Sthefany Brito e seus cachorros, London e Montalcino. A atriz teve o primeiro filho em novembro do ano passado e vem administrando a relação do bebê com os cães
Reprodução/Instagram
Sthefany Brito e seus cachorros, London e Montalcino. A atriz teve o primeiro filho em novembro do ano passado e vem administrando a relação do bebê com os cães

Para alguns pode ser estranho, mas cachorros e gatos também sentem ciúme e a chegada de um novo integrante na família pode gerar um grande conflito entre o animalzinho de estimação e o bebê. Por isso, preparar os bichinhos para este novo momento da vida pode fazer a diferença no cotidiano da casa, evitando problemas .

A estudante de letras Letícia Matiazzo teve a primeira filha, Iza , há seis meses, e tem uma cadela da raça Yorkshire, Jack , há 13 anos. Ela conta que, durante a gestação, Jack e Tibe, cãozinho de mesma raça que morreu durante a gravidez da tutora, se tornaram muito carinhosos e gostavam de dormir na barriga dela. 

"Assim que a Iza nasceu, a Jack ignorou a existência dela e, depois de uns três meses, elas começaram a interagir. Tentei dar atenção para a cachorra, para ela não se sentir negligenciada, mas hoje o relacionamento delas é, no geral, muito bom. Jack é senil, então não gosta muito de se agitar, mas quando a Iza está calma, rola muita parceria. Iza sempre joga fruta para ela quando está comendo e elas amam cochilar juntinhas", conta Letícia.

Entre as celebridades, Sthefany Brito sempre deixou bem clara sua paixão por seus dois buldogues franceses, London e Montalcino , os quais ela não deixou de lado em nenhum momento durante sua primeira gravidez. A atriz lembra que, antes de Antonio Enrico nascer, deixou que os doguinhos passeassem pelo cômodo que seria destinado ao bebê para que fossem se acostumando com o cheiro e a nova rotina.

Você viu?



“Cada coisinha que chegava do bebê a gente deixava os cachorros verem e cheirarem! A gente permitiu que eles entrassem no quartinho enquanto ficava pronto... assim eles não sentiram tanto o ambiente diferente”, comenta ao Canal do Pet .

Apenas 20 dias depois do nascimento do filho, Sthefany contou nas redes sociais como foi a interação de cada um dos cães com o bebê. "Montalcino ainda está tentando entender o que está acontecendo na casa, com a mamãe. O que seria o Enrico, né, filho? Uma hora a gente vai conseguir esclarecer", escreveu na época, referindo-se ao cachorro.

Ela ainda completou dizendo que Montalcino não convive muito com o bebê porque ele fica nervoso. “Quer pular, lamber, chegar na cara do Enrico para ver o que é. Meio complicado, mas nada que a gente não resolva com muita calma e muita paciência", afirmou.

Já o outro cão de Sthefany, London, tem se mostrado atencioso e calmo perto de Enrico. “London é um exemplo de maturidade, já entendeu que o Enrico é um neném, que não pode chegar na cara dele, não pode subir, mas fica no pé da mamãe quando a mamãe vai dar de mamar, cheira o pézinho do irmão dele às vezes, fica calminho quando o Enrico chora... já entendeu", disse.



De acordo com o levantamento de 2015 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 44,3% das residências em áreas urbanas do Brasil têm, pelo menos, um cão enquanto 38,1% têm crianças. Pensando nesse grande número de famílias, os adestradores de animais Douglas Gouvea e Michelle Araújo , apontaram oito dicas para fazer com que o cachorro e o bebê se tornem amigos e vivam em harmonia em casa.

Confira:

1 - Confie na sensibilidade do cão
Os cachorros têm um olfato bastante apurado. "Antes mesmo da mãe saber que está grávida, eles já sabem disso", afirma Douglas. Eles têm uma sensibilidade intuitiva grande e, dificilmente, pularão na barriga da mãe grávida quando ela chegar em casa. Caso isso aconteça, é importante ter paciência para ensinar a ir com calma durante o período da gravidez.

2 - Decida os espaços em conjunto
É importante decidir o quanto antes se o cachorro poderá entrar no ambiente em que a criança vai ficar. Se não puder, é necessário fazer a retirada antes do bebê chegar. "Caso contrário, o pet pode associar a criança a algo negativo e ter um comportamento que não desejamos", diz Michelle.

3 - Convívio aumenta a imunidade do bebê
Apresentar o cão quando o bebê ainda é bem pequeno pode evitar vários tipos de doença . "Aumenta a imunidade da criança. Então, a chance de gerar alergia e asma é muito menor", afirma Michelle.

4 - Mantenha a rotina e dê atenção
É preciso entender que os cães, assim como os bebês, merecem atenção e carinho. Mantenha as brincadeiras, sempre mostrando que há uma criança na casa. Não mude seu comportamento com o cachorro, ele pode sentir. "Caso o comportamento do cão seja atípico, é importante chamar um adestrador", diz Douglas.

5 - Leve o cheiro do bebê até o pet
Uma dica para se acostumar logo com o neném é levar uma toalha para deixar com a criança na maternidade. Antes de voltar para casa, peça para alguém levar até o cachorro. O cheiro da criança estará no pano e quando ela chegar em casa, o cheiro já estará familiarizado.

6 - Não afaste o bebê do cachorro
Quando o bebê chegar, não tire o cachorro de perto dele. Coloque o pezinho para o cachorro cheirar e sentir a nova energia da casa. "A amizade só vai crescer", afirma Douglas.

7 - Redobre a higiene da casa
Sempre que der, recolha as necessidades do cãozinho na hora que ele fizer e, quando voltar dos passeios, use um lenço umedecido para limpar as patinhas. Dessa forma, a sujeira que vem de fora não afetará o bebê nem o cachorro.

8 - Passeio com o pet
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é recomendável que mulheres grávidas pratiquem, pelo menos, três horas de exercício físico. Passear com o cachorro é uma forma de manter o corpo da mamãe, o bebê e o cão saudáveis. Além de ser uma ótima forma de passar um tempo com o pet, mostrando que nada mudará com a chegada do novo membro da família.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários