Tamanho do texto

Essa enfermidade se caracteriza pelo acúmulo anormal de líquidos na cavidade abdominal

Para quem é dono de um bichinho de estimação é importante reservar um tempo todos os dias para prestar atenção no que ele faz, brincar um pouco e se dedicar aos cuidados. Além de melhorar o afeto entre vocês, permitirá que perceba a tempo qualquer anomalia na saúde. Uma das doenças que pode ser rapidamente detectada por um tutor atento é a ascite em cães. 

Leia também: Aprenda a lidar com refluxo em cães e gatos, um problema bem comum entre os pets

Também chamada de derrame abdominal, a ascite em cães é uma enfermidade caracterizada pelo acúmulo anormal de líquidos na cavidade do abdômen. Num primeiro momento, ele não se caracteriza como um problema sério, uma vez que muitos animais conseguem — até certo ponto — conviver com a situação. 

Por outro lado, essa  enfermidade , quando não tratada, pode evoluir para algo mais grave e pressionar o diafragma, provocando dificuldade respiratória. Mas, o que realmente é preocupante é o transtorno que está causando esse sinal, uma vez que o fluído acumulado na cavidade abdominal pode vir dos órgãos internos, dos vasos sanguíneos ou dos nódulos linfáticos.

A melhor forma de avaliar a gravidade da ascite é determinando a causa subjacente e o estado dos tecidos. Por isso, é sempre bom estar alerta e recorrer ao veterinário assim que notar algo anormal na cavidade abdominal do pet. 

As possíveis causas da ascite em cães

Também chamada de derrame abdominal, a ascite em cães é uma enfermidade caracterizada pelo acúmulo anormal de líquidos na cavidade do abdômen
reprodução shutterstock
Também chamada de derrame abdominal, a ascite em cães é uma enfermidade caracterizada pelo acúmulo anormal de líquidos na cavidade do abdômen

A ascite é um problema que pode se originar de várias maneiras, por isso, é imprescindível que o veterinário realize todos os exames necessários para descobrir a real causa da doença. Apesar de existir diversas fatores, é possível destacar as mais comuns. 

Níveis baixos de proteína no sangue, insuficiência cardíaca, traumatismo com rotura de órgãos internos, tumores com sangramento, doenças no fígado, rotura de vasos sanguíneos, transtornos de coagulação, inflamação do peritônio (peritonite) e transtornos renais são alguns problemas que podem originar a ascite.

Leia também: Dificuldade para defecar é um indício de prisão de ventre canina

Os sintomas que denunciam a ascite canina

A ascite em cães é um problema que pode se originar de várias maneiras, por isso é preciso que o veterinário realize os exames necessários para descobrir as causas
reprodução shutterstock
A ascite em cães é um problema que pode se originar de várias maneiras, por isso é preciso que o veterinário realize os exames necessários para descobrir as causas

Como a ascite não um problema em si, muitos donos demoram a detectá-la e isso pode ser ruim em longo prazo. Por isso, é importante estar atento aos sintomas que acompanham a doença para evitar a evolução da mesma. 

A distensão abdominal é a principal manifestação da ascite. Você irá notar que a barriga do animal está inchada e anormal, provocando desconforto. Além desse sintoma, outros podem vir acompanhados e indicar a presença da ascite, como perda de apetite, letargia, vômitos, aumento do peso, sinais de dor, gemidos ao deitar, dificuldade para respirar e outros incômodos. 

Assim que perceber qualquer um desses sinais, leve o bichinho imediatamente ao veterinário. Exames serão feitos para diagnosticar o problema e iniciar o melhor tratamento. 

Diagnóstico da doença

A distensão abdominal é a principal manifestação da ascite em cães. Você irá notar que a barriga do animal está inchada e anormal, provocando desconforto
reprodução shutterstock
A distensão abdominal é a principal manifestação da ascite em cães. Você irá notar que a barriga do animal está inchada e anormal, provocando desconforto

Para chegar ao diagnóstico correta da ascite, será pedido exames de imagem, como radiografia, ecografia abdominal, ultrassonografia, dentre outros. O veterinário também poderá exigir um exame de urina e, além disso, geralmente é feito o esvaziamento do líquido acumulado no abdômen, que posteriormente será analisado para descobrir a causa exata do problema. 

Leia também: O hipertireoidismo em cães e gatos existe e precisa ser tratado

Tratamento da ascite canina

Se a causa da ascite em cães for uma infecção, é bem provável que o veterinário receite fármacos antibióticos, que devem ser administrados regularmente pelo dono
shutterstock
Se a causa da ascite em cães for uma infecção, é bem provável que o veterinário receite fármacos antibióticos, que devem ser administrados regularmente pelo dono

Como a ascite em cães pode surgir de várias formas, o tratamento irá depender de cada causa e da gravidade da situação. Por exemplo, se o problema se originou de uma infecção, será receitado fármacos antibióticos. Mas, se o motivo for um tumor, a intervenção cirúrgica é a melhor forma de resolver. 

Por isso, realizar todos os exames diagnósticos é imprescindível nesse momento. Só assim o veterinário conseguirá definir o melhor tratamento para seu bichinho. Assim que ele for determinado, será feito um seguimento para avaliar como o cão responde ao tratamento e se é necessário trocar.

Além disso, em casa também é possível ajudar na melhora do animalzinho alterando sua dieta. Procure oferecer alimento com baixa quantidade sal, uma vez que o sódio agrava a acumulação de fluídos corporais. Para encontrar rações com baixa quantidade dessa substância basta olhar o rótulo atrás do pacote. Ou, se preferir, invista da alimentação natural , já que é a melhor forma de controlar a quantidade de sal oferecida. 

Como prevenir esse problema

Seguir à risca o programa de vacinação estabelecido é uma forma de proteger o pet de outras doenças e, consequentemente, evitar a ascite em cães
reprodução shutterstock
Seguir à risca o programa de vacinação estabelecido é uma forma de proteger o pet de outras doenças e, consequentemente, evitar a ascite em cães

É difícil determinar um método que garanta 100% a prevenção da ascite, pois são muitas causas que a originam. Porém, existem alguns meios que ajudam a reduzir o risco dela se desenvolver, como oferecer bons alimentos. Economizar na ração e deixar de lado a qualidade é uma péssima escolha. Prefira investir em comidas boas, pois isso garante a saúde do pet.

Jamais automedique seu companheiro. Por mais que nós façamos isso, é perigoso repetir com os animais. Oferecer o medicamento errado pode por em risco à saúde dele e agravar a situação. Além disso, nunca dê remédio de uso humano.

Leia também: Você sabe o que é polifagia? Descubra se seu cão tem esse problema

Outra dica é manter seu cão em um lugar seguro na casa para evitar acidentes e traumatismos. O mesmo vale durante os passeios. Só saia usando guia e coleira para minimizar os riscos. Por último, siga à risca o programa de vacinação estabelecido. Proteger o pet de outras doenças é uma forma de prevenir que a ascite em cães de desenvolva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.