Há o famosos ditado que diz que o cão é o melhor amigo do homem. Já algumas pessoas ainda podem falar que eles são a razão de sua vida, e a história da youtuber Carol Capel é um resumo disso.

Com depressão clínica e síndrome do pânico, a youtuber de 31 anos e que tem mais de 2 milhões de inscritos em seu canal, conta que o cãozinho Aladdin, hoje com 5 anos, literalmente salvou sua vida. "Quando eu fui morar na Flórida com meu marido, em 2015, eu, recém-chegada nos Estados Unidos e com mil novas atribuições de trabalho, acabei adoecendo por estar exigindo demais de mim mesma", conta ela.

Mulher carregando cão
Reprodução/ Instagram
Carol Capel e Aladdin

Diante disso, a depressão de Carol evoluiu para um quadro de fibromialgia (dor que causa fadiga e alterações no sono, na memória e no humor). "Eu estava sempre no buraco, sempre chorando e passava dias e dias de cama tomando medicação pesada e nada, absolutamente nada resolvia".

Em um dos dias em que a youtuber estava passando por uma crise severa de ansiedade, ela lembra que tomou uma atitude drástica com o intuito de acabar com o sofrimento. "Peguei uma vela dessas grandes que possuem um pote de vidro, atirei na parede com muita força e peguei um dos pedaços do vidro que espatifou no chão. Eu estava obstinada a tirar a minha própria vida ali, na sala da minha casa". 

A jovem foi impedida pelo marido que teve a ideia do cãozinho. Em um abrigo de Orlando, na Flórida, onde foi buscar o bichinho novo, Carol pareceu ter se conectado instantaneamente com o cãozinho que receberia o nome de Aladdin. Além disso, o animal estava lá fazia um tempo e teria que ser sacrificado. "Peguei no colo e falei: eu quero ele!".

Quando perguntada sobre o nome escolhido para o animal, ela comenta que foi homenagem ao seu filme preferido da Disney e a uma música presente no longa chamada "Diamond in a rough" (diamante que precisa ser lapiado em português), que também se refere ao animal.

"Daquele dia em diante, nunca mais passou pela minha cabeça a ideia de suicídio. Ganhei um propósito novo na vida", conta. "Sei que ele depende de mim para continuar sendo feliz e eu também dependo muito dele e agradeço muito sua existência na minha vida". 

A vida estressante de Carol teve uma pausa com Aladdin. Com todos os cuidados que o animal exige, ela e o marido conseguem se distrair e tirar um pouco a cabeça do trabalho.

Hoje em dia o cachorro é total parte da família, além de ser super mimado. Carol e o marido sempre aparecem com um mimo, um presentinho para deixá-lo contente. "Ele é o rei da casa. Quando a gente sai, nunca volta sem nada para ele." A jovem ainda atenta para o quão bom adotar animais pode ser.

"Adotar um animal de estimação é trazer mais cor e alegria para a sua vida. Eles nos ensinam lições todos os dias, mesmo que calados. Nos ensinam com uma sabedoria silenciosa que só eles têm".

Além de ter salvado a vida da tutora, Aladdin também ganhou uma vida muito divertida e já voou de avião, andou de trem, conhece mais de 10 países e possui muitos fãs que o amam nas redes sociais.

Ver essa foto no Instagram

New York, USA. 2018 🇺🇸

Uma publicação compartilhada por Aladdin 🧞‍♂️ (@viralatadeblogueira) em

Ele possui um Instagram próprio para deixar registrados todos os momentos e aventuras que passa com a família. "Lá no Instagram eu também falo sobre a importância da adoção, que não precisamos de um animal que custa milhares de reais, que um amigo não se compra. Também mostro, através da minha experiência com o Aladdin, que os vira-latas também são muito fofos, como qualquer outro cachorro", finaliza Carol

Uma relação dessa é de derreter o coração e morrer de amores, não é mesmo?

    Veja Também

      Mostrar mais