Tamanho do texto

Perda da visão, problemas auditivos e obesidade são algumas das enfermidade que atingem os bichanos mais velhos

Quando a velhice chega é inevitável não pensar em doenças. O corpo vai ficando mais fraco e debilitado, tornando-se mais suscetível a contrair enfermidades graves. A pior parte é que o organismo não tem mais força para lutar contra isso, ficando bem difícil a recuperação. Esse quadro não se altera quando o assunto são os gatos idosos. 

Saiba mais:  Confira cuidados necessários ao seu gato idoso!

Diante disso, fica sob responsabilidade dos donos todos os cuidados. As visitas ao veterinário devem aumentar consideravelmente, pois é uma forma de monitorar a saúde do felino e não ser pego desprevenido por alguma patologia. Para se precaver em dobro, confira uma lista com as doenças mais comuns em gatos idosos

As visitas ao veterinário devem aumentar se você possui uma gato idoso. É a melhor forma de garantir a boa saúde.
reprodução shutterstock
As visitas ao veterinário devem aumentar se você possui uma gato idoso. É a melhor forma de garantir a boa saúde.

Boa parte delas raramente aparece em filhotes ou bichanos jovens, mas isso não é desculpa para deixar de realizar exames ao longo da vida. Lembre-se: quanto antes a doença for diagnosticada maiores são as chances de cura. Se seu bichinho tiver algum dos problemas abaixo, fique calmo, ofereça muito amor e inicie logo o tratamento. 

Perda gradativa de visão

Conforme a idade avança, diversos sentidos perdem sua força e capacidade total. Um dos principais é a visão, que vai reduzindo e se tornando turva. É por isso que a maioria dos idosos humanos usam óculos. Com os gatos essa situação não é diferente. O problema é que a visão é importantíssima para eles, pois permite os caminhar no escuro. 

Dentre as doenças oculares, a mais comum é a catarata. As pupilas ficam com um aspecto nublado e os olhos perdem totalmente ou parcialmente a visão. Se diagnosticado cedo, principalmente quando o gato não está tão idoso, existe a possibilidade de realizar uma cirurgia e curar. Caso não seja viável, existe a chance dele ficar cego. Nessa situação, mantenha os corredores da casa livre, tire os objetos do chão e não mude os móveis de lugar. Assim ele consegue se locomover sem trombar em nada. 

Veja também:  Diabetes em gatos? A doença tem se tornado comum nesses pets

Problemas auditivos

Assim como ocorre com a visão, a audição também enfraquece e perde a potência. Aos poucos o bichano passará a ouvir menos, sendo refletido em seu comportamento. Você perceberá que ele irá demorar a atender seus chamados, ignorará certos sons que o despertavam antigamente e acordá-lo será um verdadeiro desafio.  

Quando notar esse quadro, vá até o veterinário para a realização de exames e descobrir se há alguma infecção ou doença grave no ouvido. Se existir, o médico saberá como tratar corretamente. 

A maioria das doenças que atinge os gatos idosos não aparecem durante a juventude, por isso o dono deve ficar mais atento
Reprodução
A maioria das doenças que atinge os gatos idosos não aparecem durante a juventude, por isso o dono deve ficar mais atento

Problemas dentais

Os dentes também vão se desgastando com o tempo e perdendo sua qualidade, aumentando as chances de desenvolver problemas. Uma das maneiras mais simples de diagnosticar essa situação é através do hálito. Se estiver cheirando mal desconfie. 

É muito importante diagnosticar rapidamente doenças desse tipo, pois infecções na gengiva e na boca podem causar outros tipos de complicações, como abscessos na raiz dos dentes, infecções nasais, fraturas no queixo, entre outros. Leve o bichano para uma consulta com um especialista e tratar corretamente o problema. Para evitar qualquer complicação dentária, faça a limpeza oral diariamente. 

Obesidade

A velhice reduz toda a energia dos gatos, tornando-se cada vez mais sedentários. Além disso, a falta de exercícios físicos faz o bichano acumular calorias e não mais perdê-las. O problema que isso acarreta é a obesidade. Para melhorar essa situação, troque a ração comum para a sênior. Ela é feita exatamente para idosos e contém menos calorias. Não se esqueça de consultar o veterinário antes de mudar a dieta. Não deixe também de brincar com o bichano, mas sempre respeitando seus limites e deixando-o descansar.

Leia mais:  Escovação dos dentes melhora a qualidade de vida dos pets

Artrite

Essa é uma das principais doenças em gatos idosos. A artrite é uma inflamação nas articulações que causa fortes dores. Ela impedirá o bichano de realizar atividades cotidianas, como saltar, subir em árvores e até mesmo andar. É bem provável que ele ficará bravo e irritado quando as dores aparecerem, por isso tenha paciência. Esta condição é mais frequente nos cotovelos e quadril, se agravando caso o felino esteja obeso.

Se o seu pet possui artrite, leve-o ao veterinário para realizar exames e iniciar o tratamento. É bem possível que o profissional receite analgésicos e anti-inflamatórios para reduzir a dor. Existem medidas alternativas que podem ajudar na doença, como acupuntura. Pergunte ao médico se elas são viáveis.

Leve o gatinho regularmente ao veterinário para a realização de exames de rotina e fique atento a sua sáude
reprodução shutterstock
Leve o gatinho regularmente ao veterinário para a realização de exames de rotina e fique atento a sua sáude

Problemas intestinais e urinários

Os gatos são animais bem higiênicos quando se trata de fazer suas necessidades. No entanto, com a idade avançada, se torna difícil segurar as fezes e a urina até chega à caixa de areia e acabam fazendo em qualquer lugar. Quando isso acontecer, fique alerta, pois é sinal de doença. 

Leve o gato ao veterinário para diagnosticar o problema. As enfermidades intestinais e urinárias que mais atingem os idosos são: colite, doença inflamatória intestinal, insuficiência renal e doença dos sacos anais. O profissional saberá como tratar corretamente a situação. 

Câncer

O câncer pode aparecer em qualquer momento da vida, mas na velhice as chances crescem devido ao enfraquecimento do organismo. Ele não tem cura, mas se for diagnosticado cedo existe a chance do tratamento — seja cirúrgico ou quimioterápico — ter mais sucesso. Nesse caos, leve o bichano regularmente ao veterinário para realizar exames. Se algum nódulo aparecer, o profissional irá verificar se é maligno ou benigno e indicar como você deve proceder. 

Leia também:  Insuficiência renal em gatos é uma doença comum e irreversível

Independente se seu bichano tem ou não saúde boa, é importante visitar sempre o médico veterinário. Esse procedimento de rotina deve ser feito em qualquer idade, mas se torna imprescindível para gatos idosos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.