Um criatório deve ter uma maternidade para aves recém-nascidas
Criadouro Horizonte/Divulgação
Um criatório deve ter uma maternidade para aves recém-nascidas

O crescimento do número de animais de estimação  cresceu exponencialmente nos últimos anos, especialmente durante o isolamento causado pela pandemia de Covid-19 – que teve seu ápice durante o ano de 2020. Muitos cães e gatos foram adotados, mas nem todos os tutores optaram em ter animais de quatro patas, ou resolveram dar uma companhia diferente aos animais que já tinham em casa, dando espaço às aves como pet.

Segundo dados da Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação), no Brasil existem cerca de 140 milhões de animais de estimação, sendo cerca de 55 milhões de cachorros, quase 25 milhões de gatos e surpreendentes 40 milhões de aves canoras e ornamentais – ainda que pareça pouco, o crescimento do número de gatos (8,1%) quase dobrou, se comparado ao número de cães (3,8%).

O que atrai muito a atenção das pessoas para as aves é que esses pequenos animais requerem menos tempo e atenção do que cães e gatos, porém se engana quem imagina que basta deixar o animal dentro de uma gaiola e alimentá-lo vez ou outra, pois aves também precisam de interação, brinquedos e até passeios.

A importância de adquirir uma ave no lugar certo

Uma ave de estimação deve sempre vir de um criadouro legalizado que atenda a todos os requisitos que ajudam a garantir que o animal terá a melhor saúde e qualidade de vida possível. Como explica o especialista em criação de aves, Gabriel Doimo, para ter o “status” de criatório legalizado é preciso atender uma série de requisitos exigidos pelos órgãos ambientais, com um projeto detalhado que passará por frequentes vistorias.

Os principais são:

  • Gaiolas na medida correta para cada espécie
  • Guia de manejo, como será feito o trato das aves
  • Cozinha própria
  • Quarentenário para as novas aves que chegam ou para aves que estão com alguma doença
  • Maternidade para os filhotes, com chocadeiras para os ovos e incubadoras para os filhotes recém-nascidos;
  • Veterinário responsável

“Sendo assim, adquirir uma ave proveniente de um criatório é praticamente uma garantia de que se está adquirindo uma ave saudável. Além, é claro, de apoiar indiretamente todo um trabalho de preservação”, explica Gabriel ao Canal do Pet.

É comum se ter o pensamento de que “lugar de ave é na natureza” – o que não está errado -, porém, sejam causados pelo tráfico de animais ou a destruição do habitat dessas aves, muitas já desapareceram da natureza e os criadores passam a exercer um trabalho também de preservação de diversas espécies.

“Hoje o criadouro legalizado é comprovadamente o maior responsável pela preservação das espécies, até mesmo de espécies que já se encontram extintas na natureza”, conta Gabriel, que exemplifica com o caso da Ararinha Azul, que há mais de 20 anos é considerada extinta.

“Graças ao trabalho de uma ONG alemã, órgãos brasileiros e criadores de todo o mundo, conseguiram a reprodução da espécie, adaptando essas aves para a vida selvagem e realizando a soltura de alguns indivíduos em uma região de Caatinga, no norte da Bahia. A soltura mais recente foi feita no mês passado, oito ararinhas foram soltas no dia 11 de junho em Curaçá”.

O que considerar antes de ter uma ave pet?

Cacatua
Criadouro Horizonte/Divulgação

Cacatua criada em cativeiro de forma legalizada

Um dos fatores que se deve pensar quando se deseja ter uma ave como pet está relacionado ao espaço disponível para o animal. De acordo com Gabriel, uma ave pode ser recebida em qualquer moradia, desde um apartamento, até chácaras e sítios. Desde que se tenha o espaço para encaixar uma gaiola adequada para a espécie e o tempo disponível para atender às necessidades do animal.

“O principal a ser levado em consideração é o tempo que a pessoa terá para cuidar daquela ave. Não é um pet que exige muitos cuidados especiais, mas requer muita dedicação e carinho. A pessoa que pensa em adquirir uma ave deve se certificar de ter ao menos meia hora do seu dia para interagir com aquela ave, brincar e fazer atividades fora da gaiola. Um banho de sol, mesmo que seja dentro do apartamento, é sempre bem-vindo”, orienta.

Até mesmo passeios devem ser uma opção, quando possível, “sempre que sair de casa a passeio e for a lugares ‘pet friendly’, é legal levar a ave junto para passear, conhecer novos lugares e tomar novos ares”.

Gabriel indica também que os tutores que já tenham outros animais em casa, sejam aves ou outras espécies, que dediquem um tempo para que todos possam conviver em harmonia.

“O tutor deve se certificar de que eles se acostumem uns com os outros antes de deixá-los juntos de imediato. Deixá-los à vista um do outro por alguns dias, sempre estar por perto nos primeiros ‘encontros’ e ir avaliando o comportamento deles. Em geral, as aves são muito amigáveis e se dão muito bem com cães e gatos”, explica.

Uma vida além da gaiola

O especialista ressalta que as aves precisam de um tempo livre, e que se trata de algo fundamental para a saúde mental delas, evitando também comportamentos indesejados.

“Uma ave que passa muito tempo presa, sem interação com ninguém e sem nenhuma atividade acaba ficando estressada. Com isso,  ela pode gritar mais e é muito comum que arranque as próprias penas,  o que é altamente indesejável”, diz.

Gabriel indica que, quando a ave estiver dentro da gaiola, é recomendado o uso de brinquedos, de tipos e cores variados para que ela se mantenha entretida, especialmente quando não há nenhum responsável em casa.

“Quando houver alguém em casa, mas não for possível dar atenção para a ave, o ideal é abrir a gaiola e deixá-la explorar o lado de fora da gaiola e até mesmo da casa como um todo (lembrando sempre de fechar as janelas ou de utilizar telas para evitar fugas e acidentes)”, completa.

Quem deseja ter sempre a presença de aves em casa, mesmo em apartamentos, mas não pode assumir a responsabilidade de se manter uma ave como pet, também é possível atrair pássaros da natureza, sem que se precise mantê-los como animal de estimação, o  Canal do Pet pode te ajudar a manter os pássaros por perto sem privá-los da liberdade.


Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, iG Pet Saúde está com novos planos. Cães e gatos podem contar com consultas de rotina e de emergência, cirurgias, vacinas e muito mais.  Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para você e para o seu pet!

Acompanhe o Canal do Pet  e os maiores destaques do  Portal iG no Telegram!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários