Tamanho do texto

Essa doença pode surgir devido uma alimentação escassa ou excessiva, alguns problemas físicos ou por causa do ambiente em que o animal vive

Embora seja normalmente associada aos homens, a disfunção erétil canina é uma realidade. Essa doença ocorre quando o cachorro não consegue ter ou manter uma ereção firme o suficiente para a relação sexual. Ela atinge em menor proporção os peludos, mas ainda assim é digna de preocupação.

Leia também: Quais são as vantagens e desvantagens de castrar o cachorro?

Geralmente, a disfunção erétil canina passa despercebida pelos donos, pois muitos optam pela castração ou impedem a reprodução do pet. Ela acaba sendo notada por quem tem intenção de cruzar um macho e uma fêmea. E, assim que desconfiar da impotência sexual do cão, é primordial levá-lo ao veterinário. 

Causas da disfunção erétil canina

A disfunção erétil canina ocorre quando o cachorro não consegue ter ou manter uma ereção firme o suficiente para a relação sexual. Atinge em menor proporção os peludos, mas ainda assim é digna de preocupação
reprodução shutterstock
A disfunção erétil canina ocorre quando o cachorro não consegue ter ou manter uma ereção firme o suficiente para a relação sexual. Atinge em menor proporção os peludos, mas ainda assim é digna de preocupação

Para que esse problema seja tratado, o especialista deve primeiramente determinar a causa da impotência. Os principais fatores que provocam tal inconveniente são: alimentação escassa ou excessiva, desequilíbrio hormonal, problemas de comportamento, problemas vasculares, dificuldades de adaptação ao ambiente, estimulação sexual deficiente, medo, anomalias ou deformações no aparato reprodutor.

De todas as causas anteriores, a alimentação merece atenção especial por causa de sua importância. Fora os problemas tradicionais de saúde, uma nutrição deficiente provoca situações inconvenientes como perda de libido, diminuição do esperma, atrofia testicular, etc.

Além disso, uma dieta ruim também leva a dificuldades durante o acasalamento. Isso acontece por causa do sobrepeso, que atrapalha o momento do coito e afeta os membros posteriores, gerando problemas de termorregulação. 

Leia também: Como controlar os impulsos sexuais na fase de reprodução dos cães?

Normalmente, esses efeitos surgem quando há menos de 2% de proteína na dieta. O déficit de vitamina A também é um problema, gerando diferentes tipos de atrofias, como a diminuição da qualidade do sêmen produzido. 

O Viagra na vida dos cães

O Viagra tem sido usado há muitos anos para tratar hipertensão pulmonar nos cachorros. Por ser um produto vasodilatador é ótimo para aumentar e melhorar o fluxo sanguíneo
shutterstock
O Viagra tem sido usado há muitos anos para tratar hipertensão pulmonar nos cachorros. Por ser um produto vasodilatador é ótimo para aumentar e melhorar o fluxo sanguíneo

O Viagra é um dos medicamentos mais utilizados para tratar disfunção erétil em homens. Curiosamente, os veterinários o receitam para cães antes mesmo de ser utilizado no tratamento humano. Contudo, no caso dos peludos, esse remédio tem outra função.

O Viagra tem sido usado há muitos anos no tratamento de hipertensão pulmonar nos cachorros. Por ser um produto vasodilatador é ótimo para aumentar e melhorar o fluxo sanguíneo, além de melhorar significativamente a qualidade de vida do pet com esse problema. 

Contudo, o Viagra não é recomendado para tratar disfunção erétil em cães. Sua eficácia não foi comprada nesse tipo de problema. O tratamento adequado será determinado a partir das causas do problema e histórico clínico. Por isso, antes de oferecer qualquer remédio ao animal é preciso levá-lo ao veterinário. 

Ambiente: peça chave na melhora sexual do cão

Embora a conduta sexual seja regulada por hormônios e determinada pela genética, o ambiente em que o canino vive pode determinar o sucesso do acasalamento
Reprodução Pixabay
Embora a conduta sexual seja regulada por hormônios e determinada pela genética, o ambiente em que o canino vive pode determinar o sucesso do acasalamento

Embora a conduta sexual seja regulada por hormônios e determinada pela genética, o ambiente em que o canino vive pode influenciar no sucesso do acasalamento. Afinal, os estímulos auditivos, olfativos, visuais e táteis são primordiais para o bom desempenho do macho. 

Ele precisa de toda uma preparação para que a cruza aconteça perfeitamente. Primeiro há a identificação da fêmea, seguido de busca e cortejo e só depois ocorre a cópula. Quando o ambiente não está propício, a reprodução não acontece. 

Leia também: Saiba como fazer o cruzamento de cães da forma correta

Portanto, não adianta seguir o tratamento médico a risca se o animal vive num espaço inapropriado. A disfunção erétil canina só será resolvida com a união desses fatores.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.