Tamanho do texto

A função do psicólogo de animais é estudar a conduta e o comportamento dos pets para determinar o que acontece em sua mente

O mercado para pets não para de crescer. A cada dia aparece uma novidade para melhorar a vida deles e nos ajudar com os cuidados. Uma das áreas de atuação mais recentes é o psicólogo de animais. Essa profissão pode parecer boba e fútil num primeiro momento, mas está longe de ser verdade. Os bichinhos também sofrem de depressão, ansiedade, hiperatividade e outros distúrbios, precisando de ajuda especializada.

Leia também: Você tem um gato elétrico em casa? Entenda por que ele não fica quieto

É nesses casos que o psicólogo de animais atual, para ajudar a melhorar a vida de pets que estão sofrendo. Procurar por um profissional é de vital importância para garantir a saúde mental do seu companheiro. Por isso, conheça tudo sobre essa nova área de atuação e descubra se o pet está precisando de um consulta.

O psicólogo de animais estuda a conduta e o comportamento dos pets para determinar o que acontece em sua mente
reprodução shutterstock
O psicólogo de animais estuda a conduta e o comportamento dos pets para determinar o que acontece em sua mente

O que o psicólogo de animais faz?

Essa nova área profissional visa estudar a conduta e o comportamento dos animais, de modo a entender o que está acontecendo em sua mente para agir de tal maneira. Depois de encontrar o diagnóstico, saberá como tratar o bichinho. Em alguns casos, é necessário até examinar a conduta dos donos, a fim de encontrar possíveis causas para o transtorno do pet.

Em resumo, a psicologia de animais não é algo fútil ou bobo. Muito pelo contrário, eles lidam com algo sério, ajudando veterinários e donos a entenderem os problemas vividos pelo bichinho, assim como melhorar a convivência entre todos. 

Métodos usados pelos especialistas

Para conseguirem ajudar seu companheiro, esses especialistas se dedicam a entender a relação da linguagem corporal dos animais com transtornos mentais, depressões, ansiedade e medos. Dependendo do tipo de conduta apresentado, o psicólogo irá agir de um jeito ou de outro. O profissional poderá receitar remédios ou métodos terapêuticos, por exemplo.

Normalmente, um psicólogo é de grande ajuda para quem tem um animal triste, apático ou desamparado. Para tratá-lo, pode ser necessária a separação de dono e pet. Por mais que doa ficar longe do bichinho, o tratamento trará grandes benefícios para todos. 

Em casos mais graves, internar o animal em um centro se torna uma opção, assim como acontece com os humanos. Um médico irá tratar o pet, prescrever o medicamento apropriado e realizar uma série de exercícios ou terapia, visando a melhora da saúde mental. 

Leia também: Cachorro hiperativo? Saiba como amenizar o comportamento desses animais

Por sorte, quase todos os transtornos mentais podem ser resolvidos. No entanto, como a psicologia animal ainda não é tão conhecida, os donos recorrem à pessoas sem o preparo adequado. Isso faz com que o bichinho não seja tratado corretamente e continue doente. Então, se notar sinais estranhos no comportamento do seu amigo, procure um psicólogo profissional e de confiança. 

Qualquer alteração na conduta do animal deve ser considerado um alerta para os donos
reprodução shutterstock
Qualquer alteração na conduta do animal deve ser considerado um alerta para os donos

Como saber se o pet precisa de um psicólogo?

Num geral, o principal indicativo de que o animal precisa de um psicólogo é uma mudança brusca e repentina de comportamento. Se ele está fazendo algo que nunca havia feito antes e agora passou a ser comum, fique atento. Latidos em excesso, sinais de depressão, agressividade repentina, são exemplos de sinais de alteração na conduta.

Caso presencie essas mudanças, não perca tempo e procure um profissional adequado. O psicólogo é uma ótima alternativa para solucionar esses problemas.

O funcionamento de uma consulta

Ao marcar a consulta com o profissional, ele irá até sua casa para um atendimento de aproximadamente uma hora. É importante que todos que convivam com o animal participem do atendimento, para que contem detalhadamente os problemas vividos com o pet.

Lembre-se de relatar todo o histórico do animal, seja as mudanças nas ações, comportamento agressivo, automutilação, etc. Quanto mais informações o psicólogo tem mais facilmente irá entender os fatores que desencadearam tal problema e, consequentemente, encontrar um tratamento adequado.

Em algumas consultas já é possível identificar a causa e formular uma solução, mas não é via de regra. Em alguns casos podem levar meses e nem sempre o tratamento é uma cura, podendo somente amenizar o comportamento problemático. 

Num geral, para solucionar o caso, o psicólogo irá recomendar mudança na rotina e comportamento dos donos. É uma maneira de alterar indiretamente a conduta do animal, pois suas ações refletem o dono e o ambiente em que vive. Por exemplo, uma família que briga muito pode gerar comportamento agressivo ou de isolamento no pet.

Leia também: Como lidar com cachorros que demonstram ter medo de pessoas

No entanto, um dos maiores empecilhos para obter um resultado satisfatório é a falta de comprometimento da família. A mudança de conduta dos membros da casa, proposta pelo psicólogo, deve ser permanente e não somente até o animal melhorar. Se não, os problemas continuarão voltando e nunca será solucionado. 

Para que o tratamento seja efetivo, cabe aos donos colaborarem e tornarem as mudanças na casa efetivas
reprodução shutterstock
Para que o tratamento seja efetivo, cabe aos donos colaborarem e tornarem as mudanças na casa efetivas

Escolhendo um bom psicólogo

Infelizmente, ainda não há um curso de especialização para atuar na área de psicologia animal. Por isso, os profissionais desse ramo são, em geral, psicólogos, veterinários, biólogos e zootecnistas. De qualquer forma, não devamos confundi-los com adestradores ou treinadores. Esses especialistas são licenciados em Etologia e estudaram para entender comportamento animal. 

Para encontrar um bom psicólogo, peça ao seu veterinário a indicação de algum. Lembre-se de checar o histórico profissional para ter certeza de que ele é capacitado. Você poderá participar das primeiras sessões. Durante a consulta, fique atento ao modo como seu animal é tratado e como reage a presença do especialista. Isso irá dizer muito sobre sua competência. 

Leia também:  Você tem um gato agressivo? Saiba o motivo do problema e como tratá-lo

Se achar que a relação pet-animal não está dando certo, está no seu direito procurar por outro e recusar futuras consulta. Continue em busca de um psicólogo de animais até encontrar algum que dê certo com seu amigo. Essas medidas são importantes para garantir bons resultados no tratamento e o problema nunca mais voltar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.