Tamanho do texto

Elas podem se tornar agressivas depois de adultas; tutor deve sempre dar atenção e carinho para evitar que pet entre em depressão

Quando falamos em calopsitas, lembramos de aves muito dóceis e engraçadas, que estão conquistando muito espaço na vida dos brasileiros. Mas será que elas já nascem mansas e amigáveis como vemos na internet? O médico veterinário Thiago Luiz Muniz Medeiros Pereira, professor de Medicina Veterinária da universidade Anhanguera, explica que não, e conta como é o processo para amansar calopsita .

Leia também: 5 erros comuns que os donos de calopsitas costumam cometer

Segundo Thiago, a calopsita é naturalmente arisca. “Todo psitacídeo é arisco naturalmente, assim como qualquer animal. Se eles são criados pelos pais o tempo inteiro, e até saírem do ninho eles necessariamente se tornarão animais ariscos”, conta. Por isso é preciso que o tutor tome algumas atitudes pouco depois do filhote nascer.

amansar calopsita
shutterstock
Como amansar calopsita


Retirar a calopsita do cuidado dos pais após uma semana de vida

O veterinário explica que esse passo é muito importante para que o filhote cresça amigável com os humanos. “Se o curso normal for seguido, esses animais necessariamente se tornarão ariscos, pois isso é um mecanismo de defesa natural da ave”, explica. Por isso é preciso separar a ave dos pais pouco tempo depois de seu nascimento. Thiago também conta que o termo correto é ‘humanizada’. “Ela vai se tornar humanizada pelo contato com o criador antes que ela saia dessa idade juvenil, infantil.”

O que acontece é que nós “imprintamos” – algo como desviar o comportamento natural da espécie – o convívio da ave com o ser humano. Assim, a calopsita passa a achar que seu tutor também é uma ave, e por isso vai atrás, pede carinho, e aceita carinho. É importante que o dono sempre dê atenção, e acostume o psitacídeo com sua presença, principalmente pegando-a com cuidado na mão nessa fase jovem. Com isso ela ficará cada vez mais acostumada com o toque.

Leia também: Homem tem mais de 20 calopsitas e um quarto exclusivo para elas

Estragos que uma calopsita agressiva pode causar

Thiago fala que tudo depende do tamanho da ave. “Uma arara , por exemplo, pode arrancar o dedo de uma pessoa se a agredir. A calopsita é um bichinho pequeno e proporcionalmente ao seu tamanho ela pode causar um dano compatível ao seu tamanho, como ferir um dedo e ele sangrar”, diz.

Sempre é preciso tomar cuidado, pois o bico do animal foi feito para quebrar coisas duras, como sementes e coco, o que significa que elas têm bastante força, e mesmo que não cheguem a arrancar um dedo, podem fazer um corte profundo.

calopsita
shutterstock
Calopsita comendo semente


Calopsitas podem ficar agressivas depois de adultas

A humanização da ave não dura para sempre, principalmente se ela for esquecida. Como o animal cria um vínculo muito forte com seu tutor, se ela parar de receber atenção, ficará deprimida, e pode ficar bem mais agressiva do que antes de ser humanizada. “Pior do que isso, elas podem desenvolver o que chamamos de ‘vício de cativeiro’, que são as automutilações”, alerta Thiago. “Um psitacídeo pequeno, criado por humanos e que esteja habituado a receber carinho, mas que depois é esquecido e isolado vai ficar deprimido, vindo a morrer por depressão”, completa.

Leia também: 6 coisas que você precisa saber antes de comprar uma calopsita

Ou seja, elas sofrem muito com a falta de atenção, e isso pode mudar drasticamente seu comportamento. “Ela vai passar a atacar as pessoas que antes cuidavam dela. Tudo por conta deste abandono” finaliza o veterinário.