Oferecer água sempre fresca para os animais é muito importante, principalmente durante os dias mais quentes
Ryan Christodoulou/Unsplash
Oferecer água sempre fresca para os animais é muito importante, principalmente durante os dias mais quentes

O verão já chegou e, com a estação mais quente do ano, algumas atividades se tornam mais comuns, como sair para caminhar e aproveitar um dia de piscina com os pets. No entanto, com a diversão extra, também se acende um alerta para os cuidados com a saúde dos animais de estimação.

A proliferação de pulgas e carrapatos , o aumento dos casos de leishmaniose visceral  e a ocorrência de otites (infecções muitas vezes causadas pelo acumulo de água no ouvido dos pets) são os problemas mais comuns neste período.

Com a orientação do médico veterinário Marcio Barboza, destacamos seis dicas importantes para que os tutores curtam o verão ao lado dos melhores amigos com maior tranquilidade e segurança.

Reconheça os sintomas da otite

Balançar a cabeça frequentemente, coçar os ouvidos e presença de secreção com odor desagradável nos mesmos  são sinais bastante comuns nos cães, especialmente durante o verão. O maior contato com água pode deixar os ouvidos mais úmidos e, por isso, mais propensos ao problema.

Marcio alerta para a importância de proteger os ouvidos do animal antes de qualquer prática aquática, até mesmo durante o banho. Após a realização da atividade, o tutor não pode se esquecer de secar bem as orelhas do pet. Se houver algum sinal de inflamação, é preciso levar o animal ao veterinário para  avaliação e orientação sobre o tratamento adequado. 

Marcio Barboza é um profissional da MSD Saúde Animal
Unsplash/Anthony Duran
Marcio Barboza é um profissional da MSD Saúde Animal

Pulgas e carrapatos são problemas o ano inteiro

Mas é no verão que a proliferação dessas pragas se intensifica e, mesmo que o pet não saia de casa e não tenha contato com outros animais, ele poderá ser acometido por esses parasitas

O veterinário explica que, para lidar com problemas tão graves, o melhor caminho será sempre a prevenção. Prefira usar produtos que tenham ação rápida e duradoura para proteger não apenas o animal, mas também o ambiente onde ele vive . São nesses espaços que encontramos cerca de 95% dos parasitas.

Marcio ressalta que a proteção também deve ser reforçada para os gatos.  “Acreditamos que os felinos, por serem animais mais caseiros, não correm o risco de serem infestados. Mas é importante lembrar que esses parasitas podem ser trazidos para dentro de casa pelo próprio tutor que, sem perceber,  os transportam por meio de roupas e calçados”, alerta. 

(continue a leitura abaixo)

Leia Também

Leia Também

Atenção aos problemas de pele

As dermatites ou inflamações de pele  podem estar associadas, entre outras coisas, infestação de pulgas e carrapatos ou umidade excessiva da pele. Por isso, o tutor deve se lembrar sempre de secar muito bem o animal de estimação após as brincadeiras na água e sempre mantê-lo protegido contra os parasitas.

Leishmaniose visceral é um perigo para toda a família

O ambiente onde os animais vivem deve estar sempre limpo, isso é de fundamental importância para a prevenção de doenças
Louis-Philippe Poitras/Unsplash
O ambiente onde os animais vivem deve estar sempre limpo, isso é de fundamental importância para a prevenção de doenças

Cerca de 96% dos casos da doença em toda a América Latina estão concentrados no Brasil. Trata-se de uma doença grave e que não existe cura,  podendo acometer tanto os cães quanto os seres humanos.

“Para proteger os cães e a família, é muito importante o uso da coleira [ antipulgas ] que, após ser colocada no pescoço do cão, começa a liberar seu princípio ativo, a Deltametrina, que protege o animal da picada do mosquito palha, o propagador da doença”, explica o veterinário.

Além disso, o tutor precisa tomar alguns cuidados, como manter o local do pet sempre limpo, evitado acúmulo de matéria orgânica, que pode servir de criadouro para o mosquito, e usar telas em portas e janelas. 

Atenção ao calendário de vacinação

A vacinação é um dos principais meios de prevenção contra várias doenças, não apenas durante o verão, mas ao logo de todo o ano. Além de todos os cuidados, o pet precisa  estar com a carteira de vacinação em dia. Marcio, porém, destaca a importância de um cronograma personalizado. “Cada animal é único e a vacinação deve ser feita de acordo com o estilo de vida dele.”

Atenção redobrada 

Por último, além dos cuidados básicos, o tutor deve ficar atento à temperatura do local onde o pet está, e evitar deixá-lo em ambientes muito quentes. Também se deve disponibilizar  comida e água fresca constantemente, além de fazer uma visita preventiva ao veterinário para que o especialista acompanhe a saúde do animal.

É importante lembrar que, ao cuidar do bem-estar dos animais de estimação , estará também cuidando de todos os membros da família.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários