Tamanho do texto

A água salgada precisa de um tratamento especial e de equipamentos específicos

Uma das maiores dúvidas de muitas famílias é: qual bichinho adotar ? Um cachorro ou gato são ótimas opções. Mas já pensou em ter um peixinho por perto? Pode ser da água doce ou precisar viver em um aquário marinho, tudo depende de sua origem.

+Como cuidar de um aquário de água doce

Você pode até criar um verdadeiro ecossistema com um aquário e peixes de água salgada
Reprodução
Você pode até criar um verdadeiro ecossistema com um aquário e peixes de água salgada

A outra pergunta que assombra várias pessoas é: como montar um aquário marinho ? Algumas dicas podem auxiliar nesse processo, que pode ser um tanto trabalhoso. Mas o resultado vale a pena!

É bom primeiro ter em mente que esse ambiente de água salgada é mais custoso e demanda mais cuidados do que o de água doce. É necessário ter mais atenção e dedicar mais tempo, para que não ocorra degradação do meio, evitando também prejudicar os seres vivos.

Montando um aquário marinho

Alguns equipamentos usados no outro tipo de aquário também podem ser usados nesse. Porém, certas partes devem ser trocadas. No lugar do areão, material calcário como coral esmagado e aragonite podem ser usados. Assim, o ambiente fica mais estável. 

Saiba como cuidar de um aquário de água salgada
Reprodução
Saiba como cuidar de um aquário de água salgada

O que é necessário para a montagem:

  • Tanque
  • Tampa
  • Suporte
  • Filtro
  • Aquecedor
  • Luz interior
  • Termômetro - o eletrônico é mais preciso que os demais, além de existir um flutuante, menos indicados por captarem temperaturas externas (em especial os de adesivos).
  • Cascalho
  • Hidrômetro - para medir a quantidade de sal

É fundamental garantir que todas as peças estão montadas corretamente e a temperatura e salinização estão certas. Espere em torno de dois a três dias antes de colocar os pexies lá dentro, até ter certeza de que está tudo bem. 

A água salgada enferruja todo material metálico, portanto, qualquer um desse tipo deve ser substituído por aço inoxidável. Este precisa ser de alta qualidade, para também não ser corroído. Além disso, o aquário deve ser instalado longe da luz solar.

O sistema de filtragem tem a função de proporcionar oxigênio à água, por meio das bolinhas que ficam próximas da superfície. No caso deste aquário, essa quantidade deve ser maior do que no de água doce e o movimento da água será fundamental para isso. O ideal é comprar uma bomba de circulação específica para o tamanho do aquário.

+Tudo sobre os peixes de água doce

via GIPHY


Sobre água, temperatura e pH

Com relação a água em si: nunca coloque sal na água doce, buscando torná-la como a do mar. Isso porque os dois tipos têm pH e temperatura diferentes. 

As bactérias nitrificantes de uma água são distintas da outra. São responsáveis pela transformação da amônia (tóxica para peixes) em nitritos, substância que pode matar corais . Além de levar à formação do nitrato, outro elemento que leva ao crescimento de algas indesejadas, mas que pode ser benéfico se esse for o objetivo da pessoa. Lembrando que o pH da água deve ficar entre 8 e 8.4, sendo o ideal 8.2, ou seja, mais básico do que ácido.

Há, ainda, uma diferença entre tipos de água marinha, enquanto a tropical tem uma média de 24º C, o da região de clima temperado apresenta 21ºC geralmente. É importante atentar para não misturar ambos. O ideal é ficar entre 24 e 26ºC , no máximo 28, já que o excesso de calor provoca falta de oxigênio.

Saiba os cuidados necessários para ter um aquário marinho
Reprodução
Saiba os cuidados necessários para ter um aquário marinho

Quantos litros deve ter o aquário? O cálculo é mais ou menos 1 peixe para 40 litros, então 5 peixes seriam 200 L, por exemplo. 

A água pode ser sintética ou natural e deve ser trocada a cada três meses, no máximo. Mas, lembre-se, de que para o primeiro tipo é preferível utilizar um filtro, para obter uma água deionizada , ou seja, pura, sem metais pesados, silicatos ou nitratos, tão prejudiciais aos seres vivos do mar. Além disso, podem surgir algas marrons, causando desequilíbrio no ambiente. 

A densidade é também um elemento influente nesse processo e nada mais é do que a divisão entre a massa e o volume da água. O número deve estar em 1020 nos aquários e 1023 ou 1024 nos que tiverem rochas vivas com corais e invertebrados. Isso pode ser medido com densímetros de plástico, mas o ideal é levar o aquário a um laboratório químico.

aquário marinho: saiba como cuidar e como montar
Reprodução/ Shutterstock
aquário marinho: saiba como cuidar e como montar


Como saber se o aquário tem problemas de equilíbrio?

A amônia é um elemento muito tóxico para peixes e invertebrados , que eles mesmos eliminam. Sua quantidade deve ser sempre controlada. O excesso de alimentos, por exemplo, leva à poluição da água e a amônia tem dificuldade de se dissolver. Esse tipo de excreta demanda um ambiente aquático, justamente para evitar seu acúmulo e prejuízo dos seres vivos.

A quantidade de nitrito e nitrato devem se manter sempre perto de zero. O segundo é bastante danoso a corais e invertebrados, mas o nível deve ser sempre baixo, pois depois de elevado é difícil reduzi-lo.

O nível de cálcio também é fundamental para saber se os corais estão com a estrutura saudável. Composto basicamente de carbonato de cálcio, o esqueleto precisa dessa substância. A quantidade deve estar em torno de 420 ppm e sempre controlada. Porque, além dos corais, algas vermelhas e outros seres vivos consomem esse elemento químico, reduzindo-o. Assim, fica mais complicado de o coral conseguir manter seu crescimento.

Peixe-palhaço , cavalo-marinho , camarão, caranguejo, anêmona e corais são alguns dos seres vivos que podem habitar o seu aquário marinho!

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.