Tamanho do texto

A pele dos cachorros fica especialmente suscetível no inverno e em climas secos, necessitando de cuidados especiais; confira

A pele do cachorro é, na grande maioria das raças, composta por uma camada superficial formada por milhares de células mortas. Abaixo dela encontra-se a camada interna, onde importantes elementos - tais como o sistema circulatório e terminações nervosas - e a gordura do pet se encontram. 

Leia mais:  Você conhece as doenças de pele em cães que são mais comuns?

Na maioria das espécies uma camada de pelo protege a pele contra adversidades como o frio intenso e o sol. Os cachorros que não possuem essa proteção estão mais sucetíveis a doenças na epiderme e outros problemas. Porém, em ambos os casos é necessário tomar algumas precauções para preservar a saúde do seu pet. 

Os cuidados básicos

Os cuidados variam de acordo com o tamanho da pelagem do animal. Caso o pet não possua pelo algum, como acontece com o Pila Argentino e o Xoloitzcuintle, é necessário passar um protetor solar no cão toda vez que ele sair no sol. Caso o animal por natureza já possua pelos, em hipótese alguma os raspe completamente. Eles ajudam o pet a manter a temperatura corporal e evitam que ele contraia doenças.

  • Após o banho, seque o animal corretamente. Não deixe o subpelo úmido, isso pode ocasionar o crescimento de fungos e mal odor. O excesso de lavagens também prejudica o cão pois aumenta a oleosidade do seu pelo.
  • Escovar os pelos do cachorro evita doenças e nós, que podem causar até mesmo ferimentos na pele do animal. Mas não aplique muita força quando for realizar o procedimento. 
  • Por ser extremamente sensível, a pele dos cachorros pode apresentar alergias e feridas caso seja aplicado um produto muito diferente do qual ele já está acostumado. 
  • Jamais use produtos químicos - como os destinados a limpeza do chão - com o seu cão presente. A composição desses compostos podem até mesmo causar queimaduras no animal!
  • Mantenha pulgas, carrapatos e outros parasitas longe do seu pet. Além de transmitirem doenças, eles podem causar feridas e infecções na pele do cão.
Pentear o cachorro com certa frequência evita que ele desenvolva problemas de pele.
Reprodução/ Shutterstock
Pentear o cachorro com certa frequência evita que ele desenvolva problemas de pele.


Veja mais:  A sarna negra provoca manchas vermelhas na pele do cão e queda de pelo

Cuidados durante o inverno

O seu cãozinho fica especialmente vulnerável em climas frios. O ar seco pode causar ressecamento na pele do animal, que como consequência se coça muito e provoca ferimentos. Outros problemas de pele em cachorros  também são mais prováveis de acontecer nessa época, como a dermatite canina. 

Os cuidados com os cães no inverno incluem: 

  1. Diminua a quantidade de banhos, por conta do clima mais frio será mais difícil secar o animal completamente;
  2. Não exagere na temperatura da água. Muitos donos acham que o banho quente pode ajudar, mas por mais frio que esteja, isso pode causar queimaduras no pet;
  3. Não exagere no uso de roupinhas. Problemas de saúde podem surgir caso elas fiquem muito tempo no cão. 

Leia mais:  Como lidar com queimadura de sol em cães e gatos

Caso o animal apresente ferimentos, manchas ou qualquer tipo de irritação na pele consulte um veterinário imediatamente. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.