A próxima segunda-feira (7) é feriado e muitas pessoas podem optar por viajar para aproveitar a data. Viagens de carro, apesar de serem mais demoradas que viagens de avião,  são as mais recomendadas durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).  Se você é uma dessas pessoas e planeja fazer uma viagem de carro levando seu  pet , precisa saber que é importante estar atento  para garantir a segurança do seu melhor amigo.

Antes de pegar a estrada é recomendado que você planeje algumas etapas. Preparações antes do passeio, durante o trajeto e nos dias que estarão fora serão necessários, conforme explicam a veterinária Kelli Motta (@kellimotta.vet ) e do adestrador Bruno Moreno (@segredodoadestramento). Em entrevista ao Canal do Pet os profissionais contaram tudo o que os tutores precisam saber para viajar com o pet de carro em segurança. Confira.

Preparação pré-viagem

De acordo com Kelli, o ideal é que antes da viagem o pet seja levado ao veterinário, para se assegurar que ele está bem de saúde. O médico precisa ser informado sobre o destino para que possa dar orientações específicas - como a proteção contra o verme do coração (dirofilariose) para quem vai para a praia e campo, por exemplo. É essencial que as vacinas estejam em dia, assim como o controle de endoparasitas (vermes) e ectoparasitas (pulgas, carrapatos e ácaros).

Além da saúde, os locais escolhidos para o passeio também merecem atenção. Hoje em dia existem lugares considerados "pet friendly" no Brasil, que são específicos para receber os pets. São locais que possuem várias atividades ao ar livre, como hotéis, pousadas e até mesmo restaurantes adaptados para receberem os animais da melhor forma possível. "Vale a pena pesquisar esses lugares antes da viagem para poder escolher a melhor proposta que se encaixa com as necessidades de todos e inclusive do seu animal", recomenda a especialista.

O que levar na mala do bichinho?

Cada animal tem suas particularidades, mas na hora de montar a mala do cão, o ideal é colocar o que ele usa no dia a dia, por exemplo:

  • Roupinhas (se ele usa)
  • Brinquedinhos que goste
  • Cobertores
  • Toalhas
  • Shampoo próprio
  • Petiscos, rações e sachês do animal
  • Remédios - jamais leve por conta própria, assim como em humanos, remédios sem prescrição médica podem agravar coisas simples. Consulte seu médico veterinário, ele te indicará o melhor fármaco para que seu animal viaje com tranquilidade.
  • Bolsa com primeiros socorros
  • Saquinhos para retirada de fezes, lencinhos umedecidos, tapetes higiênicos, areia higiênica (no caso de gatos).

"Vale ressaltar que coleiras e guias identificadas com o nome do pet, nome do tutor e telefone são primordiais em todos os passeios rotineiros e principalmente nas viagens", diz Kelli.

Como melhor transportá-lo dentro do carro?

O Código de Trânsito Brasileiro determina que os animais pequenos sejam transportados em caixas de transporte adequadas ou cadeiras próprias presas ao cinto de segurança. Para os cães maiores existem cintos de segurança ligados as guias e grades protetoras para deixá-lo totalmente seguro.

Além disso, não é recomendado temperaturas altas dentro do carro, pois isso acaba dificultando a respiração do seu pet. Ligue o ar condicionado para manter uma temperatura agradável. Se não tiver, deixe o carro com as janelas um pouco abertas para o ambiente ficar mais ventilado. No caso de temperaturas baixas, mantenha seu animal bem quentinho com ajuda de roupinhas e cobertores.

O que não é indicado?

De acordo com o adestrador Bruno Moreno, o tutor não deve ir com o animal no banco de trás, não deve deixar que ele coloque a cabeça para fora, sempre o mantendo preso na cadeirinha ou no cinto de segurança. Também não é indicado alimentá-lo durante a viagem, já que o cachorro pode passar mal e vomitar. 

Durante a viagem

O adestrador afirma que o primeiro cuidado durante o tempo do animal no carro é ter certeza que ele está familiarizado com veículo e se sente seguro e calmo para ficar dentro dele. "Fazer paradas pontuais para que o animal possa andar e fazer suas necessidades é importante", frisa ele. Se o tempo de duração for maior que seis horas, o ideal é parar no mínimo três vezes.

Além disso, é bom dar uma "cansada" no animal, para que ele fique mais tranquilo no momento da viagem, com caminhadas e brincadeiras que gastem sua energia. Outra opção é oferecer ossos e desidratados para que ele vá roendo durante o tempo dentro do carro, ficando distraído. 

Como fica a situação durante a pandemia?

Mesmo que as viagens de carro sejam a forma mais segura durante a pandemia, cuidados ainda são necessários. Atitudes simples, mas muito eficazes são: limpar as patinhas dos pets com álcool e em seguida com hidratantes específicos para evitar ressecamento dos coxins (almofadinhas) após os passeios, assim como a higienização diária de acessórios, coleiras, roupinhas e guias.

"Vale a pena também evitar lugares com muita aglomeração de pessoas e animais para que assim você mantenha a saúde e bem-estar do seu amigão de quatro patas", finaliza Kelli.

    Veja Também

      Mostrar mais