Tamanho do texto

Veterinária explica que as raças mini e braquicefálicas são as que mais sofrem com as baixas temperaturas do inverno

O inverno é a estação mais fria do ano e a baixa das temperaturas pode ter influencia negativa nos animais de estimação. Muitos deles sofrem com a baixa da imunidade e ficam mais expostos a doenças - o que pode ser ainda pior para algumas raças de cachorro específicas. 

Leia também:  Dores articulares em animais idosos podem piorar no frio; fique atento

Pug no cobertor
Shuttersock
O Pug é uma das raças de cachorro que mais sofrem com o frio

Caroline Bettini, veterinária da clínica SPet junto a Cobasi Teodoro Sampaio, explica que algumas raças sofrem mais do afetadas que outras. "As mais afetadas são as mini e as braquicefálicas, de focinho achatado, devido a maior dificuldade para inspirar. O clima seco que é típico do frio, promove maior ressecamento das vias aéreas superiores, dificultando a respiração", explica. 

Dessa forma, entram na lista das raças de cachorro que mais sofre com frio Pug, Boston Terrier, Buldogue Francês, Buldogue Inglês, Chihuahua, Shih Tzu, Pinsher, Maltês, Yorkshire Terrier, Pequinês, entre outros semelhantes. 

Os donos de animais das raças citadas devem ficar atentos a sintomas como tosse, espirro, coriza, febre e inapetência, já que no inverno as doenças do trato respiratório são as mais comuns. "O clima seco favorece maior propagação principalmente das doenças virais, então, na presença de um ou mais sintomas, o médico veterinário deverá ser consultado", diz a verterinária. 

Leia também: Fique atento! As doenças em cães e gatos mais comuns no inverno

Para evitar maiores problemas o dono pode agir. Colocar roupinhas no cachorro, disponibilizar cobertores e camas mais quentes, como os iglus que permitem a proteção contra as temperaturas mais baixas são medidas importantes. A vacina contra a gripe, que combate a bordetelose e parainfluenza, pode ser aplicada pelo veterinário. 

No caso das raças de cachorro mais afetadas cuidados mais especiais precisam ser tomados. Entre eles está o uso de umidificadores de ar e inalação para evitar ressecamento e obstrução das vias aéreas.