Cães atletas possuem condicionamento físico aprimorado com exercícios e alimentação
Reprodução/Pixabay
Cães atletas possuem condicionamento físico aprimorado com exercícios e alimentação

É comum se falar que animais de estimação, principalmente os cães, precisam realizar atividades físicas para garantir uma melhor qualidade de vida e evitar problemas como o sobrepeso . Contudo, alguns vão muito além de uma caminhada com os tutores e buscar a bolinha, se tornando verdadeiros cães atletas. Mas, além de sair por aí com o cachorro praticando exercícios – que devem ter a orientação de profissionais qualificados – também é necessário um cuidado especial com a alimentação do pet, para que dê conta do gasto de energia e não tenha maiores complicações.

Para a médica veterinária Wandrea Mender, antes de pensar em suplementação alimentar para o cão, é preciso lembrar que  os atletas precisam receber um alimento nutricionalmente completo e balanceado, que irá fornecer energia e todos os nutrientes em quantidades suficientes para sua manutenção.

“Os alimentos para cães atletas devem ser ricos em energia (calorias), proteínas e apresentar alta digestibilidade, ou seja, ser produzidos com ingredientes de fácil digestão. Essas características são muito importantes para suprir as necessidades nutricionais do animal e evitar produção de gases e amolecimento das fezes”, explica a veterinária.

A energia – ou calorias – e a proteína são os pontos mais críticos e correlacionados, sendo muito comum o interesse por essa dupla suplementação. As fontes de proteína devem ter um elevado valor biológico, sendo extremamente aproveitáveis, fornecendo aminoácidos essenciais. O nível e a fonte de energia recomendados para cada cão vai variar de acordo com a intensidade e duração dos exercícios praticados.

“Para os exercícios de intensidade baixa a moderada, mas de longa duração, as gorduras e proteínas constituem as melhores fontes de energia. Já para os exercícios intensos de curta duração os cães precisam de uma fonte de energia disponível mais imediatamente, portanto os carboidratos são as melhores opções”, afirma a profissional.

Primeiramente são utilizadas as reservas de carboidratos dos músculos – glicogênio – para então fazer a reposição por meio da dieta. Carboidratos são mais susceptíveis a gerar fermentação intestinal e tanto o excesso quanto algumas fontes devem ser evitadas pelos tutores de cães atletas, para prevenir que os animais tenham diarreia.

Você viu?


Quais são os suplementos alimentares para cães atletas?

O porte musculoso dos cães atletas chama a atenção
Reprodução/Pixabay
O porte musculoso dos cães atletas chama a atenção

Como são cães que gastam muita energia na prática de esportes e exercícios, há um maior interesse em relação as calorias e proteínas, contudo, outros suplementos podem trazer benefícios específicos, sendo bem semelhantes aos utilizados por atletas humanos.

A diferença é que atletas humanos, geralmente, consomem os suplementos puros, já para os cães eles devem fazer parte de suplementos mais completos.

  • Maltodextrina: fornece calorias de forma rápida. Humanos normalmente fazem uso da maltodextrina pura, diluída em sucos durante e após os treinos.
  • Whey protein: é obtido da proteína do soro do leite, oferece todos os aminoácidos essenciais para os músculos, indicado tanto para o ganho muscular quanto para ajudar na recuperação dos mesmos para animais e humanos atletas.
  • L- carnitina (carnitina ou levocarnitina): quando administrada junto a uma dieta rica em calorias, promovem o melhor funcionamento cardíaco, do cérebro, favorecem o ganho de massa muscular e melhora de performance em cães atletas.
  • BCAAs (aminoácidos de cadeia ramificada): valina, leucina e isoleucina. Promovem a construção de massa muscular, redução da fadiga e aumento da capacidade de recuperação após o exercício.
  • Triptofano: aminoácido que aumenta a produção de serotonina, que reduz o estresse, distúrbios metabólicos e gastrointestinais.
  • Alanina: aminoácido usado como fonte de energia e reduz produção de ácidos nos músculos, decorrentes do exercício intenso.
  • Glutamina: aminoácido usado como fonte de energia pelo intestino e que se associa à melhora da imunidade.
  • Colágeno hidrolisado: fonte de proteínas que podem auxiliar a preservar ou mesmo favorecer o ganho de massa muscular.
  • Colágeno tipo II, condroitina e glucosamina: preservam as articulações, principalmente em animais mais velhos e aqueles que praticam exercícios de impacto para as articulações.
  • Vitamina C: reduz os danos causados por radicais livres e estimula a síntese de colágeno, a proteína mais abundante no organismo, muito importantes para as articulações e musculatura dos cães atletas.
  • Vitamina E: reduz os danos causados por radicais livres e auxilia na redução da inflamação articular induzida pelo estresse/exercício ou pela idade.
  • Ômega-3 (EPA + DHA): obtidos normalmente de óleo de peixe, auxiliam a reduzir a inflamação muscular e articular induzida pelo estresse/exercício e melhoram a reabilitação de cães atletas.
  • Betaglucanas: contribuem com a saúde intestinal, redução das inflamações muscular e articular e melhorem as defesas naturais dos cães atletas.

Riscos para a saúde do animal

Pitbulls estão entre as raças mais comuns entre os cães considerados atletas
Reprodução/Pixabay
Pitbulls estão entre as raças mais comuns entre os cães considerados atletas

Wandrea Mendes alerta para a atenção, cuidados com a nutrição/suplementação do animal para evitar erros que possam causar prejuízos, que variam de leves a graves. “Toda suplementação deve ser realizada sob orientação e supervisão de um profissional capacitado que, no caso dos cães atletas, são o médico-veterinário ou o zootecnista”, explica.

Qualquer cachorro pode ser um atleta, ou há alguma condição especifica?

Existem raças mais populares entre os cães atletas, como o Greyhound e o Whippet, conhecidos por sua alta velocidade, e raças como o pitibull , os bull terrier, Boxer, Rottweiler, o American bully , Doberman, Dogue Alemão e dogo argentino, que podem chegar atingir portes bem musculosos.

A veterinária afirma que uma boa combinação genética, aliada à nutrição e exercícios adequados são essenciais para o desenvolvimento e manutenção muscular. Em muitos casos de cães atletas, é feito o que se chama de “melhoramento genético”, no qual são selecionados cães por suas melhores qualidades (como porte físico, saúde e até temperamento) e realizado cruzamentos. Com isso os criadores visam aprimorar e garantir qualidades desejadas e evitar doenças hereditárias.

“O melhoramento genético é muito mais forte em países que originam as raças de cães atletas. Portanto, no Brasil, nós nos beneficiamos ao adquirir os padreadores (reprodutores) que serão utilizados para reprodução no Brasil”, completa a veterinária.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários