Bono detém um recorde no Guinness Book: a onda mais longa já surfada por uma dupla cachorro e humano.
Divulgação
Bono detém um recorde no Guinness Book: a onda mais longa já surfada por uma dupla cachorro e humano.

Quando era apenas um filhote, com dez meses de idade, o labrador chocolate já demonstrava um talento incomum: a prática do surf. Hoje, Bono tem 11 anos e já foi cinco vezes campeão mundial, campeão brasileiro e detém um recorde no Guinness Book: a onda mais longa já surfada por uma dupla cachorro e humano. Neste último prêmio, cão e tutor surfaram uma onda na Pororoca da Amazônia por mais de 33 minutos. 

Ivan Quintães, empresário e tutor de Bono, adotou em um canil no Rio de Janeiro, quando o cão tinha apenas 45 dias. A ligação entre eles foi quase imediata. “Na teoria, ele teria sido um presente para minha ex-mulher, mas desde o início tivemos uma conexão incrível”, conta Ivan. 


Mas como Bono se tornou um cão surfista? Ivan relata que no momento em que subiu na prancha pela primeira vez, o animal demonstrou uma enorme alegria em estar ali. “O diferencial dele, além da habilidade, sempre foi a alegria contagiante em cima da prancha. Sempre latindo, com o rabo abanando sem parar”, diz. 

A partir de então, Ivan, que também é educador físico, começou a treinar com Bono. Eles desenvolveram uma técnica em que os dois surfam juntos na mesma prancha, categoria denominada Tandem. “Isso nos levou à Califórnia, onde acontece anualmente o campeonato Mundial de Surf Dog que reúne mais de 80 cachorros de vários lugares do mundo. Já na primeira competição conseguimos o primeiro lugar nessa categoria e comecei a me dedicar mais ao esporte”, afirma.

Leia Também

Bono também é um sucesso nas redes sociais, são mais de 230 mil seguidores no Instagram e 25 mil no Kwai, plataforma em que Ivan compartilha em vídeos curtos o cotidiano do pet. "Enxergo no Kwai uma grande oportunidade de alcançar muitas pessoas de todo o Brasil por meio de conteúdo leve e divertido e, assim, trazer também novos seguidores para o perfil do Bono”, conta. 

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também


No entanto, o labrador chocolate não é o único cão surfista no mundo. De acordo com Ivan, existem vários cães que aderiram ao esporte. O campeonato Mundial da Califórnia, por exemplo, chega a reunir entre 70 e 80 cães, todos os anos. “Existe uma competição na Austrália que também reúne vários cães. O Brasil hoje em dia, além do Bono e da Cacau (filha do Bono), também tem mais dois representantes no campeonato mundial, a Maya, do Gilson, uma cadela do Espírito Santo, e o Parafina, do Augusto de Santos. Este ano vai acontecer o primeiro Festival de Surf Dog na praia de Miami, em Natal, no final de novembro, e nós fomos convidados como embaixadores do evento”, explica. 

Para manter a saúde do cachorro, Ivan pontua que é importante um treinamento progressivo com o pet, desde o contato com a água, caso não seja uma raça que goste de se molhar, até a relação com a prancha, para que ele se familiarize aos poucos. “O mais importante é que o seu pet esteja curtindo o que ele está fazendo, não podemos obrigá-lo nem forçá-lo a nada que ele não queira, por isso o treinamento progressivo, além de sempre premiar o pet, é tão importante”, destaca.

Entre os benefícios que o surf traz para o pet, Ivan salienta que são inúmeros. “Como educador físico, eu sempre falo da possibilidade de você poder cuidar da sua saúde e da saúde do pet ao mesmo tempo. Fazendo alguma atividade física ou esporte como uma caminhada, corrida, remada, surf ou até mesmo uma trilha, eu garanto que a atividade será muito mais prazerosa, não só para o tutor mas como para o nosso cão, que estará na companhia de quem ele mais ama no mundo”, termina.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários