Uma universidade da Pensilvâniados, Estados Unidos, está treinando cães da raça labrador para farejar o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em seres humanos. A pesquisa conta com oito cães e tem como objetivo identificar o vírus de uma maneira não tão invasiva.

Cão marrom da raça labrador deitado na grama verde, com a língua para fora
Shuttersock
Labradores são treinados para detectar novo coronavírus nos Estados Unidos

Em entrevista ao jornal The Washington Post, Cynthia M. Otto, diretora do Working Dog Center da Escola de Medicina Veterinária da Pensilvânia, disse que descobriram em pesquisas que os vírus têm cheiros específicos. "Não sabemos se é o odor do vírus, por si só, ou o da resposta ao vírus, ou uma combinação. Mas os cães não se importam com o que é o cheiro. O que eles aprendem é que há algo diferente nessa amostra que não tem nessa outra amostra. Acredito que eles poderiam detectar o vírus se a gente pudesse treiná-los de forma adequada e segura."

Leia mais: Gato é primeiro pet a testar positivo para Covid-19 na França

Se o treinamento obter sucesso, os cães poderão detectar o vírus de maneira fácil em hospitais, aeroportos e diversas empresas. Oito labradores já começaram a primeira etapa do treinamento que consite em aprender a identificar odores em troca de recompensas. O próximo passo será usar amostras de urina e saliva coletadas de pacientes que apresentaram resultados positivos e negativos para Covid-19.

Leia mais: Cães farejadores serão treinados para detectar pessoas com Covid-19

Há um mês, uma pesquisa semelhante começou a treinar cães na Inglaterra, onde estudiosos identificaram que esses animais conseguem detectar o câncer e a malária. 



    Veja Também

      Mostrar mais