Tamanho do texto

A ordem de execução, dada pelo chefe da Defesa Civil de Minas Gerais, tem como objetivo matar animais ilhados, feridos ou presos na lama e só é realizada quando não há outra opção

Na última sexta-feira (25), uma barragem de minério da Vale se rompeu na cidade de Brumadinho, em Minas Gerias, causando o vazamento de 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos. A tragédia devastou parte da região, se tornando um dos maiores desastres ambientais do país. Até o momento foi confirmado a morte 65 pessoas e 279 estão desaparecidos.

Leia também: Lei permite andar com pets no transporte público de São Paulo

Além dos moradores, os animais também sofreram as consequências da tragédia em Brumadinho . Muitos morreram quando foram levados pela lama, enquanto outros estão atolados e aguardam por resgate. 

Milhares de animais estão sofrendo em Brumadinho
Reprodução/TV Record
Milhares de animais estão sofrendo em Brumadinho


Porém não são todos os animais que estão sendo resgatados. Um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi enviado nesta segunda-feira (28) para atirar nos animais ilhados, feridos ou presos na lama. A ordem de execução foi dada pelo chefe da Defesa Civil de Minas Gerais, o coronel Evandro Geraldo Borges. 

A PRF informou em nota que o processo de sacrifício atendia a todos os protocolos de segurança. "O ato foi realizado a pedido e sob a coordenação de uma veterinária, integrante do Conselho de Veterinária de Minas Gerais e supervisionado pelo comando das operações de resgate."

Leia também: Hailey Baldwin é acusada por seguidores de maltratar seu cãozinho

Contudo, essa decisão chocou muitas pessoas, sobretudo a ativista Luisa Mell. Ela está na cidade junto de sua equipe para ajudar nas buscas e resgate dos animais e ficou revoltada ao descobrir sobre os assassinatos. Luisa aproveitou o Instagram para denunciar os atos. 

"Não falei que estavam me sabotando? Porque não queriam salvar os animais coisa nenhuma! Querem matar! Ontem, quando me falaram que o helicóptero estava atirando nos animais, eu não consegui acreditar. Mas é verdade! Os animais estão pagando pelo crime da Vale", escreveu na legenda da publicação. 

Nas redes sociais, vários seguidores também ficaram indignados e demonstraram apoio a ativista. "Monstros, preguiçosos. Preferem eliminar porque é mais fácil. Já não basta o sofrimento causado às famílias", "Tristeza, já estamos todos abalados com a tragédia e agora essa notícia!", foram alguns dos comentários.

De acordo com a Vale, uma força-tarefa foi montada por veterinários, biólogos e voluntários para salvar esses bichos. Até o momento, 26 animais domésticos foram resgatados desde a tragédia. 

Hoje, terça-feira (29), o coronel Evandro Geraldo Borges falou sobre o assunto durante uma coletiva de imprensa e confirmou a ação, dizendo: "O que vamos fazer? Deixar o animal sofrendo? Estamos sim, com equipe em campo executando esse trabalho, mas essa decisão só é tomada nos casos em que não há outra opção", ou seja, "em último caso". 

Vira-lata resgatado com sucesso em Brumadinho

A medida de "último caso" pode ser vista no caso de um vira-lata resgatado. Voluntários e ativistas se juntaram para salvar o canino que ficou preso nos rejeitos durante três dias.

Leia também: Paolla Oliveira usa rede social para se despedir de cãozinho que faleceu

Ele foi levado por voluntários para ser tratado e alimentado. Os bombeiros acreditam que o vira-lata é o melhor amigo de alguém que está soterrado. As pessoas que defendem os direitos dos animais continuam lutando para salvar todos os bichos da lama de Brumadinho