Tamanho do texto

No Brasil ainda é difícil encontrar empresas ferroviárias que permitem animais, mas na Europa isso já é possível

O aumento dos transportes públicos tem feito os donos questionarem se podem levar seus animais também. Nem todo mundo possui carro ou tem condições de comprar um, então poder utilizar um meio coletivo facilitaria. Pensando nisso, é importante saber se o bichinho pode ou não realizar passeio de trem e metrô.

Leia também: É possível transportar gato e cachorro no ônibus? Entenda como funciona 

Infelizmente, nas companhias de transportes públicos paulistas , o Metrô e a CPTM, animais de estimação estão proibidos de acordo com o Regulamento de Transporte, Tráfego e Segurança da Companhia do Metropolitano de São Paulo - Metrô, aprovado pelo Decreto Municipal nº 15012, de 07/04/1978. Apesar da capital paulista não permitir o passeio de trem e metrô com pets, essa regra pode mudar de lugar para lugar. Confira o regulamento da sua cidade.

Os trens e metrô de São Paulos não permitem o transporte de animais, exceto cães-guias
reprodução shutterstock
Os trens e metrô de São Paulos não permitem o transporte de animais, exceto cães-guias

A proibição abre uma exceção quando se trata de animais de assistência a pessoas com défice visual, auditivo, motor e/ou mental, animais de assistência em treino e cães das forças policiais ou militares. Contudo, é importante saber que:

  • Os pets de companhia não podem nunca ocupar os lugares nos bancos. Eles devem ir em pé ao lado do condutor;
  • O animal precisa estar em bom estado de saúde (sem manifestações evidentes de doença contagiosa ou parasitária), bem cuidado, limpo e presos a uma guia e coleira. Se esses requisitos não forem cumpridos, os funcionários da empresa podem impedir a entrada do pet e de seu condutor;
  • Animais perigosos e potencialmente perigosos não podem ser deslocados em transportes públicos;

Essas limitações das empresas de São Paulo é bastante complicada para pessoas que dependem do transporte coletivo. Como a cidade é muito movimentada e com trânsitos frequentes, ajudaria os donos poder levar seus bichinhos no metrô ou trem. 

No entanto, essa situação é bem diferente em outros locais no mundo. Na Europa, por exemplo, os animais são permitidos nos trens de viagem, tão comuns nesses países. Veja como funciona o regulamente nesses locais. Quem sabe um dia você não consegue passear com seu bichinho numa cidade europeia.

Leia também: A motocicleta pode ser um transporte de cachorro? Conheça as regras

Viagem de trem na Europa

Na Europa, por exemplo, os animais são permitidos nos trens de viagem, tão comuns nesses paíse
reprodução shutterstock
Na Europa, por exemplo, os animais são permitidos nos trens de viagem, tão comuns nesses paíse

Se você costuma viajar com o pet e não aluga um carro, se deslocar com ele pode ser bem complicado. Por mais que os transportes públicos europeus começaram a permitir a presença de animais, ainda há muitas restrições e limitações. 

A Rede Nacional de Ferrovias Espanholas (Renfe), por exemplo, é uma empresa que aceita os pets, mas casa trajeto ferroviário tem normas específicas e tarifas diferentes em relação aos animais domésticos. Por isso, antes de encarar uma viajar de trem, é preciso estar bem informado. 

Restrições e regras para o transporte de animais

É necessário colocar o animal dentro de uma caixa de transporte e mantê-la fechada durante todo o trajeto
Reprodução/ Shutterstock
É necessário colocar o animal dentro de uma caixa de transporte e mantê-la fechada durante todo o trajeto

1) Viagens de longa e média distância

Quando você vai fazer uma viagem de média e longa distância, incluindo trens de alta velocidade, foram estabelecidas algumas normas para aceitar os bichinhos no transporte. Primeiro, é possível levar cães, gatos, aves e até furões, mas animais de fazenda, como galinha, são proibidos.

Só é possível levar um animal por viajante e não deve exceder o peso de 10 quilogramas. Ou seja, pets de porte grande podem ser barrados. É necessário colocá-lo dentro de uma caixa de transporte e mantê-la fechada durante todo o trajeto. As dimensões do objeto não devem ser superiores a 60 x 35 x 35 centímetros. Além disso, precisam ter algum dispositivo para conter e retirar resíduos. 

O animal precisa estar com a documentação requerida na legislação vigente e cumprir com as condições higiênico-sanitárias e de segurança estipuladas. O tutor é o responsável por qualquer dano que o pet possa vir a causar. 

2) Viagens curtas em trens locais

Ao contrário das viagens de média e longa distância, os deslocamentos curtos realizados por trens locais têm menos restrições. Não há limite de peso e também não precisa colocar o pet dentro da caixa de transporte. É preciso prendê-lo com a coleira e colocar uma focinheira. Porém, pode haver limitações de horário e estações. Se informe sobre antes de comprar a passagem.

3) Valor da tarifa para levar o pet

Por sorte não precisa comprar passagem para o animal ou pagar uma tarifa extra, tanto em viagens curtas quanto longas. No caso dos trens de viagem, é possível se locomover gratuitamente nas classes Preferente sentada, Club, Cama Preferente, Cama Grand Class e Poltrona Grand Confort. Para as outras classes será acrescentados 25% do valor de um bilhete de casse turística. 

Leia também: Vai viajar de avião com o pet? Confira dicas para comprar a caixa de transporte

Essa mesma isenção não acontece nos trens de média distância. No caso, também deverá ser pago o valor de 25% da tarifa geral. É bom consultar o regulamento de viagens antes de comprar o bilhete. Os cães-guia viajam de graça em todos os trens.

Dicas para ter uma viagem tranquila

O passeio de trem e metrô ainda não é possível no Brasil como na Europa
Reprodução Shutterstock
O passeio de trem e metrô ainda não é possível no Brasil como na Europa

Como toda a viagem, será uma experiência ruim para o animal. Por isso, é necessário seguir algumas dicas para que ele encare a locomoção de forma tranquila. Consulte um veterinário antes de viajar com o pet para um check up na saúde. Confira se as vacinas estão em dia e se existe a necessidade de dar remédio para evitar vômitos e tonturas. 

Leve água, alimentos e brinquedos silenciosos para distrair o animal. Tente acostumá-lo antes a ficar dentro da caixa de transporte para não ser um momento traumático. Antes de investir numa viagem de longa distância, experimente uma curta para saber como seu companheiro reage. 

Não ofereça comida pouco tempo antes da viagem e espere o animal fazer suas necessidades. Isso evitará situações incômodas. Além disso, não viaje se você tiver um pet idoso, muito filhote, grávida, com saúde delicada e recém-operado. Opte por deixá-lo com algum parente ou num hotel para animais. 

Leia também: Como ter uma viagem de carro com cachorro tranquila

Espera-se que, com o tempo, o passeio de trem e metrô no Brasil também seja possível. Isso irá ajudar muitas pessoas que dependem do transporte público.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.