Tamanho do texto

O Professor DeRose, autor do livro "Anjos Peludos", acredita que educar bem o animal pode influenciar na relação dele com o dono

Os cães são animais muito companheiros e costumam trazer alegria para dentro de casa. Mas, isso nem sempre é uma realidade. Muitos deles possuem problemas comportamentais - espalham papel higiênico pela casa, rasgam o sofá, latem muito, fazem as necessidades fisiológicas fora do lugar - que atrapalham a relação ente cachorro e dono, tornando-a desgastante. 

Leia também: Porque você não deve se despedir do cachorro antes de sair de casa

Para o Professor DeRose, autor do livro "Anjos Peludos", a melhor forma de melhorar os problemas comportamentais e, consequentemente, a relação entre  cachorro e dono é educando. Além de amor, o processo envolve tempo e paciência - o que muitos tutores não têm. 

Uma boa educação do pet resulta na boa relação entre cachorro e dono
shutterstock
Uma boa educação do pet resulta na boa relação entre cachorro e dono

"Ter um cão dá trabalho e dá despesas. Para ter um cachorro, você precisa de maturidade e estrutura. É necessário pagar veterinário, dar vacinas e alimentos de boa qualidade, brinquedos, caminha (que ele vai destruir logo, logo), mantinhas e mais uma infinidade de coisas. Ter um cão é como ter um filho que não cresce nunca. Você tem de cuidar dele pela vida toda”, afirma DeRose enfatizando a importância da dedicação por parte do dono. 

Além da dedicação ao animal de estimação, outros pontos podem melhorar a convivência do pet com o tutor. O Professor dá 5 dicas, confira. 

Aprenda com quem conhece

Antes de levar seu amiguinho para casa procure informações sérias sobre educação de cães . Conteúdos relacionados estão disponíveis na internet e em livros publicados. Esteja preparado para ter um cachorro. 

Uma boa opção é contratar um adestrador, mas isso não isenta a responsabilidade do dono. De nada adianta entregar o cão ao treinador e não participar das lições, caprichando na coerência. Assim como ocorre com os humanos, os animais ficam confusos quando um educa e o outro deseduca. Além disso, para funcionar, o treinamento deve ser sistemático, diário, permanente, incansável.

“O fundamental com cães, filhos e com todos os seres humanos, é cultivar a coerência. Se 'não pode' algo, é preciso que não possa sempre. Se em uma vez não pode e na outra pode, confunde a cabeça do comandado”, explica DeRose. 

Ensine onde fica o banheiro

Ensinar o animal a fazer xixi no lugar certo é uma das formas de melhorar a relação entre cachorro e dono
Shuttersock
Ensinar o animal a fazer xixi no lugar certo é uma das formas de melhorar a relação entre cachorro e dono

Necessidades feitas em locais errados é um dos fatores que mais influenciam na boa relação entre o animal de estimação e o tutor. Por isso, ensiná-lo desde cedo o local certo de fazer xixi e cocô é fundamental. 

"Fique de olho nos primeiros dias. Sempre que o filhote ameaçar um xixi ou cocô, carregue-o (o cão!), mesmo pingando, e coloque-o em cima dos jornais espalhados previamente no chão para esse fim. Aponte para o jornal e diga: "xixi". Depois, é só transportar o jornal para outro lugar e ele saberá que onde houver essas folhas, lá é o banheiro", ensina o professor. 

Um recurso que costuma funcionar é colocar o jornal em cima da obra de arte para absorver o cheiro e, depois, levá-lo para o canto certo. Já a localização inadequada, em que ele havia feito suas necessidades, deve ser bem lavada com desinfetante, para que o odor não seja identificado e, assim, evitar a repetição do comportamento indesejado.

Ensine que objetos da casa não são brinquedos

Encontrar os pés da cadeira roídos ou o sofá rasgado não é nada agradável. Para evitar é preciso ensinar ao cão que ele deve brincar apenas com os seus brinquedos. Isso se consegue facilmente, sempre retirando da boca do pet o outro objeto e oferecendo um dos seus brinquedos.

Nos primeiros meses é preciso ser implacável: sempre de olho e permanentemente, sistematicamente, tirando o que não lhe pertence e "explicando" (condicionando, sempre com a mesma palavra), que aquele objeto não é para ele morder.

É importante disponibilizar a maior quantidade possível de brinquedos para manter o animal entretido: para morder, despedaçar, correr atrás, fazer cabo-de-guerra com o dono. Variedade no material de casa brinquedo (corda, borracha, nylon) também é essencial. 

DeRose e sua cadela Jaya
Divulgação
DeRose e sua cadela Jaya

"Para não deixar os brinquedos espalhados, ensinei minha cadelinha Jaya a trazer seus trecos. Digo-lhe: “traz o toy” ou “traz a cama” ou “traz a guia” e ela me ajuda, indo buscar no andar de baixo ou onde o objeto estiver. Tudo é uma questão de educação e paciência, muita paciência!", conta DeRose que tem duas cadelas da raça Weimaraner, a Jaya e a Frieda. 

Gaste a energia do cachorro

Apenas oferecer diferentes brinquedos para o animal não é suficiente, estimule-o a brincar e gastar energia. Separe alguns minutos do seu dia para jogar uma bolinha de tênis para ele buscar, por exemplo. Além de deixar o animal mais calmo depois, esse exercício aproxima cachorro e dono. 

Passeios diários também ajudam a deixar o cachorro mais calmo, o que evita que ele apronte dentro de casa. Porém, eles devem durar mais que 5 minutos ou uma volta no quarteirão. Ande com o pet por cerca de 20 minutos, se preocupando sempre com a condição física dele. 

Para cães muito agitados,  uma boa opção é coloca-los em uma creche especial para animais de estimação pelo menos duas vezes na semana. 

Não seja agressivo com o cachorro que fez algo errado

Para o Professor "quem educa através do medo e da dor não cativa a admiração, o afeto e o respeito". Isso significa que essa pessoa será obedecida apenas enquanto estiver presente, mas quando sair de perto, o comandado fará o que bem entender. 

Assim, nunca bata ou seja agressivo demais com o seu animal de estimação se ele não fizer algo que você ensinou da forma correta. Tal atitude só irá piorar a relação entre o animal e o dono.  

Estabeleça sinais de aprovação e de desaprovação

Garantir que o cachorro está entendendo é o primeiro requisito para uma boa educação. Desde o início estabeleça gestos e sons de aprovação ou de reprovação.

"Sempre que o cãozinho acertar alguma coisa, faça o mesmo som e dê-lhe uma recompensa de carinho, palavras, tom de voz e petiscos. Quando ele errar, ignore. Isso funciona mais do que repreendê-lo, pois a repreensão pode se transformar em uma recompensa, já que ele ganhou a atenção, mesmo que seja na forma de bronca. No entanto, às vezes, será necessário avisar que determinada coisa não é para ser feita. Então, ajuda muito criar alguns sinais sonoros e gestos que possam ser facilmente reconhecidos", explica DeRose. 

Leia também: Adestrador mostra como treinar o cachorro para os comandos "senta" e "vem"

Todos os pontos citados acima reforçam uma atitude muito importante: antes de decidir comprar ou adotar um cachorro, tenha certeza de que terá condições para cuidar dele. Falta de tempo por parte do dono pode causar diversos problemas na relação entre cachorro e dono , além do animal ficar mais propenso a desenvolver doenças como a ansiedade de separação e estresse.