Tamanho do texto

André Almeida explica que para as brincadeiras serem saudáveis, o dono deve estar sempre no comando; assista ao vídeo do adestrador

Brincar com o cachorro é sempre um momento muito divertido e especial na relação do animal com o tutor. Mas, muitos donos ficam na dúvida das brincadeiras que podem fazer e se algumas delas são saudáveis. Um bom exemplo é o cabo de guerra que muitas pessoas deixam de brincar por achar que o cão vai mostrar dominância e isso vai acabar interferindo no comportamento diário dele. 

Leia também: Porque você não deve se despedir do cachorro antes de sair de casa

O adestrador André Almeida, do Adestramento Comportamental, explica que não há problema nenhum em brincar de cabo de guerra , bolinha ou correr com o cachorro. O importante é que o animal não esteja no comando, mas sim o tutor.

A brincadeira de cabo de guerra pode não ser saudável para alguns cachorros
shutterstock
A brincadeira de cabo de guerra pode não ser saudável para alguns cachorros

Além disso, comportamentos durante essas interações, como a mordida por brincadeira, podem ser corrigidos. Assim, os momentos de diversão podem ser usados também para aprendizados. 

"Tem cães para várias situações e diferentes situações em que nós temos que privar ou estimular o cão. Então todo tipo de brincadeira, se você souber conduzir, é válida. Se você permitir que o seu cão seja dominante durante a brincadeira, não entregue a bolinha ou fique muito agressivo puxando a cordinha, ele será. Isso pode influenciar em outras situações. Mas, se você conseguir controlar a brincadeira, mostrar para o cachorro que o seu jeito de brincar é divertido, você não vai ter problema nenhum", explica André.

Por isso, o momento de brincadeira com cachorro não deve ser apenas uma distração para o dono, mas sim uma forma de observar o comportamento do pet e entender se algo precisa ser corrigido. Mas, antes de tomar uma atitude, é preciso entender o que está acontecendo. 

Leia também: Cachorro agressivo: adestrador dá dicas de como resolver esse problema

O adestrador explica que "quando o seu cão traz o brinquedo para você ele não está te controlando, ele está te mostrando que ele precisa de atividade, que ele gosta dessa atividade e que ele quer que você tenha essa atividade com ele". Porém, quando ele não devolve a bolinha, fica agressivo ou muito agitado a ponto de não responder os comandos, é preciso interferir e mostrar que quem manda ali não é o pet. 

Uma boa forma de mostrar quem manda na brincadeira com cachorro é utilizando os comandos básicos, como André faz no vídeo. Durante o momento de diversão com a Nikita, uma Pastor-belga Malinois de 10 anos, e com a Laika, uma Pastor-australiano de 5 anos, ele comanda desde o momento em que elas podem pegar o objeto que foi lançado, até o momento que elas devem ficar perto dele. Assista ao vídeo. 

Para ensinar os comandos básicos como "junto", "senta", "deita", "vem" e "busca" é preciso ter paciência e persistência. Utilizar petiscos e o clicker durante as aulas pode ajudar muito. Neste link André explica como ensinar os truques "senta" e "vem"

É importante saber que o cão reage bem a estímulos, então o dono precisa estimulá-lo a oberdecer e não bloquear ou reprimir o pet quando ele não obedece. 

A partir do momento em que o dono passar a controlar todas as brincadeiras, nem o temido cabo de guerra não será mais problema. Essa relação pode melhorar não apenas os momentos de diversão, mas também a relação que o tutor tem com seu animal de estimação. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.