Tamanho do texto

A lei foi aprovada em 2017, mas as lojas tiveram um tempo para se adequarem ao sistema que passou a valer no primeiro dia de 2019

Nesta semana, precisamente no dia 1 de janeiro, terça-feira, a Califórnia se tornou o primeiro estado americano a proibir que lojas, como pet shops, comercializem animais de estimação. Agora os estabelecimentos podem vender apenas gatos, coelhos e cães resgatados, provenientes de abrigos de animais. 

Leia também: Após vídeo de cão abandonado viralizar, Snoop Dogg se oferece para adotá-lo

A lei que foi aprovada em outubro de 2017 passa a valer só agora devido ao tempo cedido para as lojas se adequarem ao novo sistema. A multa é de 500 dólares para cada animal comercializado ilegalmente, ou seja, que não sejam gatos, coelhos e cães resgatados , mas sim de canis reprodutivos. 

Apenas coelhos, gatos e cães resgatados, provenientes de abrigos poderão ser vendidos nas lojas da Califórnia
shutterstock
Apenas coelhos, gatos e cães resgatados, provenientes de abrigos poderão ser vendidos nas lojas da Califórnia

Essa é uma conquista das entidades de defesa dos animais americanas que lutam contra o que chamam de "fábrica de filhotes", "puppy mills" ou "kitten factories" em inglês. Durante o processo foi alegado que esses locais produzem animais em massa para comercialização em condições desumanas e que existe uma falta de fiscalização por parte do departamento de agricultura do governo federal. Além disso, mostraram que, nos Estados Unidos, enquanto 2 milhões de cães de canis são vendidos, um número semelhante dos que vivem em abrigos e passam por eutanásia por ninguém demonstrar interesse por eles. 

No Brasil, canis em condições semelhantes foram descobertos nos últimos tempo. Recentemente, a protetora dos animais Luisa Mell, com a ajuda de policiais,  resgatou 143 cães de um canil cladestino de São Sebastião, litoral de São Paulo. Os cachorros das raças Spitz Alemão, Buldogue Francês e Pastor Alemão viviam em espaços pequenos, abafados, no meio das fezes e sem água, além de serem medicados e operados por uma pessoa que não possuia autorização para isso. 

Apesar da luta de ativistas e campanhas de conscientização como a "Não compre, adote", o Brasil não possui nenhuma política para tentar impedir que situações como essas sejam comuns. Nos Estados Unidos, ao contrário, mais de 250 prefeituras e governos locais têm medidas parecidas com a tomada pela Califórnia. Em Atlanta, por exemplo, as chamadas "fábricas de filhotes" são proibidas. 

Leia também: Veterinário impede que cães sejam sacrificados após divórcio dos donos

A lei que permite a venda apenas de coelhos, gatos e cães resgatados na Califórnia não significa que quem quiser comprar um de canil não vai poder. A diferença é que a pessoa deverá ir até o local onde os animais vivem para realizar a compra.