Tamanho do texto

A fosfatase alcalina é um grupo de enzimas que remove fosfato de diversas moléculas diferentes, atuando em fase alcalina no organismo

Fosfatase alcalina alta em cães é um assunto pouco abordado entre os donos, o que sempre gera dúvidas quando o problema aparece. Antes de entender o que ele significa, é preciso conhecer o funcionamento da fosfatase alcalina (ALP) em estado normal. Esse conjunto de enzimas que remove grupos de fosfato de um grande número de moléculas diferentes, atuando em fase alcalina.

Leia também: Quais exames médicos cães devem fazer?

É produzido em várias partes do corpo, como rins, placenta e forro intestinal, mas é segregada principalmente pelo fígado e ossos. Porém, quando ALP aumenta, significa que seus níveis estão fora do normal. Semelhante aos humanos, a fosfatase alcalina alta em cães normalmente está relacionado a determinados problemas de saúde. 

Os níveis de ALP são medidos através de exame de sangue e, caso a fosfatase alcalina se mostre elevada, o veterinário determinará um tratamento para reduzir a quantidade. 

Motivos para elevar a fosfatase alcalina

Os níveis de ALP são medidos através de exame de sangue e, caso a fosfatase alcalina se mostre elevada, o veterinário determinará um tratamento para reduzir a quantidade
reprodução shutterstock
Os níveis de ALP são medidos através de exame de sangue e, caso a fosfatase alcalina se mostre elevada, o veterinário determinará um tratamento para reduzir a quantidade

Os motivos que fazem os níveis de ALP serem elevados ainda são desconhecidos. Entretanto, na maioria dos casos, a anormalidade está relacionada com problemas no fígado e doenças ósseas . Outras causas são doenças subjacentes, efeitos colaterais e medicinais, principalmente quando o cão é jovem. Exemplos de transtornos associados ao problema são:

  • Doença de Cushing
  • Hepatite infecciosa
  • Hiperplasia nodular
  • Problemas hepatobiliares, como colangiohepatite, hepatite crônica, cirrose, ruptura da vesícula biliar, pancreatite, etc
  • Problemas musculoesqueléticos, como osteossarcoma, osteomielite, etc
  • Problemas endócrinos, como hiperadrenocorticismo, hipertiroidismo, diabetes, etc
  • Problemas intestinais
  • Neoplasias, como hemangiossarcomas, linfomas, carcinomas, etc
  • Fome severa 
  • Administração de alguns medicamentos, por exemplo, anticonvulsivantes, anti-helmínticos, antimicrobianos, antifúngicos ou glicocorticóides.

Leia também: Transfusão de sangue em animais: saiba tudo sobre o assunto

Existe também a chance do problema ser causado por motivos fisiológicos. Um exemplo é quando os filhotes estão crescendo. Nessa fase de desenvolvimento dos ossos, é comum o nível de fostatase alcalina estar alto sem haver a presença de uma patologia.

Diagnóstico da doença

Para chegar ao diagnóstico do problema, o veterinário precisará analisar outros parâmetros relevados nos exames e os sintomas apresentados pelo animal
reprodução shutterstock
Para chegar ao diagnóstico do problema, o veterinário precisará analisar outros parâmetros relevados nos exames e os sintomas apresentados pelo animal

Como diversas condições podem estar associadas a esse problema, tanto fisiológicas quanto patológicos, é difícil ter um diagnóstico preciso. Para isso, o veterinário precisará analisar outros parâmetros revelados nos exames e os sintomas apresentados pelo animal.

Por exemplo, quando os níveis de ALP estiverem altos num filhote, é algo normal. Por outro lado, um cachorro adulto com muita fosfatase alcalina, seguido de aumento da sede e micção, provavelmente está com problemas no fígado. 

Portanto, saber apenas que a fosfatase alcalina está alta não serve de nada. É preciso analisar mais afundo para descobrir as reais causas do problema. Cabe aos donos informarem tudo sobre o bichinho durante a consulta, como o uso de medicamentos, mudanças no comportamento, troca na rotina, etc. Tudo pode estar influenciando no aumento da ALP. 

Além disso, é importante saber que, muitas vezes, as doenças causadoras não apresentarão sintomas específicos. O mais provável é que os donos não associem com o aumento de fosfatase alcalina e tentem tratar o problema de forma errônea. O recomendado é consultar um profissional se o cachorro apresentar qualquer sintoma. 

Leia também: Medicamentos humanos podem ser dados para cães e gatos? 

Aumento da ingestão de água, aumento da secreção de urina, desconforto, letargia, amarelamento das mucosas, febre, dor, perda ou aumento de apetite, vômitos e condição corporal debilitada são alguns exemplos de sinais demonstrados pelo pet. Em boa parte das patologias um tratamento precoce é fundamental.

Tratamento e redução dos níveis

Com medicamentos corretos para fosfatase alcalina alta em cães e bom atendimento, em pouco tempo o animal de estimação irá melhorar
reprodução shutterstock
Com medicamentos corretos para fosfatase alcalina alta em cães e bom atendimento, em pouco tempo o animal de estimação irá melhorar

Dada a multiplicidade de fatores que causam a elevação da fosfatase alcalina, não é possível determinar um único tratamento. Para que os níveis reduzam, é precisar iniciar um procedimento médico em função da causa que provocou o aumento. Por isso é tão importante chegar ao diagnóstico correto durante os exames.

Se a causa do problema for diabetes, por exemplo, o tratamento se resume a aplicação de insulina e uma dieta especial. Quando a razão é hepatite, será resolvido através da administração de antibiótico. Além disso, vale a pena sabe que, se o fígado estiver totalmente danifica, o cão sofrerá de insuficiência hepática.

Leia também: Tudo sobre diabetes em cachorros

É importante seguir corretamente as indicações médicas e visitar o profissional regularmente durante o tratamento. Com medicamentos corretos para fosfatase alcalina alta em cães e bom atendimento, em pouco tempo o animal de estimação se sentirá melhor.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.