Tamanho do texto

A cesariana pode ser necessária em raças braquicefálicas, em animais estressados, com disformidades na pélvis ou problemas de saúde

O nascimento de cães e gatos costuma acontecer de forma natural, mas isso não significa que os pets estão livres de perigo. Segundo especialistas, a principal causa da morte neonatal (até os 15 dias de idade) de animais se dá por conta de complicações durante o parto. Problemas como a queda do teor de oxigênio no sangue ou até mesmo obstruções na hora do bichinho sair do útero acontecem frequentemente. Uma cesariana conduzida por um profissional pode evitar essas complicações.

Leia mais:  Pós-parto de uma cadela: saiba todos os passos importantes

No entanto, assim como na medicina humana, não é sempre que a cesariana em cadelas é o método indicado para trazer os novos filhotinhos ao mundo. É preciso que haja o acompanhamento de um médico veterinário durante a gestação e no momento do parto. Assim, será possível identificar possíveis problemas que justifiquem o procedimento. 

Em quais ocasiões uma cesariana é necessária?

Vários fatores podem influenciar na decisão de fazer uma cesária. Entre eles estão o tamanho dos filhotes, a forma da pélvis da cadela e até mesmo a posição que o animais se encontram no útero da mãe.

Em algumas raças, como os Bulldogs e Pugs, as chances de um parto cirúrgico ser necessário são muito altas. Isso acontece devido a sua anatomia, que não é nada favorável para um parto normal. A braquicefalia, o focinho achatado característico dessas raças e que dificulta a respiração, é outro fator que piora esse quadro.

O acompanhamento pré-natal é essencial para garantir que a cesariana ocorra sem complicações.
Reprodução/ Shutterstock
O acompanhamento pré-natal é essencial para garantir que a cesariana ocorra sem complicações.


Complicações durante o trabalho de parto também podem fazer com que a intervenção cirúrgica seja necessária. A expulsão de um líquido de cor negra, vermelha ou verde, por exemplo, pode significar que a placenta se desprendeu ou que há secreção fetal. Ambos os casos representam problemas. 

Outros fatores biológicos, como a idade do pet, tempo da gestação e doenças também podem colocar a cadela em risco na hora de dar a luz.

Veja também:  Saiba como cuidar de filhotes de cachorro recém-nascidos

Como a cesariana é feita em cadelas?

Antes do procedimento o animal precisa ser anestesiado. Para isso, a pata dianteira é limpa e tosada e uma injeção intravenosa é inserida no local. Os medicamentos ministrados para uma cesárea são mais leves e seguros do que os usados em outros procedimentos cirúrgicos, garantindo assim que os filhotes não sejam prejudicados. O anestésico mais usado pelos veterinários é o propofol, por conta da sua capacidade de não deixar efeitos secundários e garantir uma rápida recuperação.

Uma cesariana pode garantir que todos os filhotes nasçam saudáveis.
Reprodução/ Shutterstock
Uma cesariana pode garantir que todos os filhotes nasçam saudáveis.


Depois realiza-se uma incisão do púbis (região localizada quase entre as pernas do animal) até o umbigo - caso os filhotes sejam grandes, o tamanho da incisão pode ser maior. À medida que os cachorrinhos vão nascendo, os assistentes do veterinário se encarregam de os limpar e avaliar a sua saúde. Assim que a cadela tenha acordado ela poderá ir imediatamente para casa e cuidar dos seus filhotinhos.

Preste atenção no comportamento do animal nos dias que seguirem a operação. Em alguns casos infecções e outras complicações podem ocorrer. 

Leia mais:  Quais exames médicos cães devem fazer?

Uma cesariana só é possível caso um acompanhamento pré natal seja realizado. Consulte o seu veterinário assim que souber que a cadela está prenha!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.