Na Noruega, os turistas guiam sua própria matilha de cães.
Reprodução / GetOurGuide
Na Noruega, os turistas guiam sua própria matilha de cães.

Uma das principais atividades buscadas pelos turistas que vão até regiões mais ao norte do planeta é perseguir a aurora boreal. O fenômeno das luzes acontece principalmente em países como Groenlândia, Sibéria, Canadá, Noruega e Finlândia, que lucram disponibilizando passeios guiados que levam os visitantes para apreciar o espetáculo no céu. 

Muitos desses passeios têm a presença de um guia especializado, que explica sobre a aurora boreal e orienta os turistas, mas também de simpáticos cachorros, que levam os passageiros de trenó ao longo da imensidão branca. A raça mais comum é a Husky Siberiano, adaptada para sobreviver a jornadas extensas e ao clima frio. 


Em Tromso, por exemplo, cidade da Noruega, o safari da agência Husky Farm recebe os exploradores com 145 Huskies do Alasca. Desse modo, os turistas recebem roupas térmicas, podem acariciar os cães e assistem aulas de manejo de trenós. Após o treinamento, se inicia o safari, que acontece ao lado do “musher”, nome dado aos condutores de trenós.

Leia Também

(Continue a leitura logo abaixo) 

Leia Também

A experiência dura de 60 a 90 minutos, com os huskies conduzindo os passageiros do trenó entre trilhas montanhosas e natureza selvagem. É uma experiência divertida, mas cada membro da equipe tem uma função para ajudar os cães a se moverem pela neve, então não é uma tarefa tranquila. 

O aventureiro será saudado por 145 felizes, esperando para correr e receber carinho. O turista vai conduzir sua própria equipe de cães pela paisagem cênica. Serão fornecidas roupas térmicas quentes, botas de inverno e luvas para mantê-lo aquecido durante a aventura de trenós puxados por cães. Este tipo de excursão acontece durante a temporada de inverno no hemisfério norte, nos meses de dezembro a março. 

Bem antes de serem utilizados em atividades turísticas, os “cães de trenó”, já acompanhavam os humanos em caçadas em ambientes gelados. Os primeiros relatos de cães caminhando com os tutores em trenós datam de 10 mil anos atrás, segundo um estudo realizado pela Universidade de Copenhague, na Dinamarca. Eles também foram muito necessários durante a colonização do Alasca, já que resistem a altas temperaturas e possuem grande resistência física. 

Outro fato interessante é que cada cão da matilha desempenha uma função. Existe o cão líder, que vai à frente e determina o caminho, eles têm o olfato aguçado e são mais inteligentes. Já os cães de balanço revezam de lugar e orientam os cães da equipe, que são maioria e estão posicionados no centro. Na frente do condutor, os cães de calcanhar são os mais calmos e fortes do bando, caminham suavemente para não derrubar o trenó em curvas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários