Aplicativo promete ajudar a localizar pets perdidos por meio de reconhecimento facial
Tomasz Brzozowski/Pixabay
Aplicativo promete ajudar a localizar pets perdidos por meio de reconhecimento facial

Perder o animal de estimação é um dos maiores pesadelos de quem se considera “pai de pet” e, por mais cuidadoso que seja o tutor, é algo que pode acontecer. Os gatos que saem para dar uma volta, cachorros que não podem ver um portão aberto que já fogem por ele, são ocasiões em que os animais ficam sujeitos a diversos perigos pelo caminho. Isso sem mencionar épocas em que o uso de fogos de artifício é comum e os animais ficam assustados e se perdem com maior facilidade.

Pensando em situações como essas, uma empresa especializada em produtos para pets criou um aplicativo gratuito de reconhecimento facial, a plataforma Pupz, disponível para Android e IOS.

O amor pelos animais aumenta a cada dia, com o termo “pais de pet” deixando de ser um exagero, com muitos casais adiando a gravidez ou até optando por não ter filhos, adotando um animal de estimação e dando ao pet tudo o que (considerando as devidas proporções) dariam a uma criança: como dar festas de aniversário, levar nas viagens em família, entre muitas outras.

A adoção de animais aumenta a cada dia no Brasil e a pandemia impulsionou ainda mais esse tipo de iniciativa, segundo a pesquisa Radar Pet 21, cerca de 30% dos animais dos tutores entrevistados foram adotados neste período. De acordo com um levantamento realizado pela União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), somente nos primeiros meses da crise sanitária, a adoção de animais cresceu 400%.

Com o crescimento do número de animais nos lares brasileiros, a preocupação pela segurança dos pets também aumenta e a tecnologia proporciona diversas soluções para quem não quer perder os passos dos pets. Carlos Fabbro, especialista em tecnologia, é tutor de uma Golden Retriever chamada Chanel, que é também a sua grande musa inspiradora para a criação do aplicativo de reconhecimento facial, além de toda uma empresa voltada para a criação de produtos de segurança para animais de estimação.

Segundo Carlos, foram anos de desenvolvimento para chegar ao aplicativo, que usa inteligência artificial para ligar os pontos da face do animal para identifica-lo. “Para isso, nós utilizamos três redes neurais convolucionais, uma classe aplicada com sucesso no processamento e análise de imagens digitais, e que é a base para o reconhecimento facial dos pets em nosso sistema”, explica.

Quem quiser testar o aplicativo pode baixar gratuitamente nas lojas de aplicativos de seu sistema operacional – Android e IOS. Após a instalação basta seguir com o cadastro na plataforma com os dados do tutor e do pet, utilizando a câmera do celular para fazer o reconhecimento facial do pet, que ficará arquivado na plataforma.

Mas funciona mesmo? Nós testamos!

Testamos o aplicativo das Pupz
Myriams/Pixabay
Testamos o aplicativo das Pupz

Dentro do aplicativo o tutor poderá encontrar listas com canis e gatis, ONGs e abrigos para adoções, passeadores, locais para festas e buffets, veterinários, pet shops, adestradores, crematórios, achados e perdidos entre outros – desde que estes estejam cadastrados no banco de dados da empresa.

Além de contratar e controlar serviços – como adestradores, passeadores e outros – o tutor ainda tem disponível uma lista de produtos de lojas parceiras e pode efetuar compra e pagamento dentro do próprio app (o Canal do Pet não realizou nenhuma compra para teste).

Na lista de achados e perdidos os usuários poderão ver animais de outros tutores que estejam desaparecidos em uma determinada faixa de distância (dentro do bairro onde mora, por exemplo). Caso um animal perdido seja encontrado, é possível entrar em contato por chat com o tutor, para que esse pet seja devolvido ao lar.

O tutor poderá também preencher uma ficha com todos os dados do pet, como dados saúde, segurança, bem-estar, familiares (pedigree), entre outras.

Na área de cadastros foram encontrados alguns problemas: três endereços de e-mail diferentes foram testados e todos apareceram como inválidos ou já cadastrados. Para incluir o pet no sistema não é necessário um cadastro prévio e foram testados dois animais, um cão e um gato.

Nesta área o tutor deve cadastrar uma foto do animal para que seja feito o reconhecimento em caso de desaparecimento. Nos testes, porém, não foi possível incluir as seis fotos solicitadas pelo aplicativo de cada animal: quando o tutor inclui a foto do primeiro pet, elas vão aparecer para ambos. Ao incluir as fotos do segundo, elas vão substituir a do primeiro, aparecendo em ambos também, ou seja, ainda não há como cadastrar dois animais ao mesmo tempo. Outro grande problema é que, ao fechar o app, todas as fotos supostamente salvas desaparecem.

Muitas das funções ainda estão em fase de testes, como informado dentro do próprio app. Apesar dos problemas mencionados, ter uma plataforma em que os tutores podem manter todos os dados necessários sobre o pet e ainda ajudar a identificar animais desaparecidos e ter os seus próprios encontrados, de forma gratuita, pode ser bastante atrativo.

Para garantir que os pets tenham sempre ajuda quando necessário, o iG Pet Saúde oferece aos tutores consultas emergência e até opção de transporte ao veterinário. Confira  essas e outras vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para cães e gatos, com 50% de desconto nos três primeiros meses. Acompanhe o  Canal do Pet também no Telegram!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários