Pulgas e carrapatos são um problema muito comum nos bichinhos de estimação. Com a chegada da estação da primavera , isso pode ser ainda mais frequente, devido ao aumento da temperatura, fazendo com que eles se proliferem.

Com a quarentena do novo coronavírus (Sars-CoV-2), a atenção e o cuidado com esse problema podem acabar sendo prejudicados, já que com a diminuição de passeios, os pais e mães de pet podem pensar que será mais difícil os bichinhos adquirirem esses parasitas.

Gato se coçando
Shuttersock
Cães e gatos podem ser infectados com a febre maculosa pelo carrapato-estrela

Porém, de acordo com a veterinária Daniela Baccarin, da MSD Saúde Animal, o que muitos donos não sabem é que eles também podem ser os responsáveis por trazer as pulgas e os carrapatos para casa e que também podem se infectar com os bichinhos.

"Protegendo os pets contra pulgas e carrapatos, estamos protegendo também a nossa família, porque muitas doenças transmitidas por esses parasitas, são zoonoses, ou seja, afetam o ser humano também, como por exemplo, a Dipilidiose, a Doença da Arranhadura do Gato e a Febre Maculosa", explica.

Além disso, algumas doenças graves podem ser adquiridas pelos animais se os tutores não derem atenção ao problema. "Quando pensamos em prevenir as infestações por pulgas e carrapatos, não é apenas pelo desconforto que esses parasitas causam aos nossos animais, mas porque podem transmitir diversas doenças, como por exemplo, verminoses e as famosas “doenças do carrapato”, que podem levar a complicações graves, podendo inclusive causar a morte de animais", conta a veterinária.

Sintomas que indicam que o pet está com pulgas e carrapatos

  • Coceira intensa
  • Lambedura excessiva
  • Perda de pelo em grande quantidade
  • Alteração de comportamento do animal que pode se mostrar mais inquieto
  • Aparecimento de pontos avermelhados na pele

Como lidar com esse problema?

Primeiramente, Daniela reforça que é importante que quando o tutor notar qualquer alteração dessas no pet, levá-lo até o médico veterinário. Apenas ele fará a orientação correta e o melhor tratamento, garantindo a saúde e o bem-estar do pet. Mesmo assim, há fatores os quais o dono pode fazer para evitar maiores problemas.

Para proteger o pet e a família, o tutor deve escolher um produto que mate rapidamente as pulgas e os carrapatos, antes que coloquem seus ovos, ou seja, o produto deve ter uma ação rápida. Além disso, sua eficácia deve ser duradoura e se manter alta durante todo o período de tratamento, pois somente dessa forma conseguiremos quebrar o ciclo de vida desses parasitas, evitando a proliferação. 

"Não podemos apenas tratar o animal e não levar em consideração a infestação ambiental, pois dessa forma, nunca conseguiremos resolver o problema", finaliza.

    Veja Também

      Mostrar mais