Tamanho do texto

Olho seco e úlcera de córnea são as duas doenças mais comuns em cães e gatos; veterinário explica cada uma delas

Os cuidados com a saúde dos animais têm se tornado cada vez mais prioridade para os tutores. Por isso, conhecer as principais doenças que atingem os bichinhos é muito importante para que os donos possam identificar sinais de que algo está errado com o cachorro. Quando se trata da região dos olhos, algumas doenças oculares caninas costumam atingir os animais com maior intensidade. 

Leia também: Hipotireoidismo em cães: tudo sobre sintomas, tratamento e prevenção da doença

Segundo o Dr. Fabrício Villela Mamede, médico veterinário da Oftalmovet de Ribeirão Preto, as principais doenças oculares caninas são o olho seco e a úlcera de córnea. No caso dos cachorros, algumas raças possuem uma maior predisposição para elas. A idade do animal também influencia. 

"As raças mais afetadas pelas alterações oculares são as Braquicefálicas (focinhos curto), como Shih-tzu, Pug, Pequinês, Bulldog e Boxer. Destaco ainda as raças de pelos longos, como Lhasa apso, Maltês e Yorkshire. Pode-se observar que as de focinho curto e pelos longos (Shih-tzu e Pequinês) possuem o dobro de chance de apresentar problemas nos olhos, por isso atendemos essas raças com maior frequência. Além disso, as idades mais frequentes nos atendimentos são de 5 a 12 anos", explica o Dr. Fabrício. 

O Shih-tzu é uma raça que tem predisposição para doenças oculares caninas
shutterstock
O Shih-tzu é uma raça que tem predisposição para doenças oculares caninas

A melhor forma de prevenir ambas as doenças é a observação e a limpeza do olho do animal diariamanete, assim, sinais de alguma alteração, mesmo que mínima, podem ser notados com mais facilidade.

O veterinário Fabrício, que também falou sobre o assunto no programa Amigo Pet, da Ourofino Saúde Animal, explica melhor as doenças do olho seco e da úlsera de córnea. 

Olho seco

Como o próprio nome já sugere, o olho seco é uma doença ocasionada pelo ressecamento da superfície ocular. "Vários fatores ocasionam o problema, como herança genética, dormir de olho aberto, pelos longos tocando o olho e lágrima que escorre muito rápido (qualidade de lágrima alterada)", explica o veterinário. 

Fabrício ainda conta no que o dono deve ficar atento. "O principal sinal observado em cães com essa doença é a secreção ocular (remela). Como dica para saber se o pet está com muita secreção, observe a quantidade de vezes que precisa limpar os olhos dele. O normal é uma vez ao dia, se for mais que isso, já é sinal de ressecamento."

Essa condição pode até levar à perde da visão. Com tratamento correto esse desfecho pode ser evitado. 

Leia também: Exames preventivos podem prolongar a vida dos animais de estimação

Úlsera de córnea

A segunda doença mais observada entre os cães é a Úlcera de Córnea. "A característica é uma ferida na superfície ocular, cuja principal causa é o trauma ocular, que pode acontecer por meio de arranhadura, briga entre os animais, coceira no olho, batida do rosto na cadeira, entre outros fatores."

Observar é a melhor forma de descobrir os sinais das doenças oculares caninas
shutterstock
Observar é a melhor forma de descobrir os sinais das doenças oculares caninas

É preciso tomar muito cuidado com essa doença, ela é a maior responsável pela perda visual dos animais de estimação. Isso se explica pela demora dos donos em levar o cachorro ao veterinário, já que existe tratamento eficiente, com uso de colírios e comprimidos que proporcionam rápida cicatrização da ferida. 

"Essa é uma doença que se agrava em poucos dias, pois quando a ferida está presente, a bactéria se prolifera muito rápido, sendo capaz de infeccionar todo o olho em três dias", explica o Dr. Fabrício. 

A observação do animal é a principal forma de detectar a doença. Se o cachorro estiver com o olho fechado e com dificuldade de abri-lo - como se tivesse um cisco dentro - e demonstrando desconforto ocular, leve-o ao veterinário.  

Leia também: Você conhece a Síndrome de Wobbler? Veja como ela afeta seu cão

Outras doenças afetam a saúde ocular dos animais com frequência, entre elas estão o glaucoma e a catarata. 

"De maneira geral, para saber se o animal está com alguma das doenças oculares caninas , fique atento aos seguintes sinais: secreção, desconforto, olho vermelho, manchas brancas ou pretas nos olhos e coceira na região. Assim que observar um deles, limpe os olhos do pet com solução fisiológica e proteja para que o animal não agrave a situação devido a coceira que ele sentirá, para isso, utilize um colar protetor. Na sequência, procure o veterinário de confiança para obter o diagnóstico preciso", finaliza Fabrício.