Guia das raças: Husky Siberiano
Pexels
Guia das raças: Husky Siberiano


Com a  aparência de um lobo, o Husky Siberiano não é muito comum aqui no Brasil por conta das altas temperaturas e do calor predominante no país. A raça que surgiu no extremo nordeste asiático, adora neve e temperaturas negativas, tanto que sua pelagem o  protege  das baixas temperaturas. 

O husky foi criado para o trabalho e, apesar de parecer um lobo selvagem, ele é amigável, fácil de lidar e amam companhia, sendo ela dos tutores ou de outros animais. 


Além disso, a raça é muito ativa e eles precisam praticar muito exercício físico para gastar energia. Então, para quem quiser ter um pet para ficar no colo descansando, definitivamente ele não é o mais indicado.  

Segundo a Petz, a raça está acostumada ao trabalho pesado e, para não ficar cansado rapidamente, ela consegue controlar muito bem o metabolismo, poupando reservas de gordura. Com isso, não fica fatigado e consegue concentrar-se no exercício. 

Husky Siberiano
Pixabay
Husky Siberiano


Personalidade do Husky Siberiano 

Uma das principais características de um husky é o amor e apego que ele tem pela a família que os adota. De todo modo, é preciso tomar um cuidado redobrado se a ideia é criar uma convivência com gatos e passarinhos dentro de casa: por terem origem de caçadores, a raça gosta de atacar esses animais. Por este motivo, é importante educá-lo para uma socialização tranquila.

Você viu?

A raça tem duas características muito fortes que são a inteligência e a independência, demandando, assim, de pouco treino do tutor em relação a isso. Os huskys também precisam de espaço para as atividades físicas, ou seja, o dono vai precisar de um bom quintal. 

Husky Siberiano
Pixabay
Husky Siberiano


Saúde do husky 

Outro detalhe muito relevante sobre a vida de um husky siberiano é que o tutor tem de estar atento principalmente com relação aos pelos dele. A escovação exige que seja feita diariamente na troca de pelos. Esse cuidado evita problemas de pele do animal e auxilia na troca da pelagem. 

Fora da troca, a escovação deve ser feita duas vezes por semana, com uma escova macia, reta e de cumprimento médio para grande.

Esses bichos são conhecidos por sua limpeza e muito dificilmente exalam um forte odor. Eles preferem se limpar sozinhos, sem a necessidades dos banhos tradicionais. Caso o animalzinho se suje na lama ou no barro durante alguma brincadeira ao ar livre, o banho é necessário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários