O gato Persa foi considerado sagrado no Antigo Egito
PublicDomainPictures/Pixabay
O gato Persa foi considerado sagrado no Antigo Egito

Considerada uma das raças mais antigas do mundo e sagrada no Antigo Egito - com registros que datam de 1684 a.C -, não se sabe ao certo qual é o verdadeiro local de origem, mas, como o nome sugere, especialistas afirmam que tenha surgido no antigo Império Persa, território que hoje pertence ao Irã.

Estudos indicam que o gato Persa surgiu do cruzamento de uma raça de gatos selvagens europeia e o Gato-de-Pallas, natural de regiões do Mar Cáspio e da Ásia Central. Por volta do século 17, a raça foi levada para a Europa, pelo explorador italiano Pietro Della Valle, onde rapidamente migrou também por países como Inglaterra e França.

O gato se tornou imensamente popular pela Europa, onde cruzou com gatos Angorá e quase a levando à extinção.  Durante o século 19, criadores europeus passaram a "aperfeiçoar" a raça, selecionando somente gatos que correspondessem às  características mais desejadas  como focinho curto, cabeça arredondada, orelhas menores e olhos grandes.

Ao final do século 19 a raça passou a ser exportada também para os Estados Unidos, onde fez muito sucesso, especialmente nas tonalidades azul e prata.

Uma raça, diferentes nomes

Mistura entre Persa e Siamês, o gato Himalaio pode ser considerado uma raça a aparte ou apenas uma variação do Persa
Joseph Morris/Wiki Commons
Mistura entre Persa e Siamês, o gato Himalaio pode ser considerado uma raça a aparte ou apenas uma variação do Persa

Ainda muito popular em todo o mundo, devido à sua personalidade calma e pelos longos e macios, o gato Persa também recebe diferentes nomes de acordo com algumas características, como Longhair (pelos longos, em tradução direta), Chinchila para a variação prateada e Himalaio para a conhecida como “Colourpoint”, referência às tonalidades mais escuras em alguns pontos do corpo.

O Himalaio surgiu durante a década de 1930, do cruzamento do gato Persa com o gato Siamês , e foi considerada uma raça à parte até que a Cat Fanciers’ Association decidiu que o bichano se tratava de mais uma variação de cores do Persa.

A personalidade do gato Persa

O focinho curto do gato Persa é o responsável por diversos problemas de saúde do pet
Pixabay
O focinho curto do gato Persa é o responsável por diversos problemas de saúde do pet

A grande inteligência e o perfil mais calmo são os grandes destaques da personalidade da raça, esses traços ajudam os gatos Persa a se adaptarem melhor aos novos ambientes e às novas famílias.

São gatos bastante afetuosos e gentis, se dando muito bem com crianças e outros animais de estimação. Algo que pode agradar bastante a muitos tutores é que, ao contrário de muitas raças de gato, o Persa não é do tipo que gosta de sair para dar uma volta pela rua ou mesmo saltar pelos móveis da casa, para esse gatinho calmo, estar seguro dentro de casa parece ser a melhor opção.

A raça também não tem muitos instintos selvagens, por isso não tendem a morder ou arranhar muito. Além dos miados, os grandes olhos desses gatinhos também ajudam na comunicação, por isso é importante que o tutor fique atento aos sinais que o bichano pode transmitir por um simples olhar.

Apesar de se dar muito bem com crianças, não é um gatinho que está disposto a brincar com os pequenos o tempo inteiro e prefere, na maioria das vezes, apenas de uma companhia mais tranquila.

Cuidados com a higiene

Os gatos Pers apreferem ficar dentro de casa
Sena Yildirim/Pexels
Os gatos Pers apreferem ficar dentro de casa

A pelagem longa e macia do Persa se destaca pela beleza, mas todo esse charme do bichano exige muitos cuidados por parte do tutor, que deve  escová-lo todos os dias para evitar a formação de nós e a remoção de pelos mortos.

Os banhos também são necessários, junto à escovação, para evitar problemas com o acúmulo de bolas de pelo,  especialmente em gatos peludos, como é o caso do Persa. A raça também é propensa a infecções e seborreia oleosa, que exigem maiores cuidados, então é importante que se pergunte a um médico veterinário sobre produtos mais indicados para a higiene do pet.

Cuidados com a saúde

Os pelos do Persa exigem cuidados diários
EKATERINA BOLOVTSOVA/Pexels
Os pelos do Persa exigem cuidados diários

Assim como acontece com diversas raças caninas,  como o Pug, o desejo por um gato que atendesse às necessidades do que muitas pessoas consideram fofos afetou também, em muito, a saúde desses animais.

O gato Persa está propenso a uma série de problemas hereditários, muitos deles relacionados ao focinho curto (braquicefalia) e olhos grandes. O focinho achatado faz com que o animal tenha dificuldades para respirar e alta sensibilidade ao calor, sendo necessário que se mantenha sempre o pet em ambientes de temperatura controlada –  inclusive a calmaria do bichano vem da dificuldade que ele tem para respirar.

Os olhos do Persa também sofrem com excesso de secreção, por ter um canal lacrimal muito pequeno, ficam obstruídos e podem lacrimejar bastante. O indicado é que se higienize com soro fisiológico diariamente – importante que o tutor peça o auxílio de um médico veterinário.

A raça ainda pode sofrer com problemas de má oclusão dentária, atrofia progressiva da retina e doença renal. Apesar de todos os problemas comuns relacionados à raça, não necessariamente todos os gatos Persa sofrerão de maiores problemas de saúde.

Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, iG Pet Saúde está com novos planos. Cães e gatos podem contar com consultas de rotina e de emergência, cirurgias, vacinas e muito mais.  Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para você e para o seu pet!

Acompanhe o  Canal do Pet e os maiores destaques do Portal iG no Telegram !

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários