Cadela pode se mover livremente com o uso de prótese feita em impressão3D
Reprodução
Cadela pode se mover livremente com o uso de prótese feita em impressão3D

Uma Chihuahua chamada Guzzy, que nasceu sem as duas paras dianteiras recebeu uma nova prótese, totalmente projetada e feita por meio de impressão 3D. Quem entregou e explica sobre o projeto é o diretor de medicina veterinária e Zootecnia da Universidade do Vale do México, Santiago Garcia.

O dispositivo, segundo Santiago, permitirá que a cadela recupere a mobilidade e pode ser adaptado ao corpo, de acordo com o tamanho do pet. As peças são ajustadas e podem ser trocadas caso quebrem ou não sejam mais necessárias.

Com a prótese, Guzzy poderá ir em qualquer direção, se movimentando o mais próximo ao natural possível. “Corrigir a postura a ajudará a prevenir o desenvolvimento de patologias relacionadas à degeneração dos músculos e articulações devido ao movimento em uma posição anormal dos membros posteriores”, disse.

O dispositivo foi impresso com tecnologia 3D e é feito à base de resina tipo ABS, o que faz dele um aparelho leve e resistente. Possuindo três rodas, ele permite apoiar os membros anteriores e a cabeça, com altura ajustável.

“O desafio de projetar o dispositivo dado a Guzzy foi ajustá-lo à sua altura. Este desenho permite que ele cresça com o cão e as peças podem ser facilmente adaptadas ou até substituídas caso uma delas quebre ou deixe de ter utilidade”, afirmou o especialista.

Você viu?

García explicou ainda que o carrinho permite movimentos rápidos em ângulos fechados, devido à velocidade dos pneus do dispositivo. “Por causa dessas características, Guzzy será capaz de correr mais rápido em comparação com sua dinâmica anterior. Quando ela brincar com outros cães ou quando eles a perseguirem, ela terá mais liberdade e movimentação”, comentou.

Disponível para download

Por ser um dispositivo ajustável, pode ser usado em cães maiores, Santiago Garcia conta que essa foi a terceira versão projetada. “O primeiro não é ajustável para cães grandes, o segundo tem uma roda dianteira omnidirecional, e esse design acoplado ao Guzzy permite que seja ajustado à altura do paciente, portanto, pode ser usado para cães maiores”.

Os três designs estão disponíveis para download em um  site para impressoras 3D, o veterinário conta que já foram baixados mais de 200 vezes e já acompanharam mais de 12 casos de cães com o mesmo problema, que foram auxiliados com o dispositivo.

“É importante lembrar as pessoas para que não percam a esperança e que saibam que: com a ajuda da tecnologia e do conhecimento dos médicos veterinários estes animais podem ter uma boa qualidade de vida”, completa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários