tosse e desmaios são alguns dos sintomas que o dono deve ficar de olho para diagnosticar a doença

Assim como os humanos, os animais também podem ter problemas de coração. Infelizmente foi isso que aconteceu com Dudu, o Yorkshire de 11 anos da apresentadora Xuxa Meneghel. O pequeno animal de estimação sofreu de um caso de cardiopatia em cães, que causou uma parada cardíaca e fez com que ele falecesse de forma súbita quando estava a caminho de uma ressonância magnética.

Leia também: Abrigo busca "humano guia" para ajudar cachorro cego

Dudu, animal de estimação de Xuxa que morreu de cardiopatia em cães
Instagram/Xuxa Meneghel Oficial
Dudu, animal de estimação de Xuxa que morreu de cardiopatia em cães


Para evitar que isso aconteça, vamos falar um pouco da doença que causa a parada do coração. Primeiro é importante deixar claro que a  cardiopatia em cães é mais comum na raça Yorshire Terrier, a do cachorro da Xuxa. Esse cão tem uma predisposição grande a desenvolver doenças cardíacas, principalmente pelos cruzamentos para aperfeiçoar a raça, mas não quer dizer que outras raças também não desenvolvam esse problema.

Leia também: Conheça as doenças oculares caninas que têm maior frequência de casos

Segundo a médica veterinária Paula Colferai Rolim, a cardiopatia é "a incapacidade do coração em bombear sangue, e pode variar de acordo com as alterações morfológicas do órgão". O acompanhamento veterinário, principalmente em cães idosos, é muito importante por isso. Às vezes o diagnóstico é tardio, e o problema pode ser fatal. 

Claro que cada caso é um caso, e Paula deixa claro que essas alterações podem mudar de cão para cão. "Essas alterações patológicas que ocorrem no coração são classificadas de acordo com a gravidade, formação e evolução do quadro."

Os sintomas são parecidos com o dos humanos, principalmente a insuficiência cardíaca. "Sempre observar se o animalzinho esta ofegante, com cansaço, tosse ou desmaios, caso seja observado estes sintomas, é preciso levar o quanto antes para exames complementares", completa a veterinária. 

Esses exames complementares vão além da auscultação cardiaca, que consiste em usar o estetóscópio para ouvir os batimentos do pet. Radiografia de torax,  eletrocardiograma e ecocardiograma, são outros procedimentos necessários que podem ser feitos com o pedido veterinário em clínicas especializadas.

A veterinária ainda complementa que a doença não tem cura, mas tem tratamento. "Manter nossos animais sempre ativos e com boa alimentação é muito importante para aqueles que já tem cardiopatia. Porém o excesso de exercícios físicos pode piorar o quadro, então é sempre bom realizar uma avaliação médica do pet."

Leia também: Hipotireoidismo em cães: tudo sobre sintomas, tratamento e prevenção da doença

A maior parte do tratamento é focado na dieta, que quando feita com rações específicas para cães com insuficiencia cardíaca, pode prolongar a vida do cachorro e quase zerar os sintomas da doença. Também não é possível evitar a cardiopatia em cães , já que ela é a incapacidade do coração de bombear sangue, e isso significa que qualquer pet pode desenvolvê-la.