Claudia Valente Kantz é médica veterinária e atende em uma clínica no Rio Comprido.
Claudia Valente Kantz/ Arquivo pessoal
Claudia Valente Kantz é médica veterinária e atende em uma clínica no Rio Comprido.

“Vacinar os pets é um ato de amor”. A frase da médica veterinária Claudia Valente Kantz, que atende em um ambulatório de clínica geral na Pet Mania, no Rio Comprido, joga luz sobre a importância de manter a carteirinha dos animais em dia . De acordo com a especialista, seguir o calendário de vacinação de cães e gatos é a maneira mais eficaz de cuidar da saúde dos animais e, ao mesmo tempo, impedir que eles transmitam doenças para os seus tutores.

Uma forma de evitar que uma pessoa contraia leptospirose é vacinando os bichinhos do lar, já que há um imunizante que previne esta doença em cachorros e felinos, mas não em humanos. A raiva é outro exemplo. Esta vacina, inclusive, é fornecida gratuitamente pelo Ministério da Saúde. As demais são aplicadas em unidades de saúde particulares.

"Sabemos que uma parcela da população negligencia a importância de vacinar as suas crianças e, lamentavelmente, o mesmo acontece com os pets. A partir dos 45 dias de vida, cães e gatos já devem tomar as primeiras doses dos imunizantes que previnem uma série de vírus. É comum que os tutores fiquem atentos ao calendário de vacinação só enquanto os pets são filhotes. Mas isso é um erro. Há vacinas que devem ser feitas anualmente", ressalta Claudia Kantz.


O calendário de vacinação para cães começa a partir dos 45 dias de vida
Reprodução
O calendário de vacinação para cães começa a partir dos 45 dias de vida


De acordo com a médica veterinária Camila Tavares, do Centro Veterinário da Lagoa, a vacinação de cães é iniciada na sexta semana de vida, com a aplicação da múltipla canina (geralmente V8, V10 ou V12), que protege contra leptospirose, cinomose, hepatite infecciosa, adenovirose, coronavirose, parainfluenza e parvovirose. Já a vacina antirrábica é administrada em dose única com 12 semanas. As duas são consideradas essenciais e devem ser reforçadas todos os anos.


A exemplo dos cães, os gatos também devem ser vacinados a partir de um mês e meio após o nascimento
Reprodução
A exemplo dos cães, os gatos também devem ser vacinados a partir de um mês e meio após o nascimento

Para os gatos, as recomendadas são a vacina múltipla ou polivalente (V4 ou V5). A primeira protege contra panleucopenia, rinotraqueíte, calicivirose e clamidiose; e a mais completa, a V5, também contra leucemia felina. Como os cães, gatos devem tomar a antirrábica com 12 semanas, e  a imunização precisa ser renovada todos os anos.

Moradora da Lagoa, Andrea Marques está sempre atenta ao calendário de vacinas da gata Gaya, de 5 anos: "A Gaya é parte da nossa família, cuidar da saúde dela é cuidar da família, e estar atento ao calendário de vacinas é fundamental".

Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, o iG Pet Saúde conta com planos que incluem visitas de rotina, internações, cirurgias, aplicações de vacinas e muito mais.  Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para deixar o seu pet feliz!

Acompanhe o Canal do Pet   e os maiores destaques do  Portal iG no Telegram!



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários