Tamanho do texto

Os donos devem escolher um profissional com cuidado, pois a inexperiência, imprudência ou falta de prática pode custar a vida do pet

A negligência médica de um veterinário, seja por falta de experiência, imprudência no procedimento ou mesmo pouca prática, pode custar a vida do animal de estimação. É por isso que, antes de marcar uma consulta, é preciso pesquisar bastante sobre os profissionais disponíveis. Contudo, mesmo se informando, sempre corremos o risco de encontrar veterinários ruins. 

Leia também: Plano de saúde animal: como funciona e as vantagens de ter um

Não são poucas as vezes que os donos ficam insatisfeitos com os serviços do especialista. É obrigação do mesmo oferecer todo o atendimento necessário para garantir o melhor tratamento e até mesmo a cura. Mas, quando isso não acontece, o veterinário pode ser acusado de negligência médica e os donos devem reclamar.

Deixar de lado nunca é uma boa opção, pois você pagou por um serviço que prejudicou a vida do pet. Em casos mais graves, provocou até o falecimento. Mas como resolver essa situação? Ajudaremos a identificar  atividades veterinárias inadequadas mais comuns e o que fazer diante dessas situações. 

Identificando traços de negligência médica

Não gerar documentos que registrem as ações do veterinário, como histórico médico, registros anestésicos, análises de resultados, evolução clínica, etc, é considerado negligência médica
reprodução shutterstock
Não gerar documentos que registrem as ações do veterinário, como histórico médico, registros anestésicos, análises de resultados, evolução clínica, etc, é considerado negligência médica

A pressuposição geral é que nenhum profissional atende um animal com a intenção de fazer mal ou causar a morte, e sim faz o possível para que o problema de saúde seja solucionado. Todas as decisões tomadas durante o procedimento são em prol da melhora e da evolução do quadro médico do bichinho. 

Embora os veterinários possam cometer erros por serem também humanos, a falta de experiência ou conhecimento não podem colocar em risco a vida de um pet. A negligência, a imperícia (fazer algo tecnicamente não recomendado), a imprudência, os maus tratos e a falta de "senso comum" costumam ser letais para qualquer ser vivo e é inadmissível um profissional exercer a profissão nessas condições. 

Na realidade, é bastante difícil identificar um serviço médico ruim, pois são muitos aspectos que devem ser analisados antes de acusar o veterinário . Por exemplo, ficam descartados aqueles procedimento que causaram a morte do pet enquanto estava tentando salvar a vida do mesmo. Muitos donos costumam culpar os profissionais nesses casos, quando a verdade é que não teria como salvá-lo. 

Por isso é necessário analisar bem o caso e ter provas contundentes antes de fazer uma reclamação. Se você cometer um erro e ficar comprovado que não houve negligência, possivelmente o currículo do profissional ficará machado e você terá perdido um tempo em vão.

Leia também: Psicólogo de animais: conheça tudo sobre essa nova área profissional

Mas, ainda assim, existem diversas práticas que podem ser consideradas mau procedimento, por exemplo:

  • Falta de comunicação com os tutores. O profissional deve explicar corretamente a situação do animal, oferecendo um diagnóstico preliminar, prognóstico, possíveis complicações, riscos e efeitos secundários do procedimento escolhido, possíveis efeitos de medicamentos e dar relatórios claros e completos da evolução do animal. 
  • Quando o profissional não faz um novo diagnóstico ou estuda outra terapia caso o tratamento atual esteja se mostrando ineficaz.
  • Realização de procedimentos médicos, clínicos ou cirúrgicos para os quais o profissional não está habilitado.
  • Não realizar exames médicos completos (exames laboratoriais, radiografia, etc.) antes de um procedimento operatório.
  • Realizar procedimentos desnecessários apenas para lucrar com o problema de saúde do paciente.
  • Não gerar documentos que registrem as ações do veterinário, como histórico médico, registros anestésicos, análises de resultados, evolução clínica, etc.
  • Não recomendar uma consulta com outro profissional caso o tratamento aplicado seja ineficiente ou esteja dando efeitos colaterais.

Como fazer para denunciar o veterinário?

Para que a denúncia seja considerada, você precisará de provas que atestem a péssima conduta do profissional, por exemplo, uma cópia do histórico médico
shutterstock
Para que a denúncia seja considerada, você precisará de provas que atestem a péssima conduta do profissional, por exemplo, uma cópia do histórico médico

Se você acreditar que ocorreu negligência médica, é preciso começar o processo de denúncia. Esse tipo de queixa só tem efeito quando algo grave acontecer, por exemplo, em caso de falecimento, queimadura do corpo, mutilação ou retiradas de partes do corpo desnecessariamente. 

Antes de dar o ponta pé inicial, tenha em mente que você precisará de provas contundentes. Evite argumentar como "porque sim", pois a denúncia não chegará a lugar nenhum. Além disso, lembre-se que serviços de beleza e de cuidadores não estão incluídos dentro das leis da medicina veterinária, apenas procedimentos de cunho médico. 

Caso tenha certeza que o animal sofreu de negligência, veja se a situação merece uma denúncia legal. Por exemplo, se o médico não tratou bem você e seu peludo, isso pode ser resolvido no próprio centro veterinário. Nesses casos, ir direto ao cerne do problema é mais efetivo e dá menos dor de cabeça. 

Leia também: A importância do trabalho do endocrinologista veterinário

Porém, quando as atividades inadequadas merecem uma queixa legal esteja preparado para enfrentar um tribunal de justiça. Você precisará de provas que atestem a péssima conduta do profissional, por exemplo, uma cópia do histórico médico. Não deixe de contratar um advogado caso seja necessário. 

Com essa documentação em mãos, é possível abrir uma queixa no órgão responsável que irá analisar a denúncia e decretar uma punição. Normalmente se impões sanções, como advertências e suspensões do exercício profissional por um determinado período, ou indenizações ao proprietário do animal. A ação dependerá da gravidade do ocorrido. 

Evitando maus profissionais

Para evitar negligência médica, procure apenas por veterinários credenciados e com todas as licenças emitidas por autoridades competentes
reprodução shutterstock
Para evitar negligência médica, procure apenas por veterinários credenciados e com todas as licenças emitidas por autoridades competentes

A verdade é que grande parte das denúncias dos donos não resultam em sanções ao veterinário. Muitas são rejeitadas pela falta de provas ou porque o tutor fica apenas concentrado no resultado final procedimento, sem se atentar ao processo como um todo. 

Por esse motivo, é melhor evitar chegar à etapa de denúncias e se atentar aos profissionais escolhidos previamente. Para isso, procure apenas por veterinários credenciados e com todas as licenças emitidas por autoridades competentes. 

Leia também: "Não sei em qual veterinário levar meu pet": saiba como escolher um adequado

Só vá a clínicas com espaço e instalações adequados para atenção do bichinho. Por fim, fique atento a comunicação e se é informado de todos as ações do veterinário. Esses cuidados não irão te livrar completamente da negligência médica , mas pode evitar muitas situações desagradáveis. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.