Tamanho do texto

Carência nutricional, doenças e atividade física excessiva são alguns dos motivos que levam o cão a perder muito peso

É bastante comum os donos se preocuparem com a obesidade canina, um problema de saúde  grave e que atinge boa parte dos animais. Porém, o que fazer quando a situação é exatamente o contrário? O cão não sofre de sobrepeso, mas sim de falta, está abaixo do ideal. Então, fazê-lo engordar, e não emagrecer, passa a ser o objetivo do pet. Mas como fazer isso de maneira correta e saudável?

Veja mais:  Conheça a importância das vitaminas para cachorro e veja quais seu pet precisa

Pode parecer estranho, mas não é tão fácil fazer um animal de estimação  engordar  quanto parece. Nós humanos também passamos por essa dificuldade, pois é preciso aumentar de peso de forma saudável e não comendo alimentos gordurosos e calóricos, como pizza e hambúrguer. Atitudes assim só irão comprometer a saúde, e o mesmo vale para os cachorros. 

Descobrindo o motivo da magreza

Antes de tomar qualquer atitude, é preciso descobrir porque seu pet está abaixo do peso. Veja se existe um motivo lógico para a magreza. Por exemplo, é muito comum uma cadela que recentemente pariu perder bastante peso. Os filhotes famintos são a causa dessa situação. O mesmo vale se você acabou de resgatar um cão que sofreu maus-tratos e já estava subnutrido. Casos assim costumam ser temporários e é relativamente fácil engordar o animal. 

Antes de tomar qualquer atitude, é importante descobrir porque seu cão está abaixo do peso
reprodução shutterstock
Antes de tomar qualquer atitude, é importante descobrir porque seu cão está abaixo do peso

Se não existir algum motivo lógico, a melhor opção é consultar um veterinário. Ele analisará a saúde do cão e talvez peça exames para descobrir a causa. Doenças, carência nutricional e falta de adaptação com a nova alimentação são algumas dos motivos que levam a magreza excessiva. Quanto mais cedo você visitar um profissional mais rapidamente o cão terá uma boa saúde. 

Reajustando as refeições

Após consultar o veterinário, é bem provável que ele mande reajustar as refeições ou trocar a ração por outra marca. É muito possível que o alimento comprado não esteja suprindo as necessidades do animal, ou então você esteja oferecendo menos que o recomendado. 

Primeiramente, verifique se o animal está recebendo a quantidade de calorias de acordo com a intensidade da atividade física. Caso seu pet seja muito enérgico e queime mais calorias do que consome, é provável que esteja abaixo do peso. Em situações assim o melhor é aumentar a porção da ração. O veterinário pode te auxiliar nessa tarefa e é recomendado também comparar o peso ideal do cão com a quantidade de alimento sugerido na embalagem da ração.

Leia mais:  8 frutas e verduras que são tóxicas para o seu cachorro

Essa decisão é bem difícil e delicada, pois se errar na dose existe a chance do pet aumentar demais o peso. Não deixe de pedir ajuda ao profissional para saber exatamente quanto alimento oferecer a mais. Porém, como regra geral, não aumente mais de 10% da quantidade atual de uma vez.

A mudança alimentícia deve ocorre gradativamente para não ocasionar um desequilíbrio no intestino do cão, diarreia e outros problemas. O mais seguro é aumentar as porções e ir monitorando as fezes do animal para ter certeza de que está lidando bem com a mudança. 

Alterar a alimentação é uma das melhores alternativas para fazê-lo engordar de maneira saudável
reprodução shutterstock
Alterar a alimentação é uma das melhores alternativas para fazê-lo engordar de maneira saudável

Além de aumentar a quantidade da ração, é importante também oferecer outros tipos de alimentos para complementar a dieta. Adicione ovo cru nas refeições pelo menos três vezes na semana. Ele é rico em vitamina B12 e também contém vitamina A, riboflavina, folato, ferro, selêncio e ácidos graxos. Cães saudáveis, sem nenhuma doença crônica ou infecção, podem comer até a casca, já que é rica em cálcio. 

Fígado é outra ótima opção para engordar o cão de maneira saudável. Procure servir fígado de galinha cozinho ou bife de fígado duas e três veze por semana, entre as refeições. Por exemplo, ofereça de 50 a 70 g para um pet que pese 10 Kg. No mercado também existem biscoitos que contêm fígado entre os seus ingredientes.

Para enriquecer ainda mais a dieta, sirva tubérculos cozidos, como batata doce, inhame e mandioquinha. Misture junto com a ração para o cão não sentir tanta diferença nos alimentos. 

Veja também:  Quais são os prós e contras da ração úmida para cães e gatos?

Lembre-se de consultar um veterinário antes de oferecer qualquer comida diferente. Ele saberá qual alimento é mais indicado para seu cão, qual a proporção ideal e os melhores horários para servir. A ajuda do profissional irá garantir que a dieta esteja saudável e não aumente demais o peso. Além disso, não se esqueça de oferecer de maneira gradativa esses alimentos diferentes. 

Complementando a dieta com vitaminas

Se você alterou as refeições e o cão continuar muito magro, talvez a saída seja oferecer suplementos vitamínicos. As vitaminas B, por exemplo — em especial a B12 — aumentarão e estimularão o apetite do seu pet, além de regular e fazer trabalhar o metabolismo energético das gorduras, dos carboidratos e das proteínas. Se oferecer uns 2 ml durante uma semana você notará uma diferença significativa no peso. Repita o processo após duas semanas apenas. 

Uma outra opção é oferecer vitaminas para o seu cão como um complemento da alimentação
reprodução shutterstock
Uma outra opção é oferecer vitaminas para o seu cão como um complemento da alimentação

Existem outros complexos de vitaminas que ajudarão o pet a engordar e cobrirão todas as necessidades básicas. Confira com o veterinário quais são as mais indicadas para a situação do seu animal e certifique-se de ler bem as instruções no rótulo. No caso de filhotes, é melhor oferecer multivitamínicos líquidos. 

Por último, lembre-se de que as vitaminas não substituem os alimentos. Elas servem para complementar as refeições, tornando a saúde do animal melhor. 

Saiba mais:  Plano de saúde animal: como funciona e as vantagens de ter um

O que fazer em casos de doenças?

Mesmo alterando a dieta e adicionando complexo vitamínico, nada disso irá ajudar se o animal estiver doente. Parasitas, diabetes mellitus, problema no fígado, problema nos rins, câncer e inflamação no intestino são algumas das enfermidades que causam magreza excessiva. Fique atento a sintomas entranhos e leve o cão imediatamente a um profissional. Diagnosticando o problema, o tratamento correto será iniciado. Logo você verá seu cão engordar e a sua saúde ser reestabelecida. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.