Tamanho do texto

Assim como no caso da bicicleta, é necessário tomar certos cuidados para não prejudicar o pet

Uma das maiores dúvidas das pessoas é a respeito do transporte de cachorro. Nem todo mundo sabe se é possível levá-lo no avião , no ônibus e quais as regras específicas para o carro,  tão usado no cotidiano. Porém, a moto e a bicicleta também são opções de muita gente para se locomover nas cidades. E a questão que fica é: pode ou não colocar o pet na garupa?

Como transportar o pet na moto?
reprodução/ shutterstock
Como transportar o pet na moto?

Apesar de ser comum encontrar o cachorrinho na cestinha da bike, é necessário saber quais as medidas importantes para garantir a segurança de ambos os passageiros e o conforto do animal. Por isso, acompanhe os principais pontos a respeito do transporte de cachorro em motocicletas e o que é permitido ou não.

Legislação

O Código de Trânsito Brasileiro não considera o transporte de animais uma infração. Mas é importante frisar que o cachorro não deve ser motivo de distração para o motorista. Quando se começa a guiar o veículo o foco deve ser total na direção e na via. Ao tirar uma das mãos do guidão para mexer no pet, por exemplo, é possível ser multado, de acordo com a legislação.

Equipamentos de proteção

Sim, para levar o cachorrinho na garupa é necessário o uso de equipamentos específicos:

  • Óculos - o vento tende a ressecar os olhos do pet, além de levar sujeiras e corpos estranhos, prejudicando a visão.
  • Capacete - para proteção da cabeça
  • Roupa especial - essa vestimenta deve ser mais resistente, para proteger a coluna do animal e a espinha dorsal, responsável por boa parte dos movimentos dele. O rompimento de certas vértebras pode prejudicar tanto o pet a ponto de causar paralisia.

+Como fazer da caixa de transporte uma diversão para o cachorro

O capacete é um dos equipamentos importantes para a segurança do animal
Reprodução/ Shutterstock
O capacete é um dos equipamentos importantes para a segurança do animal


O lado ruim: esses materiais não são muito acessíveis e podem ter um preço alto. Além disso, é provável o tutor ter de fazer sob medida, por encomenda, para seu próprio pet, adequado ao tamanho e peso dele.

Acoplar um espaço extra à moto - chamado de sidecar - é também uma alternativa. Nessa "mini" moto o cão pode ir sentado com mais espaço e ficar ainda mais seguro do que no alto da garupa, junto de seu tutor. Inclusive, torna-se mais fácil acompanhar o que o cachorro faz e se ele está bem.

Não é raro ver pela rua pessoas levando o cão na bike ou na moto em caixas de papelão ou de plástico, daquelas usadas em feira. Essa ideia deve estar fora de cogitação, já que arrisca - e muito - a vida e o conforto do animal. 

Compartimento extra

A boa notícia é que além do sidecar, existe um tipo de cadeirinha, onde o pet pode ir sentado e preso a um cinto de segurança, na garupa do transporte. Assim, o animal não se machuca e nem fica esmagado. 

Esse espaço acoplado ao lado da moto é o chamado sidecar
Reprodução/ Shutterstock
Esse espaço acoplado ao lado da moto é o chamado sidecar


Outro fator mais relevante que os anteriores é a vontade do pet. Se ele demonstrar qualquer insegurança e medo da moto não insista. Às vezes o barulho alto do escapamento pode incomodá-lo e assutá-lo, afinal ele escuta tudo em um volume bem mais alto em comparação com os humanos. Isso deve ser levado em conta em qualquer outro tipo de transporte de cachorro. Afinal, ele não é só um peludinho de enfeite, é um animalzinho que merece respeito e carinho.

+Conheça os direitos dos animais nos condomínios


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.