Tamanho do texto

O Gato-Bravo, ancestral do gato doméstico, vivia em ambientes áridos e com pouca água

Brasil Econômico

Não é segredo que gatos tem medo de água, basta tentar dar um banho no animal que isso pode ser constatado. Claro que existem as excessões, mas a grande maioria dos felinos fica desesperada e chega a arranhar os tutores para conseguir sair de perto do líquido. 

Leia mais:  Vídeo: gatinha chama atenção por gostar de nadar no mar

Existe uma explicação para isso: apesar de ter sido domesticado, o gato ainda carrega em sua genética diversas característica da sua espécie. Entre elas estão o instinto caçador, a perícia em subir em árvores e o medo de água . Mas porque outros felinos, como a onça pintada, não tem esse mesmo temor?

via GIPHY


O ancestral dos gatos

O que diferencia o gato doméstico comum de outras espécies semelhantes é o seu ancestral. O  Felis silvestris (ou Gato-Bravo) surgiu entre o Mediterrâneo e o Iraque a cerca de 10 mil anos, mesmo período que ocorreu o desenvolvimento da agricultura e estocagem.

O Felis silvestris lybica (ou Gato-Bravo) é o ancestral do gato comum. O seu habitat árido fazia com que ele não tivesse muito contato com a água.
Reprodução/ Shutterstock
O Felis silvestris lybica (ou Gato-Bravo) é o ancestral do gato comum. O seu habitat árido fazia com que ele não tivesse muito contato com a água.


A grande quantidade de grãos que passou a ser cultivada atraiu ratos, que começaram a destruir plantações e reservas de alimentos. Por consequência, os gatos apareceram logo depois, atraídos pela oportunidade de caça dos roedores.  Os seres humanos, percebendo que poderiam se beneficiar da presença do animal, começaram a tolerar sua presença e, posteriormente, a domesticá-lo.

Veja também:  Quer ter um aquário marinho em casa? Saiba como cuidar

Apesar das características físicas do Gato-Bravo não serem tão diferentes das do gato doméstico, os seus hábitos eram. Eles eram animais solitários e agressivos que viviam em um ambiente extremamente árido, sendo que o acesso à água era limitado. Assim, desenvolveram uma excelente habilidade de aproveitar os líquidos do alimentos e a se higienizar sozinhos. Mesmo assim, a água ainda é consumida pelo bichano, só que em quantidades bem menores.

É correto dar banho nos gatos?

Leia mais: Como dar banho em gatos

Apesar de conseguirem se limpar sozinhos, ainda é preciso dar um banho nos pets periodicamente. Entretanto, uma série de cuidados precisam ser tomados para que os efeitos do medo de água sejam minimizados. Mas, vale lembrar que isso varia de caso para caso. Gatos que gostumam sair na rua sozinhos por exemplo, podem sofrer na mão de outros bichanos se tomarem banho, por perderem seu cheiro característico. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.