Tamanho do texto

O cachorro com coceira causada pela alimentação apresenta uma reação imunológica do organismo

Sabe aquela coceirinha sem fim, que às vezes chega a sangrar a pele do seu cão? Fique atento, porque, entre outros diagnósticos, o cachorro com coceira pode estar com uma hipersensibilidade alimentar , ou seja, ele pode ser alérgico a certos ingredientes da alimentação que você está oferecendo.

Leia também: A importância de uma boa alimentação para cães idosos

Em geral, o cachorro com coceira causada por ingredientes da alimentação apresenta reação imunológica porque seu organismo entende que determinado componente da dieta atua como um organismo que está querendo causar algum problema e ele está se defendendo.

O cachorro com coceira pode estar com hipersensibilidade alimentar
Reprodução
O cachorro com coceira pode estar com hipersensibilidade alimentar

Os animais, como pessoas, podem ser alérgicos a certos alimentos ou ingredientes. "A maioria das alergias alimentares é devido a certas proteínas presentes no leite, carne e peixe, mas também há alguns cães com intolerância aos aditivos alimentares", explica a veterinária Amanda Friedeck, em pesquisa realizada e publicada na Texas A&M University.

Carnes como bovina e cordeiro, alimentos como leite e até mesmo cereais como o trigo e milho, estão entre os alimentos que mais causam reações alérgicas em cães. Também pode haver reação por causa de corantes, aromatizantes e conservantes em grandes quantidades nos produtos oferecidos aos pets.

Lembre-se de não fazer o "diagnóstico caseiro ou do vizinho", ou seja, "um amigo ou parente falou que isso é dermatite, que é normal e só dar um remedinho que sara". Fuja disso!

A dermatite é um termo genérico e por isso, muito amplo, e pode ser causado por diversos fatores, como bactérias ou vírus, sensibilidade a produtos e ingredientes e, pode ser crônica ou temporária. Por isso, consulte o veterinário para diagnóstico e exames corretos , e avaliar corretamente a gravidade e o melhor tratamento.

Quais os sintomas da hipersensibilidade alimentar?

Para a veterinária  Luciana Domingues de Oliveira, "o mais comum é a coceira, mas sintomas digestivos como vômito e diarreia também são observados com frequencia. Observe se o seu cão se coça com muita frequência e, se isso causa inflamação da pele, descamação e se apresenta simultaneamente quaisquer sintomas gastrointestinais".

É preciso prestar atenção também em sinais como:

  • Pele vermelha, úmida ou ressecada;
  • Secreção ao redor dos olhos;
  • Coceira na região lombar e ao redor do rabo;
  • Ouvidos inflamados ou o cachorro raspando a orelha no chão;
  • Lamber e morder as patas ou outras partes do corpo.

Um cachorro adulto não está livre de desenvolver uma reação alérgica aos alimentos, mesmo que anteriormente não tenha apresentado. Assim, o problema pode aparecer em qualquer idade, apesar de ser mais comum entre o primeiro e o terceiro ano de vida. Também não existem raças específicas mais propensas, desta forma, todas estão sujeitas a desenvolver dematopatias.

Como a Alimentação Natural pode auxiliar no tratamento da hipersensibilidade alimentar?

Ficando comprovada que a causa da coceira é alimentar, é hora de tratar.

O primeiro passo é descobrir qual ou quais alimentos são os causadores dessa hipersensibilidade e, para começar o tratamento serão realizadas dietas de eliminação. Como o próprio nome sugere, serão oferecidos alimentos e analisadas as reações do peludo a eles. É aí que entra a Alimentação Natural .

Leia também: Alimentação natural melhora a qualidade de vida dos pets

Nessa fase, a dieta terá somente uma fonte de proteína, como galinha, peru, coelho, peixe, rã, entre outros; adicionado apenas um tipo de carboidrato. Se possível, que sejam ingredientes que o cachorro nunca tenha experimentado, evitando expor o pet a ingredientes causadores da alergia.

A alimentação natural balanceada pode ajudar na adaptação da alimentação do cachorro com  hipersensibilidade alimentar
PetNut
A alimentação natural balanceada pode ajudar na adaptação da alimentação do cachorro com hipersensibilidade alimentar

Durante o período experimental é estritamente proibido oferecer qualquer outro tipo de alimento ou petisco, principalmente industrializados. Sempre que possível, é importante evitar medicamentos que possam interferir nas análises.

Avise todos os amigos, familiares, cuidadores e adestradores sobre a dieta que está sendo oferecida ao cão e proíba os "presentes saborosos".

Havendo melhora e, após o desaparecimento do quadro alérgico, é hora de introduzir outra fonte de proteína, agora uma que o cão esteja mais familiarizado. Havendo reação alérgica, exclui-se imediatamente essa proteína.

O mesmo para outros carboidratos, assim, paulatinamente serão incluídos, testados e analisados novos ingredientes, até conseguir formar uma lista de alimentos hipoalergênicos, ou seja, aqueles que não causam reações alérgicas para seu pet.

Com esta lista em mãos, o veterinário com atuação em nutrologia poderá formular uma dieta balanceada, com muitas variações de ingredientes, evitando que o cachorro desenvolva novas sensibilidades aos alimentos.

Embora haja diferentes rações hipoalergênicas disponíveis no mercado, há casos que não são bem sucedidos e o uso de uma alimentação natural pode ser de muita valia por conseguir atender às necessidade e especificidades de cães alérgicos.

Durante todo esse processo, os veterinários especialistas em dermatologia animal também devem ser consultados para avaliar e auxiliar no tratamento.

A PetNut, para facilitar a vida de tutores e auxiliar nos tratamentos, produz e fornece dietas preparadas conforme a prescrição dos veterinários, podendo ser fracionada por quantidade de refeições ou por dia. Atualmente, na Região Metropolitana de Campinas, é possível fazer pedidos semanais, mantendo ainda mais frescos os ingredientes para os peludos e reduzindo os espaços de armazenamento dos tutores.

Dicas para cães alérgicos a alguns alimetos

  • As alergias por certos alimentos não são incomuns: entre 20% e 35% de prurido ou condições em pele não sazonal em cães estão relacionados com alergias alimentares, de acordo com o estudo de 'Sensibilidade Alimentar em cães', que aparece nas a publicação científica da Associação Veterinária do Reino Unido, em 2014.
  •  Intolerâncias alimentares, alergias e hipersensibilidade a certos alimentos podem causar reações perigosas no corpo canino, como prurido e colapso.
  • As reações alérgicas mais freqüentes no cão sensível ao alimento incluem coceira em áreas como as pernas, face e virilha. Como resultado, o animal vai arranhar e morder com insistência.
  • As alergias alimentares em cães geralmente não demoram a aparecer: 1 em cada 3 cães alérgicos a certos alimentos geralmente desenvolvem hipersensibilidade antes de atingir um ano de idade.
  • Qualquer suspeita de alergia alimentar, deve ser verificada pelo veterinário, a fim de poder escolher o melhor tratamento para cada cão.
  • Em caso de alergia, alimentos hipoalergênicos para cães devem ser recomendados por veterinários.

Assim, se você notar seu cachorro com coceira , vômito ou diarreia fique atento aos sintomas que ele dá. Não faça um diagnóstico precipitado ou ofereça medicamentos sem orientação veterinária. Todo o problema pode estar sendo causado por um simples alimento que está sendo oferecido para o animal. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.