Patos são animais inteligentes, divertidos e apegados aos tutores
Wirestock/Freepik
Patos são animais inteligentes, divertidos e apegados aos tutores

Embora possa parecer uma ideia bem diferente e até inusitada para muitas pessoas, ter patos como animais de estimação pode ser bem cativante e divertido. Os anatidae, que é o grupo que inclui aves aquáticas como cisnes e gansos – além dos próprios patos, é claro – são aves muito sociáveis e que amam e precisam estar sempre juntos.

Os patos são animais muito inteligentes e emocionais. Apesar de muitos estarem acostumados a ver essas aves somente em parques onde, geralmente, é proibido alimentá-los ou ter maiores interações, eles são facilmente adaptáveis à vida como animais de estimação e são capazes não apenas de atender pelo nome que lhes é dado, como também podem aprender truques e a brincar com brinquedos, até mesmo a de ir buscar um objeto e trazê-lo de volta ao tutor.

Passear com o pato

Pessoas que moram em áreas menos urbanizadas, e que têm patos de estimação, conseguem passear com o animal mesmo solto – a ave pode ir caminhando ou mesmo voando ao lado do tutor. Mas, dependendo da localidade, pode ser perigoso e – por mais incomum que possa parecer – é possível comprar coleiras para levar a ave para um passeio, desde que ela esteja acostumada e não vá se sentir ansiosa e assustada com a interação.

Onde o pato deve viver

Os patos são animais que prezam pela higiene e, na natureza, gastam boa parte do dia limpando a si mesmos e ao ambiente onde vivem. Por isso, o tutor deve estar sempre disposto a limpar o local onde o pato passa a maior parte do tempo sempre limpinho, e realizando uma higienização geral ao menos uma vez a cada duas semanas.

Os patos precisam ter um abrigo para se proteger do tempo, como sol, chuva e vento. O tamanho do local varia, dependendo da estatura do animal e de quantas aves o tutor tiver. Podem ser usadas casinhas de cachorro, com tamanho suficiente para as aves se acomodarem, levando em conta que será usado apenas como abrigo caso queiram, e não para ficarem presos lá dentro.

A entrada da casa precisa estar protegida do vento. Pode ser isolada, mas não é tão necessário. Caso fique muito frio, a porta pode ser fechada, o que também ajuda a proteger de predadores – como cães e gatos, ou até outras aves.

Para manter confortável e bem aquecida, a casa deve ser forrada com palha limpa ou aparas de madeira, que serão eventualmente trocadas. Caso o tutor more em um ambiente aberto, talvez seja necessário o uso de uma cerca, com ao menos um metro de altura e niveladas ao solo, que pode ser de náilon ou arame usado em galinheiros. Caso o quintal seja totalmente fechado, o tutor pode simplesmente deixar os animais soltos livremente.

Caso o ambiente de natação das aves seja uma piscina, é importante que eles tenham um local para que posam entrar e sair com segurança – eles precisam de uma rampinha – e a água não deve ficar muito suja.

Quanto ao comedouro e bebedouro, a limpeza deve ser diária. A água precisa ser trocada uma ou mais de uma vez ao dia, caso fique suja (ou seja, água sempre fresca). Caso a ave não consuma toda a comida disponível no mesmo dia, os restos devem ser descartados, para que não haja o risco de consumir alimento estragado.

Mas, antes de se empolgar em ter um pato como pet, o tutor deve levar em consideração alguns quesitos fundamentais para a saúde física e mental da ave.

Os patos são muito sociáveis e precisam de companhia, jamais devem ficar sozinhos por muito tempo, portanto, caso pense em ter um pato como animal de estimação, o tutor já deve se preparar para ter, no mínimo, dois.

Morar em apartamento não é o mais indicado. Por mais que eles possam se adaptar ao ambiente, os patos precisam de ar livre e ambientes abertos para viver plenamente felizes. De preferência em locais onde eles possam ter acesso livre à água para nadar, mesmo que seja uma piscina de plástico com um tamanho razoável.

Eles podem viver perfeitamente com outros pets, como cães e gatos,  mas apenas se esses não representarem perigo para a ave.

Caso não venha a ter tempo para se dedicar ao animal, nem pense em tê-lo como pet. Um pato pode viver, em média, de 10 a 15 anos e, assim como qualquer outro animal de estimação, ele precisará da atenção e interação do tutor.

Leia Também

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também

Cuidados com a alimentação

Os custos com a alimentação de um pato não costumam ser altos, já que se alimentam muito bem com verduras, sementes, grãos, pequenos insetos e alguns peixes. Também podem ser compradas rações especiais, mas com cuidado, pois as rações que são disponibilizadas para patos de granja são feitas pensando em engordar os animais, o que pode trazer muitos problemas à saúde. Um pato adulto consome entre 150 e 200 gramas de alimento por dia, variando de acordo com a espécie,  idade ou sexo.

O tutor pode oferecer o mesmo que ele consome, mas sem tempero. Como parte do “lanchinho” também se pode cortar pães e massas em pedaços bem pequenos. Lembrando que todos os alimentos oferecidos devem estar sempre frescos e bem limpos.

Os bebedouros dos patos, além de conter água limpa e fresca, deve ser relativamente profundo, já que os patos precisam afundar o bico na água para beber.

Cuidado com os filhotes

Na maioria das vezes, quando o tutor começa a criar um pato, ele pega uma ave ainda filhote. Os patinhos precisam ser mantidos bem aquecidos e em ambiente seco durante as quatro primeiras semanas de vida. Uma caixa ou gaiola em um local aquecido (com cerca de 30°C), ou mesmo fornecendo calor por meio de uma lâmpada. Os patinhos devem ter passagem livre, para entrar ou sair do calor sempre que quiserem, por isso é indicado que a lâmpada seja instalada em um dos cantos e não no centro da gaiola.

Os patos são exímios nadadores, mas quando filhotes eles não devem ter acesso a água, pois podem se afogar sem supervisão, ou mesmo podem se resfriar e morrer por isso. O peito dessas aves costuma ficar coberto de penas por volta das cinco semanas de vida, só então poderão ser colocados em segurança ao ar livre, a menos que esteja um dia frio, aí é melhor evitar.

O tutor deve tentar acostumar os filhotes a saírem ao ar livre aos poucos, colocando a caixa ou gaiola por períodos mais longos a cada dia. Caso esteja um dia quente, os pequenos podem ficar por mais tempo, sem muitos problemas.

Macho ou fêmea?

Quando muito pequenos é muito difícil identificar o sexo das aves, quando maiores podem ser identificados de acordo com a coloração ou pela “voz”, sendo os machos um pouco mais roucos que as fêmeas.

Outros detalhes, como a cor, vão depender muito da espécie da ave. Uma coisa é certeza, se começar a botar ovo, é fêmea.

Higiene

Mesmo que sejam animais muito limpos e inteligentes, não é possível ensinar um pato a fazer as necessidades em um local específico. Assim como acontece com os galos,  também é possível comprar fraldas para patos, que variam conforme o tamanho ou espécie da ave.

As fraldas devem ser trocadas, em média, a cada quatro horas, mas não é nada que dê tanto trabalho ou gastos – considerando que os patos passaram a maior parte do tempo livremente pelo quintal. A vantagem aqui é que a sujeira pode ser usada como compostagem para jardins, hortas, ou mesmo para a criação de minhocas.

Saúde

Assim como qualquer outro animal de estimação, os patos precisam de cuidados e devem ter um acompanhamento com veterinários. O tutor deve estar atento a sinais como mudanças de comportamento e diferença na consistência e cor das fezes. A aparência física, como diferença nas penas, também pode indicar doenças.

Ter cuidados com a higiene e a alimentação será sempre fundamental para uma boa saúde do animal, além de nunca os deixar sozinhos. Reforçando que sempre vale mais prevenir do que remediar, então será sempre indispensável tirar qualquer dúvida com um médico veterinário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários