Tamanho do texto

O contato indevido é o grande culpado pela transmissão de patologias, como ser lambido no rosto, beijar o animal na boca e mordidas

Cuidar de um animal de estimação é bem mais trabalhoso do que aparenta. Além de dar banho, tosar, oferecer comida e levar ao veterinário, é preciso ficar atento a transmissão de doenças. Sim, os humanos podem contrair patologias vinda dos pets, as famosas zoonoses. 

Leia também: Zoonoses: Veja quais são as principais doenças transmitidas por animais

O contato indevido é o grande culpado por essa transmissão, como ser lambido no rosto, beijar o animal na boca e mordidas. A maioria dos animais possui contato direto da boca com suas fezes e urinas, contraindo micro-organismos prejudiciais à saúde dos seres humanos. Mas, felizmente, é possível frear as zoonoses .

Algumas medidas simples, como cumprir os programas de vacinação e manter os hábitos de higiene em dia, garantem a boa saúde dos indivíduos da casa. Confira uma série de dicas que ajudarão a evitar a transmissão de doenças.

Como evitar que nosso canino transmita doenças?

Mesmo que seja a forma do cão demonstrar todo o carinho e amor sentido pelos tutores, permitir que ele dê lambidas no rosto ou beijá-lo no focinho nunca é uma boa ideia
reprodução shutterstock
Mesmo que seja a forma do cão demonstrar todo o carinho e amor sentido pelos tutores, permitir que ele dê lambidas no rosto ou beijá-lo no focinho nunca é uma boa ideia

1) Não interrompa a fase de lactação

O leite materno é muito importante para o desenvolvimento do filhote, pois é através dele que o bichinho recebe vários componentes indispensáveis, como anticorpos. Quanto mais tempo ele for alimentado com este leite, mais forte o organismo ficará para combater doenças. 

2) Siga a risca os programas de vacinação e desparasitação

A melhor forma de combater patologias é através da prevenção. Portanto, cumpra a risca os programas de vacinação e desparasitação para combater vírus, bactérias e parasitas. A raiva e a leptospirose, um grande perigoso para a saúde animal e humana, são exemplos de doenças evitadas com esse método. 

3) Mantenha o animal sempre limpo

Dar banho regularmente no canino é essencial, tanto por uma questão de higiene quanto para inspecionar a presença de fungos e pulgas. Escovar os pelos de vez em quando também é uma opção para ficar de olho em possíveis anomalias da pele. Se descobrir qualquer tipo de problema, não toque com as mãos nuas, vá direto ao veterinário averiguar. 

Leia também: Calendário e importância das principais vacinas para cachorro

Além disso, lembre-se de limpar as patas do bichinho sempre que voltar de passeios. Normalmente as almofadinhas ficam molhadas e úmidas, criando um ambiente perfeito para a proliferação de fungos. Portanto, higienize-as bem antes do pet entrar em casa. Utilize lenços umedecidos ou um pano molhado limpo.

4) Tome cuidado com beijos e lambidas

Mesmo que seja a forma do cão demonstrar todo o carinho e amor sentido pelos tutores, permitir que ele dê lambidas no rosto ou beijá-lo no focinho nunca é uma boa ideia. Lembre-se que eles costumam limpar suas genitálias com a língua, cheiram caudas de outros cães e fazem diversas coisas repulsivas para nós humanos. 

Cuidar de um animal de estimação é bem mais trabalhoso do que aparenta. Além de dar banho, tosar, oferecer comida e levar ao veterinário, é preciso ficar atento a transmissão de doenças, as chamadas zoonoses
reprodução shutterstock
Cuidar de um animal de estimação é bem mais trabalhoso do que aparenta. Além de dar banho, tosar, oferecer comida e levar ao veterinário, é preciso ficar atento a transmissão de doenças, as chamadas zoonoses

Essas ações acumulam grandes quantidades de bactérias e parasitas no focinho, que depois será passada para os donos através dos beijos e lambidas. Então, é melhor evitar para preservar sua saúde. Encontre outras formas de manifestar o carinho. 

5) Higienize regularmente o ambiente em que o cão vive

O local em que o canino vive pode se tornar um criadouro de parasitas se não for limpo regularmente. É muito importante que o ambiente seja higienizado pelo menos uma vez por semana. Utilize produtos neutros para não irritar o nariz sensível do pet. 

6) Atenção aos perigos presentes em passeios

Na hora do passeio, é vital que o dono tome cuidado com alguns riscos diários. Não permita que o pet entre em contato com urina e fezes de outros animais para evitar doenças, como a brucelose. Não deixe que ele beba água de córregos ou poças. Se ele entrar em pântanos ou outras áreas úmidas, lave-o assim que chegar em casa. 

Leia também: Conheça os perigos de beijar na boca do cão

Jamais permita o contato com animais silvestre ou portadores de doenças, como ratos e insetos. Essa dica vale tanto para quem vive em área urbana quanto campestre. Os perigos assim estão espalhados por todas as partes. 

7) Não deixe o cão subir na cama sujo

Pode parecer uma dica óbvia, mas muitos donos não prestam atenção nesse detalhe quando o canino sobe na cama. É importante impedir que ele entre em contato com nossos lençóis para evitar proliferação de bactérias nesse local tão íntimo. Quando quiser dormir com o peludo, certifique-se que suas patas e pelagem estão limpinhas. 

Nós também podemos transmitir doenças aos animais

Os caninos tem o costume de cheirar o rabo de outros cães, o que faz acumular grandes quantidades de bactérias e parasitas no focinho
reprodução shutterstock
Os caninos tem o costume de cheirar o rabo de outros cães, o que faz acumular grandes quantidades de bactérias e parasitas no focinho

Os cuidados para evitar transmissão de doenças se estendem para os humanos, afinal os bichinhos também podem contrair algumas patologias de nós. Nesse caso, chama-se "zoonose inversa". A caxumba, o estafilococo dourado e a tuberculose são exemplos de doenças que os animais podem contrair.

Contudo, vale a pena esclarecer que é muito improvável que a gente consiga mesmo transmitir patologias. Os casos comprovados ao longo dos anos foram extremamente isolados. De qualquer forma, é importante tomar cuidado para evitá-las. 

Leia também: Você sabe o que é o Centro de Zoonoses? Entenda a importância dele

A melhor forma de evitar as zoonoses inversas é seguindo as mesmo dicas dadas acima. Mantenha as vacinas em dias, tenha hábitos de higiene como lavar as mãos antes de comer e após usar o banheiro, limpe a casa regularmente, não ingira alimentos e bebidas maus preparados, etc. Com pequenos cuidados é possível evitar diversas doenças.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.