Tamanho do texto

A união da psicologia com adestramento consegue proporcionar um treino baseado na personalidade do bichinho, atingindo no cerne do problema

Quando se adquire um cachorro, o principal desejo dos donos é que ele seja educado, siga as regras e respeite todos na casa. Porém, o animal não nasce com essa personalidade. Ela é conquistada através de muito treino e dedicação. E é por isso que o adestramento de cães é tão importante na vida de qualquer proprietário. 

Leia também: Psicólogo de animais: conheça tudo sobre essa nova área profissional

Sabendo disso, muitos profissionais buscam melhorar os treinamentos a fim de atingir o melhor resultado. A proposta mais atual é aplicar psicologia ao adestramento de cães , pois essa área do conhecimento ajuda a identificar os pensamentos e emoções do peludo, proporcionando uma educação melhor. Conheça mais sobre essa nova forma de educar os pets. 

A psicologia aplicada ao treinamento de cães

A união da psicologia com adestramento consegue proporcionar exercícios primários de obediência baseado na personalidade do bichinho, atingindo no cerne do problema
reprodução shutterstock
A união da psicologia com adestramento consegue proporcionar exercícios primários de obediência baseado na personalidade do bichinho, atingindo no cerne do problema

Após muitos estudos, descobriu-se que a psicologia canina tinha muito a acrescentar nas técnicas de treinamento. Essa área do conhecimento estuda a conduta e o comportamento do animal, a fim de entender o que está acontecendo em sua mente para agir de tal maneira. Depois de chegar a um diagnóstico, o profissional sabe como tratar o bichinho. 

Em resumo, a psicologia canina lida com algo muito sério, ajudando veterinários e donos a entenderem os problemas vividos pelo pet e descobrindo como melhorar a convivência entre todos. Sabendo disso, as técnicas de adestramento só tendem a melhorar se associando a psicologia.

A união das duas áreas consegue proporcionar exercícios primários de obediência baseado na personalidade do bichinho, atingindo no cerne do problema. Pode parece complicado de entender, principalmente quando se tem um filhote em casa. Mas quem tem um animal de estimação há anos, com um caráter já definido, é uma proposta interessante.

Leia também: Como lidar com cachorros que demonstram ter medo de pessoas

É sabido que cães adultos são extremamente difíceis de adestrar, simplesmente pelo fato de estarem com a personalidade totalmente formada, e é quase um desafio querer mudá-la. Porém, utilizando técnicas de treino desenvolvidas a partir dos problemas do canino, pode ser muito eficaz na hora de modificar certos comportamentos. 

Para entender melhor a psicologia aplicada ao adestramento, é importante  conhecer mais sobre o "reforço positivo". Essa técnica é caracterizada pela eliminação de punições e castigos, sendo substituídos por recompensas e elogios quando o animal acerta o comando. 

A importância do reforço positivo

O reforço positivo técnica é caracterizada pela eliminação de punições e castigos, sendo substituídos por recompensas e elogios quando o animal acerta o comando
reprodução shutterstock
O reforço positivo técnica é caracterizada pela eliminação de punições e castigos, sendo substituídos por recompensas e elogios quando o animal acerta o comando

O reforço positivo modificou completamente o modo de ensino aplicado por adestradores profissionais. Eles perceberam que o animal responde muito melhor ao treinamento quando é recompensado e estimulado com palavras de elogio. Em longo prazo, as punições e castigos deixam traumas profundos nos peludos, indo contra a proposta de um adestramento.

Além de usar o reforço positivo, é preciso lembrar que o respeito é uma parte extremamente importante do adestramento. Todos os seres vivos devem ser respeitados se você espera um tratamento adequado. Não é porque o animal é seu que tem o direito de tratá-lo mal.

Há alguns anos atrás, a premissa do respeito não era aplicada aos treinamentos. Acreditava-se que a punição era o único meio de conseguir bons comportamentos. Felizmente hoje se descobriu que o reforço positivo associado ao respeito garante resultados muito melhores, por essa razão se espalharam rapidamente pelo mundo. 

Isso não significa que se seu cão agir erroneamente e você gritar com ele, será classificado como mau. Claro que esse tipo de reação deve ser evitada, pois o peludo não entende o motivo dos gritos, mas é um comportamento compreensível diante dos fatores. 

Leia também: Cachorro hiperativo? Saiba como amenizar o comportamento desses animais

A técnica que os novos treinadores usam é oferecer guloseimas para recompensar os acertos. Naturalmente, é preciso encontrar um equilíbrio, pois só dar petiscos não resolverá o problema. Algumas vezes é preciso ser firme e dizer um "não" para o animal aprender.

E é buscando o equilíbrio perfeito que a psicologia foi adicionada ao adestramento. O profissional consegue "entrar" na mente do cachorro, descobrir seus problemas e desenvolver um treino adequado a ele. Mas usar apenas um método nem sempre funciona. Às vezes é preciso associar diversas técnicas para melhorar o comportamento. 

Como a psicologia é aplicada nos treinos?

Essa dosagem entre reforço positivo e rigidez vem da psicologia. É uma forma bem básica e simples de utilizar os conhecimentos da área durante o adestramento de cães
reprodução shutterstock
Essa dosagem entre reforço positivo e rigidez vem da psicologia. É uma forma bem básica e simples de utilizar os conhecimentos da área durante o adestramento de cães

A recomendação é sempre procurar um profissional adequado que conheça os métodos apropriados. Mas, caso não tenha condições de pagar, é possível improvisar em casa e melhorar o comportamento do pet. 

Um dos erros que os donos costumam cometer é depender exclusivamente das recompensas. Os cães não são burros. Portanto, se perceberem que basta fazer o que manda para ganhar petiscos, ele deixará de aprender. Suas ações serão repetitivas exclusivamente para ganhar o prêmio. 

Além disso, o animal não saberá o que tem que fazer porque não pensará em como deve se comportar, mas sim no que receberá futuramente. Dessa forma, acredita-se que é necessário combinar técnicas positivas com algo mais "neutro" e "tradicional".

Em outras palavras, você deve ser firme, ter uma linguagem corporal de líder e fazer o animal te obedecer. Jamais recorra ao espancamento ou violência. Pense que você está ensinando a uma criança bons comportamentos e às vezes é necessário de firmeza para ter sucesso.

Leia mais: Como passear com o cachorro que não gosta de sair de casa?

Essa dosagem entre reforço positivo e rigidez vem da psicologia. É uma forma bem básica e simples de utilizar os conhecimentos da área durante o adestramento de cães . Para que o treino seja mais específico e personalizado, consulte um profissional adequado e consulte um psicólogo canino. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.