Tamanho do texto

A família foi crescendo quando Mauro resolveu comprar uma companheira para Pocoyo, sua primeira calopsita

O ditado “ no coração de mãe sempre cabe mais um” foi levado muito a sério por Mauro Matos, morador de Bertioga, litoral paulista. O coordenador comercial de uma empresa de internet resolveu adotar Pocoyo, uma calopsita , em janeiro de 2016, e como trabalha fora de casa, resolveu comprar uma companheira para ele. Foi aí que a família começou a crescer. 

Leia também: 5 erros comuns que os donos de calopsitas costumam cometer

Mauro conta que hoje tem mais de 20 calopsitas, que possuem um quarto só para elas. As gaiolas são utilizadas apenas quando ele precisa movimentá-las, limpar o quarto ou levá-las ao veterinário. 

dono e calopsitas
Facebook/ Mauro Matos
Mauro e algumas de suas calopsitas


“Eles casaram, e aí nasceu Panga que é doido no pai. Depois nasceu Kalvin e Sasha... Depois nasceu Kolvin”, e por aí vai. Mauro também adota as calopsitas que precisam de um lar. “Recebi de adoção o Mustafá e a Samira. O casal chegou com 6 filhotes”, afirma.

Na página do Facebook dedicada aos pets, a Amigos do Pocoyo, Mauro compartilha fotos, vídeos e o dia a dia das calopsitas. 

A quantidade de aves não atrapalha na hora de saber quem é quem. “Sei identificar todos eles e lembro todos os nomes”, conta. A grande dificuldade é em conter a reprodução dos animais. “Não dá para evitar que eles reproduzam, sempre têm ovos, mas eu impeço que eles choquem de tempos em tempos”, explica. 

Leia também: 6 coisas que você precisa saber antes de comprar uma calopsita

calopsita
Facebook/ Mauro Matos
Uma das calopsitas de Mauro


Nenhuma das calopsitas teve suas asas cortadas ou se alimentou de papinha: ele sempre compra ração de ótima qualidade e varia a dieta delas com frutas e legumes. Em diversos vídeos da página o tutor mostra o quanto Pocoyo é bravo quando se trata de seu ninho. Quando as outras aves tentam entrar na casinha, ele impede, para proteger seus ovos .

A razão para ser tão cuidadoso é porque foi “mal-acostumado” por Mauro, que mima as calopsitas como se fossem suas filhas. Sempre que viaja, ele traz “lembranças” para elas, como casinhas, brinquedos e outros acessórios.

Calopsitas
Facebook/ Mauro Matos
Calopsitas


Leia também: Quer ensinar sua calopsita a falar? Confira algumas dicas

O amor que Mauro sente por suas aves fica claro em suas postagens e vídeos. Elas atendem pelo nome e sempre disputam a atenção do “pai”, indo de encontro a ele quando chega do trabalho. Para evitar que as calopsitas fujam, ele coloca uma rede telada nas janelas e portas do quarto onde elas ficam.