Tamanho do texto

O ciclo reprodutivo dos felinos é parecido com o das mulheres, por isso é comum acreditar que as gatas também passam pela menopausa

A mulher humana chega à menopausa quando seu ciclo reprodutivo se encerra. Ela ocorre, em média, entre 48 e 51 anos de idade, devido à interrupção da produção dos hormônios femininos pelos ovários. Uma das consequência será a suspensão da menstruação. Como o nosso ciclo reprodutivo é um pouco parecido com o das gatas, será que existe uma menopausa felina?

Leia também: Conheça os sinais dados por uma gata grávida e não seja pego desprevenido

Para descobrir essa resposta, é preciso entender o funcionamento do ciclo reprodutivo das gatas, desde a puberdade até a suposta menopausa felina . É muito importante conhecer esse outro lado do bichano, pois os donos podem se preparar e estar atentos quando cada fase chegar.

A puberdade das fêmeas

Raças de pelo curto, que são mais precoces ao atingir a fase adulta, tem o primeiro cio por volta dos seis e nove meses de idade. Já raças de pelo longo, podem demorar até 18 meses para chegar à puberdade
reprodução shutterstock
Raças de pelo curto, que são mais precoces ao atingir a fase adulta, tem o primeiro cio por volta dos seis e nove meses de idade. Já raças de pelo longo, podem demorar até 18 meses para chegar à puberdade

A puberdade se inicia quando a gata tem o primeiro cio (chamado cientificamente de estro). Esse período é influenciado por vários fatores, incluindo a presença de outros gatos exibindo comportamento sexual, número de horas sob a luz (fotoperíodo), latitude (hemisfério norte ou sul) e raça. Assim, pode-se observar fêmeas entrando na puberdade  dos 4-5 meses até 14 meses de idade.

Raças de pelo curto, que são mais precoces ao atingir a fase adulta, tem o primeiro cio por volta dos 6-9 meses de idade. Já raças de pelo longo, podem demorar até 18 meses para chegar à puberdade. Como pode ser visto, é um período que varia bastante de gata para gata. 

O ciclo reprodutivo 

Uma gata no cio se torna muito mais carente. Quando não ocorre encontro sexual, provavelmente a fêmea irá chorar, miar e se esfregar pelo piso para aliviar seus desejos
Reprodução Pinterest
Uma gata no cio se torna muito mais carente. Quando não ocorre encontro sexual, provavelmente a fêmea irá chorar, miar e se esfregar pelo piso para aliviar seus desejos

O cio das gatas é bastante complexo se comparado aos de outros animais e difícil de prever. O primeiro fato sobre esse período é que acontece em certas épocas do ano, momentos nos quais a fêmea está disposta a procriar com um macho. Independente do gato, a gatinha só permitirá o cruzamento quando estiver no cio. 

Leia também: As fases e os cuidados da gestação de gato

O ciclo reprodutivo das gatas é chamado de sazonal pseudo-poliéstico de ovulação induzida. Ou seja, as fêmeas possuem vários cios ao longo do ano, que são influenciados pela luz e o clima. Os meses de mais calor ou quando os dias são mais longos (primavera e verão), são propícios para o surgimento do cio. Enquanto nos meses mais frios, as gatas param seus ciclos.

Na primavera e verão, a frequência do cio pode aumentar e aparecer de duas em duas ou três em três semanas. Contudo, não existe nenhuma regra que determine uma periodicidade para os cios, uma vez que são influenciados por diversos fatores: peso, genética, fotoperíodo, raça e encontro com outras fêmeas. 

Além disso, tal período é dividido em três fases:

  • Antes do cio: são os dias que antecedem o cio, quando os órgãos reprodutores começam a se preparar para receber o macho e abrigar os embriões. Nessa fase a gata ficará nervosa e, ao mesmo tempo, afetuosa. 
  • Cio: depois de cinco dias, a gata já está preparada e o cio começa. Caso não aja encontro sexual, provavelmente a fêmea irá chorar, miar e se esfregar pelo piso para aliviar seus desejos. 
  • Relaxamento: passado os dias de cio, se não houver acasalamento, a gata acabará relaxando e voltando a normalizar seu sistema reprodutor. 

Outra curiosidade relacionada ao ciclo das gatas é a ovulação induzida. Isso significa que, somente quando ocorrer a cópula com um macho é que os óvulos serão liberados para fertilização. É por isso que a mesma ninhada pode ter irmãos de pais diferentes.

A menopausa felina

É bastante comum observar mudanças no comportamento da gata quando a o cio termina. Em geral, ela ficará mais calma, relaxada e serena
reprodução shutterstock
É bastante comum observar mudanças no comportamento da gata quando a o cio termina. Em geral, ela ficará mais calma, relaxada e serena

A partir dos sete anos de idade, o ciclo reprodutivo passar a ficar irregular e as ninhadas tornam-se menos numéricas. A fertilidade das gatas termina aproximadamente aos doze anos. Nessa fase, a atividade sexual diminui muito e a fêmea não é mais capaz de abrigar os filhotes no útero.

Leia também: Gata tem a melhor reação ao descobrirem que ela está grávida

Os sintomas da redução de estrógeno são bem mais discretos se comparados às mulheres humanas, não sendo levados em conta clinicamente. Diante de tudo isso, não se pode dizer que as gatas passam pela menopausa que conhecemos, pois simplesmente produzem menos ciclos e deixam de gerar filhotes. 

É bastante comum observar mudanças no comportamento da gata quando a o cio termina. Em geral, ela ficará mais calma, relaxada e serena. Porém, também existe a chance de surgir diferentes problemas de conduta, como agressividade ou gravidez psicológica. Fique bem atento a fêmea nessa fase da vida.

Doenças relacionadas a alterações hormonais e envelhecimento

Apesar de não existir a menopausa felina, a gatinha passa por um período bem crítico quando entra na terceira idade e o cio termina. Os donos devem ficar atentos para evitar problemas maiores
reprodução shutterstock
Apesar de não existir a menopausa felina, a gatinha passa por um período bem crítico quando entra na terceira idade e o cio termina. Os donos devem ficar atentos para evitar problemas maiores

Diante de tantas alterações hormonais vividas pela gata, algumas doenças graves podem ser desenvolvidas, como câncer de mama e infecção uterina. Uma maneira de evitar esses problemas é castrando a fêmea antes de seu primeiro cio. Raças siamesas e japonesas merecem maior atenção, uma vez que são predispostas a sofrerem dessas enfermidades. 

Em relação à velhice, outras doenças também podem aparecer, como artrite, problemas urinários e síndrome de disfunção cognitiva. Essa última em especial, é bastante perigosa e atinge também os cães e humanos. A síndrome é caracterizada pela deterioração do sistema nervoso, principalmente do cérebro, levando ao surgimento sérios problemas comportamentais.

Leia também: As doenças mais comuns em gatos idosos

Apesar de não existir uma  menopausa felina , a gatinha passa por um período bem crítico quando chega a terceira idade e o cio termina. Os donos devem ficar atentos para evitar problemas maiores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.