O estresse em cães e gatos está se tornando algo mais frequente durante o isolamento social causado pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Enquanto a falta de atividades físicas pode afetar os cães, o convívio constante com os donos pode ser ruim para os gatos. Tentar manter a rotina dos bichinhos o mais fiel possível é essencial, fazendo adaptações necessárias para respeitar o momento da pandemia. 

Gato marrom e branco olhando triste para a foto
shutterstock
Cães e gatos podem ficar mais estressados durante o período de isolamento físico

A médica veterinária da Mars Petcare, Amanda Correa, explica que quando se trata de cães, o estresse está ligado ao fato desses pets não poderem sair de casa com tanta frequêcia. Sem a rotina de exercícios, não haverá liberação do excesso de energia do animal, gerando a irritabilidade e ansiedade. No caso dos gatos, o problema é diferente.

Leia mais: Produtos de limpeza usados para desinfectar casas podem fazer mal aos animais

"Gatos que ficam muito tempo sozinhos enquanto os donos trabalham podem estranhar o movimento aumentado nesse período da quarentena", afirma Amanda. Gatos não funcionam como os cães, e precisam de uma privacidade maior, além de estarem mais acostumados com o silêncio. Os tutores em casa geralmente ficam mais apegados aos pets querendo fazer carinho neles o tempo todo, o que pode não funcionar para os felinos.

Os principais sinais que você pode observar nos animais que indicam que eles estão estressados também variam entre cães e gatos. Os felinos tendem a se esconder embaixo de camas e sofás, e até apresentar agressividade. A alimentação e higiene do animal também pode ficar desregulada. No que diz respeitos aos cachorros, eles podem apresentar aumento de lambedura das patas , latido excessivo, falta de apetite, agressividade, queda dos pelos, e em alguns casos podem também sofrer com diarréias e disturbios gastrointestinais.

Leia mais:Coronavírus x pets: tudo que você precisa saber até agora

Para driblar um pouco o isolamento e evitar esse sentimento nos animais, a veterinária separou algumas dicas de como aumentar o nível de atividade dos animais em casa. Ela evidencia ainda que, para os gatos, a rotina deve ser mudada o mínimo possível, "Quanto mais mudanças, mais
estranhamento e estresse causará para o pet".

Dicas de atividades para cães:

  • Jogar bolinhas ou brinquedos para que ele busque e traga de volta – é a brincadeira que eles mais gostam e a que mais gasta energia.
  • Cabo de guerra com brinquedos próprios.
  • Esconde-esconde, que estimula a curiosidade dos animais.
  • Colocar a ração em comedouros interativos, para que ele se alimente se distraindo e gastando energia.

Dicas de atividades para gatos:

  • Usar caixas de papelão, laser, bolinhas de papel, garrafa pet. Tudo vale para entreter os animais e espantar o tédio.
  • Estimule o gato a fazer uso do arranhador.
  • Fazer uso dos comedouros interativos também é uma opção para entretê-los.

Leia mais:Confira dicas para deixar o gato tranquilo dentro de casa

Passeios com os pets estão permitidos pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária, contanto que reduzidos.  Ao chegar em casa é recomendável lavar com água e sabão as patinhas do animal.

    Veja Também

      Mostrar mais