Tamanho do texto

A mastite canina é uma infecção nas mamas que provoca muitas dores e torna o leite materno tóxico

Quando uma cadela engravida, todos os membros da casa ficam muito felizes. É um momento de muita alegria e expectativa para a chegada dos cachorrinhos. Mas, como nem tudo são flores, é preciso ficar atento aos cuidados e riscos que uma gestação traz. Um desses problemas é a mastite canina, que atinge as cadelas nessa condição.

Leia também: 9 sinais de que sua cadela grávida está próxima de dar à luz

Essa doença nada mais é do que uma infecção nas mamas. A mastite canina afeta as cadelas durante a gestação, aquelas que tenham dado à luz recentemente e até durante uma gravidez psicológica. É uma enfermidade bastante comum entre as fêmeas, por isso precisa de atenção por parte dos donos.

A mastite canina afeta cadelas durante a gestação, aquelas que tenham dado à luz recentemente e até durante gravidez psicológica
reprodução shutterstock
A mastite canina afeta cadelas durante a gestação, aquelas que tenham dado à luz recentemente e até durante gravidez psicológica

A causa principal é a diminuição das defesas que a mãe sofre após o parto, ficando vulnerável a ataques de agentes patogênicos. Essa falta de "barreira" faz com que os germes chamados estafilococos se instalem no leite materno e passem para as mamas, provocando a infecção. 

Os agentes patogênicos conseguem entrar no sistema enquanto os cachorrinhos mamam. Eles empurram institivamente as mamas com as patas para extrair o leite, arranhando assim os mamilos com as unhas afiadas. As feridas causadas pelas garras são aberturas para os germes entrarem. É uma condição bastante desconfortável e dolorosa, já que essa área está sendo continuamente estimuladas pelos filhotes famintos. 

Após o início da mastite, ela precisa ser tratada para não acabar afetando os filhotes, uma vez que o leite se torna tóxico com a infecção. A ingestão desse líquido pode levar a morte dos recém-nascidos. 

Dessa forma, se você tem uma cadela grávida em casa, é importante conhecer os sintomas que causam esta condição, o tratamento e os cuidados que se deve oferecer para minimizar os incômodos da doença e livrá-la desse sofrimento. 

Sintomas da mastite canina

Por mais que seja uma doença bastante comum, é normal os donos ignorá-la. Isso faz com que piore ao longo do tempo e afete os cachorrinhos. Dessa forma, é preciso saber como identificar os sintomas para iniciar o tratamento o quanto antes. 

Leia também: Cesariana em cadelas: Quando optar por esse procedimento?

O primeiro sinal aparente é a falta de apetite. Uma cadela grávida dificilmente perde a fome, afinal ela não está mais comendo só por ela. Então, preste atenção a essa mudança, pois é uma indicativa de que pode estar sofrendo de mastite. Além disso, a falta de apetite leva a consequente perda de peso, deixando a cadela triste a apática. 

Esses sinais podem ser confundidos com a depressão. Para evitar a confusão, é necessário conhecer os outros sintomas provocados pela doença. Vômitos, mal-estar, aumento do ritmo cardíaco, febre, diarreia, dor nos mamilos, irritabilidade e apatia são os outros sinais típicos de mastite canina. 

De todos os sintomas, o mais claro é a dor nos mamilos
reprodução shutterstock
De todos os sintomas, o mais claro é a dor nos mamilos

Por mais que todos esses sintomas sejam uma prova de que a cadela está sofrendo com a doença, a indicação mais clara é a dor nos mamilos. Você conseguirá perceber os ruídos de dor emitidos por ela toda vez que amamenta os filhotes. É também o sinal mais perigoso, uma vez que a cachorra pode deixar de alimentar suas crias. Outra consequência grave é o possível aparecimento de tumores nas mamas. 

Sintomas de que os filhotes ingeriram leite tóxico

Assim que os cachorrinhos ingerem o leite tóxico, rapidamente alguns sintomas começam a aparecer, como problemas de pele, perda de pelos, possíveis feridas, enfraquecimento, choro constante e distúrbios digestivos. Você irá notar também que em vez de estarem ganhando peso, eles estão perdendo ou estabilizam naquela medida, mesmo passado alguns dias. 

Essa é uma situação bem complicada, uma vez que os recém-nascidos ainda estão fracos e sua sobrevivência fica comprometida. Se algum dos filhotes apresentarem esses sintomas, vá ao veterinário para fazer um teste de qualidade do leite e medir seu pH. O leite materno, geralmente, tem o pH neutro, mas em caso de mastite ele se torna ácido. 

Tratamento

Assim que o tutor perceber os sintomas, leve a fêmea ao médico para o diagnóstico da doença. Será realizado um exame físico, uma análise de sangue e um cultivo bacteriano. Caso dê positivo, o veterinário irá iniciar o tratamento dependendo do grau do problema. 

Os cuidados com a cadela consistirá em administrar antibióticos para combater a infecção e drenar o leite em excesso. Provavelmente o médico indicará alguns analgésicos para aliviar a dor e aplicação de compressas de água quente para melhorar a situação das mamas. 

Leia também: Pós-parto de uma cadela: saiba todos os passos importantes

Enquanto a cadela recebe os cuidados necessários, os filhotes precisam ser separados dela para evitar que consumam o leite contaminado. Você terá que alimentá-los com um leite especial durante esse período.

Jamais ofereça exclusivamente leite de vacas, pois pode causar sérios problemas digestivos nos filhotes. Normalmente, utiliza-se uma mistura de leite de vaca, leite especial para filhotes, gema de ovo e farinha de osso. O veterinário irá te instruir a preparar esse composto, onde encontrar os ingredientes e como administrar.

Durante o tratamento, os filhotes devem ser separados da mãe para evitar que consumam o leite contaminado
reprodução shutterstock
Durante o tratamento, os filhotes devem ser separados da mãe para evitar que consumam o leite contaminado

Prevenindo a doença

A mastite é uma doença fácil de evitar. Porém, a prevenção exigirá um cuidado extra com a cadela. Primeiramente, mantenha um regime de limpeza das mamas assim que o parto ocorrer. Manter os peitos limpos evita que a umidade se torne uma área fértil para bactérias e germes. Utilize gazes úmidas e faça isso durante todo o período de amamentação. 

Mantenha o ninho dos filhotes em ótimas condições de higiene também. Limpe com frequência as fezes e a urina, evitando que os pequenos pisem na sujeira e transfira os germes para o peito da mãe enquanto mamam. 

Leia também: Sinais de que a cadela grávida está sofrendo um aborto

Por fim, monitore regularmente a aparência das mamas. Se estiverem duras, com feridas que sangram ou avermelhadas, fique atento. Esse tipo de anormalidade pode ser sinal de mastite canina . Leve a fêmea rapidamente ao veterinário nesses casos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.