A alimentação é adaptada conforme o crescimento dos filhotes
Shutterstock
A alimentação é adaptada conforme o crescimento dos filhotes

Ter uma ave de estimação, como uma calopsita ou um papagaio, é o sonho de muita gente e isso exige inúmeras responsabilidades. Desde a questão financeira para se manter uma boa qualidade de vida, até o tempo disponível para interagir e brincar com as aves.

A parte mais básica disso está na alimentação, especialmente quando se adquire uma ave ainda filhote –  ou se resgata uma que tenha caído do ninho -, é preciso todo um cuidado para que a ave possa se alimentar e garantir que cresça com todos os nutrientes necessários para uma boa saúde, independentemente de qual seja a espécie.

“Em geral, quem resgata ou adquire uma ave pela primeira vez não tem nenhuma prática para fazer o trato, então a forma mais correta de se oferecer o alimento ao filhote é por meio de colheres”, explica o especialista em criação de aves Gabriel Doimo ao Canal do Pet.

Contudo, Gabriel reforça que não se trata de uma colher comum, “são como colheres de chá com as laterais dobradas, formando um ‘funil’ na parte da frente, no qual a ave irá encaixar o bico para se alimentar”. Servir o alimento com seringas também é uma opção, mas recomendado mais para pessoas que já tenham alguma experiência.

A colher pode ser encontrada por cerca de R$ 5,00 em lojas especializadas
Divulgação/Pet Store Horizonte
A colher pode ser encontrada por cerca de R$ 5,00 em lojas especializadas

Ao adquirir uma ave de um criador certificado, é imprescindível que o tutor pergunte qual alimento a ave estava recebendo até ali, para que continue recebendo o mesmo. “De preferência que seja da mesma marca e modelo de papinha”, ressalta.

“No caso de filhotes resgatados, é necessário identificar a espécie desse filhote e fornecer uma papinha destinada para aquela espécie, sempre respeitando as dosagens recomendadas pela fabricante”, diz Gabriel. Em caso de dúvidas, é importante pedir a orientação de um médico ou criador especializado.

Como deve ser oferecida a papinha para aves filhotes?

Gabriel explica que os alimentos para filhotes são vendidos em pó, que deve ser misturado com água e transformado em papa. Água em uma temperatura em torno de 35°C, adicionada aos poucos, até conseguir uma consistência adequada para o alimento que será fornecido com seringa ou colher.

O alimento deve ser preparado apenas na quantidade a ser oferecida no momento, o que sobrar deve ser descartado.

Um alimento para casa espécie

O especialista explica que cada ave tem uma necessidade nutricional diferente, o que se aplica também quando ainda são filhotes.

“A divisão mais comum são as papas de: ‘passeriformes’ e ‘psitacídeos’. As papinhas variam em sua composição e nos níveis de garantia dos componentes, mas principalmente em: proteínas, extrato etéreo, ferro e cálcio”, explica.

Para as espécies passeriformes a composição das papas será diferente das papas e, as espécies psitacídeos, que por serem maiores, têm outras necessidades nutricionais.

Comedouros e bebedouros para aves

As comidas para calopsita devem ser muito bem selecionadas
shutterstock
As comidas para calopsita devem ser muito bem selecionadas

“Quando filhotes, toda a fonte de água do pássaro é obtida da papinha, então nos primeiros dias de vida não é necessário comprar comedouros e nem bebedouros”, explica Gabriel.

À medida em que a ave cresce ela desenvolve a capacidade de se alimentar sozinha, e é aí que o comedouro e bebedouro se tornam necessários, para incentivá-la a comer por conta própria.

“Há diversos modelos, mas em se tratando de filhotes os modelos mais indicados são tigelas que fiquem no chão da gaiola, afinal é onde os filhotes estão”, explica. “O ideal são tigelas rasas para que a ave consiga alcançar o conteúdo”.

Importante lembrar que as tigelas devem ser compatíveis com o tamanho dos animais. “Uma tigela de canário deve obviamente ter um diâmetro menor que uma tigela de papagaio”, exemplifica.

Quando as aves crescem e se tornam adultas outros modelos podem ser utilizados, como os que ficam no alto da gaiola. “Porém esses modelos não são adequados para filhotes, pois eles ainda são incapazes de subir em poleiros ou em grandes alturas em uma gaiola”, alerta.

A quantidade de alimento ideal para cada ave

Algumas crianças tem preferência por pássaros na hora de escolher um animalzinho
reprodução shutterstock
Algumas crianças tem preferência por pássaros na hora de escolher um animalzinho

Gabriel diz que essa é uma questão a ser observada pelo tratador durante o trato. “Deve-se palpar o papo da ave conforme ela se alimenta e, quando senti-lo cheio, parar. A própria ave, quando tratada na colher, irá dar sinais de que está satisfeita, recusando a papinha”.

Para uma boa alimentação, é importante observar a diluição da papa, que varia com o tempo. “Nos primeiros dias de vida a papa deve ser mais líquida. Conforme o filhote cresce, aumenta-se a consistência da papa, sempre respeitando a diluição indicada pelo fabricante”, orienta.

Para os filhotes maiores, uma dica é bater a papa em um liquidificador junto com mamão. “Isso aumenta a consistência da papa além de ser uma fonte extra de nutrientes”, complementa.

Dicas importantes para se cuidar bem de um filhote:

  1. Nos primeiros dias de vida a ave ainda não tem sustentação nas pernas, por esse motivo ela deve ser colocada em recipientes forrados com serragem ou algodão. Quando o filhote cresce e já consegue se manter em pé, aí sim ele pode ser colocado em uma gaiola.
  2. É importante manter o filhote em ambiente aquecido!
  3. É extremamente gratificante tratar um filhote no bico, porém isso não será para sempre. Nos primeiros dias, o filhote será tratado várias vezes ao dia com a papinha. Conforme ele cresce, a frequência dos tratos diminui. Na parte final desse processo, quando a ave estiver bem desenvolvida e o trato com papinha for feito poucas vezes por dia, é importante deixar um comedouro com sementes ou rações e um bebedouro com água para que a ave tenha contato com o alimento que ela irá consumir quando adulta. É dessa forma que ela aprenderá a comer sozinha e não irá mais precisar se alimentar de papinha.

Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, o iG Pet Saúde conta com planos que incluem visitas de rotina, internações, cirurgias, aplicações de vacinas e muito mais.  Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para deixar o seu pet feliz!

Acompanhe o Canal do Pet  e os maiores destaques do Portal iG no Telegram !

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários